UOL Esporte Lutas
 
23/09/2009 - 07h07

Lutadores bebem urina em preparação e abrem polêmica no boxe e MMA

Jorge Corrêa e Maurício Dehò
Em São Paulo
Treinos todos os dias, em dois períodos, alimentação balanceada, trabalho psicológico. A preparação de um atleta de luta, em geral, é das mais severas e desgastantes. No entanto, existem aqueles que não se satisfazem, procuram algo a mais para estarem à frente de seus rivais. Dois campeões, um do vale-tudo e outro do boxe, têm causado polêmica no esporte por fazerem uso de uma prática milenar mas pouco convencional para melhorarem seus desempenhos: a urinoterapia.

Como o próprio nome diz, a urinoterapia "é a prática de se beber a própria urina, com objetivos médicos ou estéticos". É o caso de lutadores como o brasileiro Lyoto Machida, campeão dos meio-pesados do UFC, e Juan Manuel Márquez, mexicano que chegou a deter cinturões mundiais de boxe por dois pesos.

Ambos admitem o uso da polêmica técnica, considerada por muitos como, no mínimo, anti-higiênica. Os argumentos são diversos, mas, em muitas culturas, acredita-se que a urina traga benefícios para o organismo.

No caso de Lyoto Machida, por exemplo, a prática foi transmitida pela própria família, desde o tempo de seu avô. Na época da Segunda Guerra Mundial, um general japonês indicou a urinoterapia, já que os remédios estavam em falta.

"Muita gente que tinha doenças como sífilis, gonorreia e doenças de pele conseguiu ir melhorando. Eu já vi pessoas com diabetes que tiveram uma grande melhora no índice glicêmico no sangue, então eu acredito nisso e faço diariamente", explicou o lutador de MMA, que vem de vitória no UFC 98 sobre o norte-americano Rashad Evans. Machida defende o título contra seu compatriota Maurício Shogun no UFC 104, em outubro.

"(Tomo) principalmente quando vou lutar, porque acredito que a urina libera vários hormônios. Quando fazemos uma refiltragem, conseguimos absorver um pouco mais", completou ele.

UFC/Divulgação
Lyoto Machida, campeão dos meio-pesados no UFC, é um dos adeptos da urinoterapia
SAIBA TUDO SOBRE O UFC 103
DANA ELOGIA BELFORT EM NOCAUTE
THEO BECKER APANHA NO OCTAGON
Não é só Machida que aposta nisso. O mexicano Juan Manuel Márquez, que perdeu no último fim de semana para o norte-americano Floyd Mayweather Jr., é outro adepto à prática de beber a própria urina. Ao contrário de Machida, não o faz por herança cultural, mas sim como forma de ter uma melhor preparação para seus combates.

"Eu acho que isso tem me ajudado. Fiz nas últimas cinco ou seis lutas, com bons resultados", disse ele, em entrevista à rede de televisão HBO, antes de ser derrotado por Mayweather, depois de 12 rounds. "Tomo minha urina porque é onde há muitas proteínas e vitaminas. Porque não tomá-la e desperdiçar estes nutrientes?", defende.

Polêmica, a urinoterapia causa os mais diversos tipos de reação nas pessoas, como a de Roger Mayweather, tio e técnico de Floyd Jr. "Como você vai beber urina e beijar sua esposa? Isso é a coisa mais suja do mundo. Ele acha que isso ajuda... Vamos ver", provocou antes do combate do sábado passado.

Rashad Evans, até então campeão dos meio-pesados do principal torneio de MMA do mundo, também se mostrou reticente com a prática de Lyoto Machida antes de enfrentá-lo no UFC 98. Mas o resultado, dessa vez, foi favorável ao lutador que bebe a própria urina.

"Me pergunto se eles estão fazendo teste [antidoping para urinoterapia]. Isso não deveria ser permitido. Eu vou ficar no clinch com ele, sentindo a sua respiração... Já lutei com pessoas fedorentas, é perturbador às vezes", afirmou o norte-americano em entrevista ao Yahoo Sports, antes de ser duramente nocauteado pelo brasileiro.

Opinião de especialista
Mas, afinal, beber a própria urina pode trazer benefícios à saúde? Segundo o fisiologista Turíbio Leite de Barros, que trabalha com o time de futebol do São Paulo, não há motivos para acreditar nisso.

"Desconheço totalmente qualquer indicação e qualquer benefício disso. É anti-fisiológico, porque o organismo elimina o que não lhe serve, e a urina é o nosso principal produto de excreção. Além de não trazer benefício, podemos pressupor até que cause prejuízo", afirmou o fisiologista.

Do lado contrário, há os que defendam que o uso deste tipo de terapia vem de longa data, com os mais variados objetivos, sendo que o principal seria o de "limpar o corpo" internamente. Povos como os japoneses, indianos e romanos têm registros de uso de urina por motivos estéticos e de saúde e até passagem bíblica é citada para defender a causa por parte de alguns praticantes que interpretam a passagem desta forma (Provérbios 5,15-19).

Recentemente, relatos dão conta de que a urina teria sido usada para curar alguns tipos de câncer, entre outros usos, como na cicatrização, tratamento de queimaduras e até rejuvenescimento da pele. Outras celebridades que admitiram uso foram o norte-americano Adam Paolino, campeão olímpico do taekwondo, o lutador de vale-tudo Luke Cummo, o jogador de beisebol Moisés Alou e até a cantora Madonna, para supostamente curar pés de atleta.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host