Topo

Esporte


Busca por recordes pessoais serve de motivação para Falcão se recuperar de lesão

Cristiano Borges/CBFS
Falcão espera se recuperar de contusão para reforçar a seleção na fase final do Mundial Imagem: Cristiano Borges/CBFS

Do UOL, em São Paulo

2012-11-03T06:00:00

03/11/2012 06h00

O ala Falcão viveu momentos de tensão após a estreia do Brasil na Copa do Mundo de futsal da Tailândia na última quinta-feira por conta de uma lesão na panturrilha esquerda, mas o alívio veio com os exames realizados no dia seguinte. Considerada leve, a contusão não deve impedir o camisa 12 de voltar a jogar o Mundial e seguir na busca de mais recordes pessoais caso a seleção avance no torneio.

Com 35 anos e provavelmente no seu último Mundial, Falcão, considerado o melhor jogador do mundo no esporte, está em busca de três marcas pessoais.

A primeira é se tornar o maior artilheiro de uma seleção entre todas as modalidades do futebol organizadas pela Fifa (futebol de campo, de areia e futsal). Atualmente, Falcão está empatado com Neném, ex-jogador de futebol de areia, ambos com 336 gols.

A outra marca é um pouco mais complicada da ser alcançada por conta do número jogos que o ala deverá fazer ao se recuperar da lesão. Falcão tem 34 gols marcados em Mundiais, nove a menos que o também brasileiro Manoel Tobias, maior artilheiros da Copa.

Além disso, o ex-jogador de futsal, antigo desafeto do atual melhor jogador do mundo, é quem mais atuou em Mundiais, com 31 jogos. Falcão soma 27 partidas depois de atuar por poucos minutos contra o Japão até sentir a lesão na panturrilha.

Considerada de grau leve, a previsão dos médicos da seleção brasileira é que Falcão volte a jogar em até 15 dias. O ala, no entanto, quer estar em quadra em uma eventual quartas de final, marcada para o dia 14 de novembro.

Se a otimista previsão de Falcão se concretizar, o camisa 12 terá, no máximo, três partidas para ultrapassar Neném e marcar nove gols para pelo menos se igualar a Manoel Tobias. Já o recorde de número de partidas não poderá ser alcançado.

“Vou tratar 24 horas por dia com os fisioterapeutas no hotel. Pensando nas quartas de final, tenho 12 dias, em sete dias eu acredito que a lesão estará cicatrizada e terei cinco dias para me trabalhar com bola”, disse o ala.

Mais Esporte