MMA

Roy Nelson esquece série negativa e fala até em disputa de cinturão no UFC

Warren Little/Zuffa LLC
Roy Nelson vem de três derrotas consecutivas no UFC Imagem: Warren Little/Zuffa LLC

Rodrigo Garcia

Do UOL, em São Paulo

06/02/2016 06h00

Uma das figuras mais carismáticas do UFC irá lutar neste sábado (05) por sua sobrevivência na organização. O peso pesado Roy Nelson, conhecido por sua barriga saliente, tentará se recuperar da sequência de três derrotas consecutivas contra Jared Rosholt no co-evento principal da noite.

Indo para a 16ª luta pela organização, ele não está preocupado com a sequência de resultados negativos. Em suas últimas três aparições, foi derrotado por Alistair Overeem, Josh Barnett e Mark Hunt, adversários que ocupam o topo do ranking da categoria. Para tentar emplacar sua primeira vitória em dois anos, o norte-americano mudou sua preparação e trouxe um brasileiro para aprimorar suas técnicas.

“Eu mudei as pessoas que estavam ao meu redor, que cuidam de mim. Agora, tenho pessoas mais dedicadas ao meu lado. O Fredson Paixão é muito bom tecnicamente e vai ajudar bastante meu jogo. Ele pode me deixar melhor, cuidar do meu balanço. Já tive uma evolução no jiu-jitsu. Eu tenho treinado jiu-jitsu há muito tempo, mas agora estou melhor. Tem sido muito bom”, declarou Nelson em entrevista ao UOL Esporte.

O experiente lutador de 39 anos não sente a pressão por resultados no UFC. Tanto que, mesmo com uma sequência negativa, aposta que duas vitórias poderiam coloca-lo em rota de colisão com Fabricio Werdum, atual campeão da categoria e que já o derrotou em 2012 por decisão unânime dos jurados.

“É uma divisão muito aberta, em que as pessoas têm derrotas, vitórias e revanches. Temos o Velásquez bem, o Miocic tendo um title shot. É uma divisão muito aberta e por isso que gosto dela. É difícil dizer quem é o melhor, mas acho que o Werdum, porque ele é um lutador completo e não costuma se colocar em perigo”, avaliou Nelson.

Ainda sobre o brasileiro, Nelson disse que gostaria de lutar novamente contra ele para apagar os erros cometidos no primeiro embate, assim como seria interessante ter revanches contra Junior Cigano e Cain Velásquez. No entanto, ao ser questionado sobre o adversário mais duro que já enfrentou, Nelson deu uma resposta inusitada.

“Provavelmente eu mesmo. Toda vez que entro para uma luta, eu acho que posso bater qualquer pessoa. Pelo menos é assim que eu olho (a situação). Mas eu tive alguns oponentes no passado que me levaram a ser um bom lutador”, relatou Nelson.

E, com a confiança em alta, o lutador sequer pensa em outra possibilidade que não seja continuar no UFC. O lutador descartou a possibilidade de seguir os passos do ex-campeão peso leve da organização, Ben Henderson, e migrar para o Bellator.

“O UFC me dá todas as possibilidades que eu preciso, sempre sigo em frente. Eu estou feliz aqui”, concluiu o lutador. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Blog do Ohata
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Blog do Ohata
Redação
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Topo