UOL Esporte Hipismo
 
15/12/2007 - 15h36

Popularização do hipismo é mote da última etapa do Circuito N/NE

Paula Almeida
Em Recife*
A maior parte dos ginetes brasileiros atua na Europa, nos Estados Unidos e no eixo Sul-Sudeste do país. Mas se depender da Confederação Brasileira de Hipismo, isso vai mudar. Em nome do que tem sido chamado de "popularização" do esporte na região, a cúpula da entidade está em Recife para acompanhar a sétima e última etapa do Circuito Norte/Nordeste de Saltos.

O campeonato chega ao final de sua terceira edição com status de grande evento. Assim como nas outras duas temporadas, a capital pernambucana abriu e agora fecha o Circuito. Dessa vez, porém, recrutou reforços de peso.

A 11ª Copa Pernambuco deverá reunir, em três dias de disputas, cerca de 350 conjuntos e distribuirá R$ 80 mil em uma premiação recorde. "Nosso objetivo é fazer uma referência nacional aqui no Nordeste. Para isso, investimos em alta premiação para realmente contarmos com grandes destaques nacionais", afirma Guilherme Saraiva, presidente da Federação Eqüestre de Pernambuco (FEP). "Queremos popularizar o esporte e fidelizar os praticantes", acrescenta José Nóbrega, presidente do Circuito N/NE.

E o esforço foi grande para reunir membros da elite do hipismo no Brasil. A começar por Mauricio Manfredi, presidente da CBH, que está prestigiando o evento ao lado de outros integrantes da entidade.

Entre os ginetes, o principal nome é César Almeida, campeão por equipes nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro. "Nessa etapa da minha vida, é importante participar de eventos como esse. Sei do trabalho que se tem para reunir atletas desse porte", comenta o cavaleiro. "O nível do Nordeste é bom e está em igualdade com outras regiões".

Outro destaque da competição não está dentro da pista, mas é o responsável pelo traçado. Considerado um dos melhores armadores do mundo na atualidade, o paulista Guilherme Nogueira Jorge desenhou o percurso da pista de grama usada no evento.

"Eu já vim diversas vezes pra cá e sempre fico impressionado com o número de inscritos e com o nível das competições. O Circuito é muito importante para o desenvolvimento do hipismo na região", aponta Guilherme, que tem em seu currículo recente o traçado da pista do Pan e o percurso do Campeonato Mundial em Las Vegas.

Para o governo pernambucano, o interesse em organizar eventos desse porte vai além da popularização do esporte. "É muito importante essa etapa, sobretudo porque estamos no ano do turismo no Recife", salienta o secretário de turismo da cidade, Samuel Oliveira. "Nós queremos aproveitar o esporte para divulgar a cidade e trazer as pessoas aqui para que conheçam nossa estrutura".

A sétima etapa do Circuito começou na última quinta-feira e termina no domingo, com a disputa das provas especiais. Neste sábado serão conhecidos os campeões e vice-campeões do ranking N/NE em cada uma das categorias.

*A repórter Paula Almeida viajou ao Recife a convite da organização do evento e da CBH

Placar UOL no iPhone

Hospedagem: UOL Host