Esporte

Pais de argentino morto no Rio isentam rivalidade com Brasil por crime

Reprodução/Facebook
Matías Carena, 28 anos, foi morto em uma briga de bar no Rio de Janeiro; pai de ex-jogador pede mundo menos violento Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, no Rio de Janeiro

02/04/2017 22h20

Os pais do argentino Matías Carena, morto durante uma briga de bar no Rio de Janeiro no dia 26 de março, evitaram acirrar a rivalidade entre Brasil e Argentina para justificar o assassinato do filho.

Ao lado de um amigo, Cardena - que jogava futsal na quarta divisão argentina pelo Círculos Unidos G. O. N. - se envolveu em uma briga ao deixar um bar no Rio de Janeiro. Quatro brasileiros cercaram os dois argentinos após um esbarrão na saída do estabelecimento.

Em entrevista ao semanário Fantástico, da Rede Globo, a mãe de Matías Carena, Monica, lamentou a perda do filho. Entretanto, isentou o povo brasileiro de responsabilidade.

“Não gostaria que (os assassinos) ficassem livres, tendo uma vida que meu filho não poderá ter. Eles podem comer, passear, namorar. Meu filho não pode mais”, disse Monica. “(Mas) não vou culpar o pais por causa de quatro assassinos”, completou.

O discurso foi semelhante ao do pai de Matías, Carlos. “Foram quatro assassinos que massacraram meu filho. Não tem a ver com nacionalidade”, disse, pedindo um mundo menos violento e ainda sem saber como será o futuro da família. “A verdade é que não sei. Não sei como vai ser”, resumiu, chorando.

A mãe, por sua vez, chorou a perda da proteção dada pelo filho “grandão”. “Ele não está mais aqui, não posso abraçá-lo”, desabafou. “Era um lindo homem.”

De acordo com informações divulgadas pela Rede Globo, o depoimento de Pedro Henrique Marciano – um dos acusados pelo crime – afirma que os dois argentinos saíram alterados de uma boate, o que deu início à briga.

PH, como é conhecido o acusado, teria então apanhado a muleta de um dos amigos para afastar os dois argentinos. Imagens de câmeras de segurança nos arredores, porém, mostram o acusado agredindo Matías Carena com a muleta. Na sequência, o argentino levou um soco e caiu desacordado.

Depois, acompanhado do músico Tody Cantuária, também envolvido na briga, PH fugiu de táxi para a Urca; de lá, os dois passaram no Hospital Miguel Couto para acompanhar notícias do estado de saúde de Matías Carena.

PH foi preso no sábado, escondido na casa da namorada; Tody, por sua vez, foi para a Espanha e está foragido. Matías foi enterrado na sexta-feira.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo