UOL Esporte Futebol
 
30/10/2008 - 22h30

Santos suporta pressão e arranca empate contra o Sport

De Márcio Markman
No Recife
Sport e Santos fizeram um bom jogo, nesta quinta-feira, no estádio da Ilha do Retiro, no Recife, e empataram em 1 a 1. O resultado não altera a posição das duas equipes, que estão situadas no meio da tabela. O time da casa é o 11º colocado, agora com 42 pontos, e o Alvinegro paulista vem logo atrás, com 40. É o sétimo jogo sem vitória do Rubro-Negro pernambucano.

"O Santos não perdeu dois pontos, mas sim conquistou um ponto. Nenhuma equipe de São Paulo ganhou", destacou o técnico santista Márcio Fernandes, frisando que São Paulo, Corinthians, Palmeiras e Portuguesa não obtiveram êxito em Recife neste ano.

Na próxima rodada, o Sport sai para enfrentar o ameaçado Atlético-PR, em Curitiba, enquanto o Santos faz o clássico paulista contra o Palmeiras, na Vila Belmiro. Os dois jogos acontecem no domingo, às 17h (de Brasília).

Apesar de as duas equipes atuarem de forma aberta, com predominância das jogadas em velocidade, o primeiro chute de maior perigo aconteceu apenas aos 9 minutos. Roger recebeu uma bola pelo alto, na entrada da área, e, de peito, deixou para o volante Moacir. O camisa 5 chutou de primeira, rasteiro, mas a bola passou a cerca de dois metros da trave de Fábio Costa.

As equipes não conseguiam criar jogadas de penetração e as jogadas de ataque surgiam apenas através dos disparos de longa distância. Foi assim que o time da casa, com Fumagalli, Júnior Maranhão e Sidny, e os visitantes, com Kleber Pereira, se arriscaram em buscar o gol até os 25 minutos, mas sem muito perigo para os goleiros.

O técnico Márcio Fernandes entrou com Pará na lateral-direita e o jogador do Santos perdeu a maioria dos embates com o lateral-esquerdo Dutra, do Sport. Com isso, o treinador optou por deslocar Pará para o meio e colocar Wendel no setor. A substituição parece ter dado ainda mais espaço ao time da casa, que passou a explorar cada vez mais as jogadas pela esquerda do seu ataque.

Aos 27, Carlinhos Bala recebeu um bom passe de Dutra, na esquerda, e cruzou na pequena área. Roger se deslocou bem e conseguiu chegar à bola, de cabeça, sem marcação. Mas, desequilibrado, não conseguiu concluir para dentro do gol.

Dois minutos depois, o volante Fábio Gomes se aventurou ao ataque, também pela esquerda, e após tabelar com Dutra achou Roger em boa posição, dentro da área. O camisa 9 matou a bola e foi derrubado por um carrinho desferido por Adriano. Na cobrança, aos 30, Fumagalli deslocou Fábio Costa para fazer 1 a 0 Sport.

Na única vez em que conseguiu chegar ao ataque de forma efetiva, o Santos marcou o gol de empate. Aos 45 minutos, Molina penetrou na área, pela direita, deu um bom drible sobre o marcador e chutou quase à queima roupa de Magrão. O goleiro do Sport defendeu no reflexo e, na sobra, Kleber Pereira pegou a bola em um bonito sem pulo, para fazer 1 a 1. Foi o 21º gol do artilheiro santista.

ANÁLISE DO JUCA
Crédito
"Foi um dos piores primeiros tempos do Brasileirão"
BLOG DO JUCA KFOURI
O segundo tempo começou com o Sport em cima, na tentativa de mostrar que o gol "achado" pelo Santos havia sido mero acaso. Logo aos dois minutos, Sidny chutou rasteiro e obrigou Fábio Costa a desviar para escanteio. Um minuto depois, Fumagalli ajeitou uma bola para Júnior Maranhão, que encheu o pé. Fábio Costa, na caída e com apenas uma mão, mandou outra vez pela linha de fundo e evitou o segundo gol rubro-negro.

O Sport seguia no ataque e outros dois chutes assustaram o camisa 1 do Santos. Aos 7 minutos, com Júnior Maranhão, e aos 9, com Roger, praticamente do mesmo lugar, a entrada da área, o time da casa esteve bem próximo de desempatar o jogo, mas a bola raspou a trave de Fábio Costa. Aos 13, mais uma boa chance do Rubro-Negro do Recife. Sidny esperou o quanto pôde para deixar Fumagalli na cara do gol. O meia virou bem e chutou alto, mas a bola explodiu no travessão.

Na tentativa de conter o ímpeto do Sport, Márcio Fernandes colocou o Santos no 3-5-2, com a entrada do zagueiro Fabão na vaga do volante Adriano. Aos 16, dois minutos após a mudança, Molina cabeceou na frente de Magrão e perdeu uma chance clara.

Nelsinho deu a resposta ao treinador do Santos ao colocar sua equipe ainda mais à frente. Ele tirou um dos três volantes, Fábio Gomes, e efetivou o meia Kássio. Na sequência, pôs dois atacantes, Wilson e Lúcio Curió, nas vagas de Fumagalli e Carlinhos Bala. O Sport voltou a se fazer mais presente no ataque, mas sem a mesma intensidade.

Com muita vontade, Curió fez algumas boas jogadas com Roger. Em uma delas, aos 28, Roger matou no peito e o estreante da noite chutou prensado. O troco do Santos veio aos 30, com um chute de Kleber Pereira que raspou a trave de um já batido Magrão.

Nos últimos minutos, o jogo se tornou franco e o Santos também passou a buscar mais o ataque. Kleber Pereira teve outra chance, aos 34, mas a bola subiu muito.

SPORT
Magrão; Sidny, Igor, Durval e Dutra; Moacir, Fábio Gomes (Kássio), Júnior Maranhão e Fumagalli (Wilson); Carlinhos Bala (Lúcio Curió) e Roger.
Técnico: Nelsinho Batista

SANTOS
Fábio Costa, Pará, Domingos, Adaílton e Fábio Santos; Adriano (Fabão), Kléber, Molina (Michael) e Wendel; Robson (Adoniran) e Kléber Pereira.
Técnico: Márcio Fernandes

Data: 30/10/2008 (quinta-feira)
Local: Ilha do Retiro, no Recife
Horário: 20h30 (de Brasília)
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva/RS (Fifa)
Auxiliares: Milton Otaviano dos Santos/RN(Fifa) e Jose Antonio Chaves Franco Filho/RS
Gols: Fumagalli, aos 30, Kleber Pereira, aos 45 minutos do primeiro tempo.
Cartão amarelo: Moacir (Sport), Fábio Santos, Domingos (Santos)

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host