Topo

MMA

Colega de Aldo quer superar trocas de rivais para brilhar no UFC

Julio Cesar Guimarães/UOL
Francimar Bodão quer superar Elvis Mutapcic com atuação convincente Imagem: Julio Cesar Guimarães/UOL

Rodrigo Garcia

Do UOL, em São Paulo

16/01/2016 06h00

A vida de Francimar “Bodão” não tem sido fácil no UFC. Após ver dois confrontos serem alterados por questões inerentes à sua vontade, o brasileiro passará mais uma vez por uma situação inusitada neste domingo, quando enfrentará o bósnio Elvis Mutapcic no UFC: Dillashaw X Cruz.

Programado para enfrentar Abdul-Kerim Edilov, Bodão viu seu adversário mudar na última segunda-feira (11) após lesão de seu adversário. No entanto, de acordo com o lutador, a mudança não afetará em nada sua estratégia para a luta, a quarta pela organização norte-americana.

“Não afetou muito a estratégia. Ele é bem parecido com o russo que eu ia enfrentar, vi só umas três lutas dele, vi que ele é muito bom no chão e troca muito bem. O que mudou mais foi a altura, ele é menor que o russo, mas no resto são bem parecidos. Vou tentar acabar com a luta rápido, mas se tiver que ir para os três rounds, estou bem preparado para isso”, declarou Bodão.

O brasileiro, que tem duas vitórias e uma derrota pelo UFC, já esteve agendado para enfrentar Ovince St. Preux e Patrick Cummins, ambos ranqueados entre os 13 melhores da categoria meio-pesado. No entanto, mudanças de última hora tiraram a chance de Bodão derrotar um adversário ranqueado e buscar seu lugar entre os melhores da categoria, algo que ele pretende alcançar desta vez em caso de uma boa exibição.

“Nossa categoria não é fácil, vamos esperar a volta do Jon Jones para ver como é que fica. Acho que preciso mostrar um bom trabalho, quero dar espetáculo, coisa que ainda não consegui. Vou mostrar meu jogo e mostrar para o mundo e para a organização porque o Bodão está no UFC. Quero chegar entre os dez, ficar entre os cinco melhores para que, quando precisarem de mim, eu esteja pronto” avaliou Bodão.

Por fim, o lutador avaliou a situação de seu colega de equipe, José Aldo, que foi derrotado por Conor McGregor e perdeu o cinturão dos penas do UFC. De acordo com o lutador, o clima na academia Nova União segue o mesmo, apesar da derrota do manauara.

“Ele está com a cabeça boa, voltando aos treinos. Acredito que ele vá voltar bem mais forte e vai pegar esse cinturão de volta, porque é isso que ele e toda a equipe querem”, concluiu Bodão.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!