Topo

MMA

Lutador detona UFC por valor de bolsas: ganharia mais como lixeiro

Divulgação/Strikeforce
Tim Kennedy é golpeado por Jacaré no Strikeforce; ele estreia no UFC na edição 162 Imagem: Divulgação/Strikeforce

Do UOL, em São Paulo

27/06/2013 10h09

Depois de diversos lutadores que passaram pelo UFC e já deixaram a organização se queixarem do valor das bolsas destinadas aos lutadores, agora um atleta que ainda vai estrear no evento é quem já está chiando. Tim Kennedy, que luta o UFC 162 contra o brasileiro Roger Gracie, disparou contra Dana White e companhia, e chegou a dizer que ganharia melhor como lixeiro.

“É patético que tantos lutadores tenham trabalhos paralelos ao UFC”, afirmou Kennedy, norte-americano que era do Strikeforce. “Eu sou um dos 3% dos lutadores de MMA que estão no UFC e é difícil viver de luta. Ainda bem que tenho outros ganhos, porque o UFC não paga bem”.

Na entrevista ao podcast GrappleTalk, ele detalhou seus ganhos no UFC 162, em Las Vegas, no próximo dia 6 de junho. Explicou que ganhará US$ 70 mil (pouco mais de R$ 140 mil) se vencer e deste total precisará de cerca de 60% para pagar despesas com treinos, sparrings e outros gastos da preparação. Com isso, ele prevê embolsar US$ 20 mil, antes de pagar impostos.

“Qualquer um que aceite isso como uma realidade para nosso esporte é triste e patético. Eu espero que não seja nossa realidade. Se é, eu deveria fazer algo diferente, como ser lixeiro. Eu ganharia mais do que estou ganhando agora”, reclamou Kennedy.

O MMA muitas vezes é comparado ao boxe, que ainda dá grandes bolsas aos seus maiores astros. Floyd Mayweather Jr. recentemente recebeu US$32 milhões na vitória sobre Robert Guerrero. No entanto, são poucos os pugilistas que veem tanto dinheiro entrando em suas contas.

No UFC, a bolsa de um lutador como Anderson Silva bate na casa de US$ 400 mil por combate - sem contar bônus e todos os ganhos paralelos com patrocinadores.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!