! Clubes desconhecidos de Minas tornam-se exportadores de atletas - 02/05/2008 - Pelé.Net - Revista
UOL Esporte UOL Esporte
UOL BUSCA

02/05/2008 - 09h00

Clubes desconhecidos de Minas tornam-se exportadores de atletas

Thiago Nogueira, do Pelé.Net

BELO HORIZONTE - O mercado da bola no futebol mineiro ganha novos e curiosos clubes exportadores de atletas. Coringão Futebol e Atividades Sociais, Arsenal Atividades Desportivas Sport Club, Extrema Futebol Clube e Venda Nova são exemplos de agremiações mineiras que promoveram, em 2007, a transferência de jogadores para times do exterior.

TRANSFERÊNCIAS EM 2007
Washington Alves/Divulgação
Washington Alves/Divulgação
Cruzeiro e Atlético lideram o quadro dos clubes mineiros exportadores de atletras
CLUBESNÚMERO DE TRANSFERÊNCIAS
Cruzeiro16
Atlético11
América7
Ipatinga e Venda Nova6 (cada um)
Democrarta-SL e Tombense5 (cada um)
Ituiutaba, Uberaba e Tupi4 (cada um)
Extrema e URT3 (cada um)
Arsenal, Social, Villa Nova e Patrocinense2 (cada um)
A.A. Monte Castelo, Araxá, Coringão, Fabril, Nacional, Passense, Rio Branco, Santarritense, Uberlândia e União Luziense1 (cada um)
LEIA NOTÍCIAS DO ATLÉTICO-MG
LEIA NOTÍCIAS DO CRUZEIRO
RETORNO NEM SEMPRE É GARANTIDO
De acordo com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), só no ano passado, Minas Gerais exportou 92 jogadores. Os clubes da capital lideram o mercado. O Cruzeiro promoveu a transferência de 16 atletas, o Atlético-MG, 11, e o América-MG, sete.

Mas o que chama a atenção são as transações de clubes desconhecidos no cenário mineiro. O Venda Nova, time de Belo Horizonte voltado para competições de base e que disputa a Segunda Divisão mineira, mandou para fora do País seis jogadores, em 2007.

A Croácia foi o principal destino de quatro dos seis jogadores exportados pelo Venda Nova. Outros dois foram para a Bósnia-Herzegovina e Portugal. Por motivos diversos, cinco deles já retornaram ao Brasil, sendo reintegrados ao Venda Nova ou emprestados a equipes do interior de Minas.

O atacante Sammir, no Dínamo Zagreb, da Croácia, é o único que permanece firme no exterior. O jogador estava Atlético-PR no ano passado, foi vinculado ao Venda Nova, mas nem chegou a atuar pelo clube mineiro. Foi emprestado ao São Caetano, que o repassou ao clube croata.

O empresário Roberto Tibúrcio é o responsável pela negociação da maioria dos jogadores do Venda Nova. Conselheiro do clube desde 1989, ele começou a agenciar atletas três anos depois, em 1991. Em 2005, quando o time passou a fazer jogos profissionais, assumiu a vice-presidência de finanças.

Tibúrcio explica que a busca de parcerias no exterior foi a maneira encontrada para o clube sobreviver. "A gente empresta o jogador de graça por um período determinado. Numa transação no futuro, o valor da negociação é repartido por dois (para o Venda Nova e o clube parceiro)", observou o dirigente.

O clube de destino fica responsável por pagar o salário do jogador e ajudá-lo na adaptação aos novos costumes. Em posteriores negociações, o clube formador recebe 5% do valor da transação.

Tibúrcio conta que o bom relacionamento com clubes de menor expressão no futebol europeu - de países como Croácia, Bósnia e Suécia - começou depois da passagem do atacante Afonso Alves (revelado pelo Atlético-MG, com passagem pela seleção brasileira e atualmente no Middlesbrough, da Inglaterra) pelo time sueco do Malmö. "Abriu-se um leque", ressaltou o empresário.

E foi exatamente para o Malmö que Tibúrcio negociou, recentemente, mais um jogador do Venda Nova. Em março, o atacante André Nascimento, que disputada o Módulo II do Campeonato Mineiro pelo Araxá, embarcou para a Europa.

Mas a lista 2008 de exportação de jogadores vinculados ao Venda Nova não pára por aí. Atletas emprestados pelo clube a times do interior para a disputa do Campeonato Mineiro foram negociados. Dinho, atacante do Ituiutaba, Alex, lateral-esquerdo do Social e o volante Everton, do Villa Nova, já estão atuando no futebol sueco.

Hospedagem: UOL Host