MMA

Colega de Aldo quer superar trocas de rivais para brilhar no UFC

Julio Cesar Guimarães/UOL
Francimar Bodão quer superar Elvis Mutapcic com atuação convincente Imagem: Julio Cesar Guimarães/UOL

Rodrigo Garcia

Do UOL, em São Paulo

16/01/2016 06h00

A vida de Francimar “Bodão” não tem sido fácil no UFC. Após ver dois confrontos serem alterados por questões inerentes à sua vontade, o brasileiro passará mais uma vez por uma situação inusitada neste domingo, quando enfrentará o bósnio Elvis Mutapcic no UFC: Dillashaw X Cruz.

Programado para enfrentar Abdul-Kerim Edilov, Bodão viu seu adversário mudar na última segunda-feira (11) após lesão de seu adversário. No entanto, de acordo com o lutador, a mudança não afetará em nada sua estratégia para a luta, a quarta pela organização norte-americana.

“Não afetou muito a estratégia. Ele é bem parecido com o russo que eu ia enfrentar, vi só umas três lutas dele, vi que ele é muito bom no chão e troca muito bem. O que mudou mais foi a altura, ele é menor que o russo, mas no resto são bem parecidos. Vou tentar acabar com a luta rápido, mas se tiver que ir para os três rounds, estou bem preparado para isso”, declarou Bodão.

O brasileiro, que tem duas vitórias e uma derrota pelo UFC, já esteve agendado para enfrentar Ovince St. Preux e Patrick Cummins, ambos ranqueados entre os 13 melhores da categoria meio-pesado. No entanto, mudanças de última hora tiraram a chance de Bodão derrotar um adversário ranqueado e buscar seu lugar entre os melhores da categoria, algo que ele pretende alcançar desta vez em caso de uma boa exibição.

“Nossa categoria não é fácil, vamos esperar a volta do Jon Jones para ver como é que fica. Acho que preciso mostrar um bom trabalho, quero dar espetáculo, coisa que ainda não consegui. Vou mostrar meu jogo e mostrar para o mundo e para a organização porque o Bodão está no UFC. Quero chegar entre os dez, ficar entre os cinco melhores para que, quando precisarem de mim, eu esteja pronto” avaliou Bodão.

Por fim, o lutador avaliou a situação de seu colega de equipe, José Aldo, que foi derrotado por Conor McGregor e perdeu o cinturão dos penas do UFC. De acordo com o lutador, o clima na academia Nova União segue o mesmo, apesar da derrota do manauara.

“Ele está com a cabeça boa, voltando aos treinos. Acredito que ele vá voltar bem mais forte e vai pegar esse cinturão de volta, porque é isso que ele e toda a equipe querem”, concluiu Bodão.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Ag. Fight
Redação
Blog do Ohata
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Blog do Ohata
Redação
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Topo