! Romário: "A torcida do Flamengo é coisa de outro planeta" - 17/04/2008 - UOL Esporte - Futebol
UOL Esporte UOL Esporte
UOL BUSCA

17/04/2008 - 14h56

Romário: "A torcida do Flamengo é coisa de outro planeta"

Do UOL Esporte
No Rio de Janeiro
Romário foi formado no Vasco e atuou por outros dois "grandes" do Rio de Janeiro: Flamengo e Fluminense. Além disso, defendeu vários clubes pelo mundo, sendo, na maioria das ocasiões, ídolo. Contudo, o Baixinho não pensou duas vezes ao ser perguntado sobre a torcida que mais lhe marcou.

Ana Carolina Fernandes/Folha Imagem
Ana Carolina Fernandes/Folha Imagem
 
ROMÁRIO ANUNCIA DESPEDIDA
ESPECIAL DO MILÉSIMO GOL
PERFIL COMPLETO DO ARTILHEIRO
"Ah, a do Flamengo, com todo respeito às outras. A torcida do Flamengo é coisa de outro planeta", afirmou o eterno camisa 11, em entrevista ao RJ TV, da Rede Globo.

A identificação entre Romário e os rubro-negros sempre foi realmente intensa. Apesar de não ter conquistado muitos títulos pelo clube da Gávea (apenas três - Estaduais de 1996 e 1999 e Mercosul de 1999), o atacante é querido até hoje pela "maior torcida do mundo".

O Baixinho atuou pela primeira vez com a camisa do Flamengo em 1995, após passagem arrasadora pelo Barcelona no ano anterior, quando foi eleito pela Fifa o melhor jogador do mundo. Pouco antes, havia sido o principal nome da seleção brasileira na conquista do tetracampeonato mundial.

Após dois anos de Gávea, o camisa 11 voltou ao futebol espanhol, para atuar pelo Valência. Mas logo retornou ao Rubro-Negro, onde permaneceu até o fim de 1999.

Na última segunda-feira, Romário anunciou oficialmente sua aposentadoria. O comunicado foi feito durante o lançamento do "Júri do Baixinho - DVD Romário É Gol", num restaurante na Barra da Tijuca, Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro.

Apesar de já ter "pendurado as chuteiras", o craque deve realizar um jogo de despedida, no qual pretende usar uma camisa que mescle as cores dos três clubes cariocas que defendeu.

Em seus quase 24 anos de carreira, o Baixinho anotou 1002 gols e conquistou títulos marcantes. De acordo com ele, um dos que recorda com mais carinho, além da Copa do Mundo de 1994, é o da Mercosul de 2000, pelo Vasco.

O Cruzmaltino se sagrou campeão após bater o Palmeiras por 4 a 3 no segundo jogo da decisão. Contudo, o grande diferencial, segundo o atacante, foi que os paulistas abriram 3 a 0 ainda no primeiro tempo e a equipe carioca conseguiu a histórica virada nos 45 minutos finais.

Hospedagem: UOL Host