MMA

UFC implementará programa de controle de peso para proteger atletas

William Lucas/inovafoto
UFC irá implementar nova política para controle de peso dos atletas Imagem: William Lucas/inovafoto

Do UOL, em São Paulo

13/05/2016 12h31

O UFC segue desenvolvendo novas políticas visando melhorar os processos de agendamento de lutas e preparação dos atletas que têm contrato com a organização. Após implementar uma agência para controle de dopagem e vetar a reidratação por uso de substâncias intravenosas, o UFC deverá anunciar uma nova mudanças nos próximos meses.

Segundo o site norte-americano “MMA Fighting, a organização irá implementar um novo programa de gerenciamento de peso, basicamente formado por coleta de dados, a partir do UFC 200. Muitos especialistas acreditam que os atletas se desidratam severamente para atingir os limites de peso das atuais categorias, o que é prejudicial para o organismo. A Comissão Atlética do Estado da California (CSAC) já havia encaminhado uma solicitação para que a organização monitorasse este tipo de atividade, algo que começará a ser feito.

O vice-presidente do UFC para questões ligadas à saúde e performance dos atletas, Jeff Novitzky, trabalhou junto a Marc Ratner para chegar a um modelo que garanta a integridade dos lutadores. Na nova “Política de Gerenciamento de Peso”, os lutadores precisarão provar, na semana da luta, que não estão com mais de 8% a mais do peso que precisam atingir na pesagem. Caso seja constatado que o atleta está com o índice superior a 8%, ele precisará fazer checagens de peso diárias até a pesagem oficial, além de receber conselhos sobre gerenciamento de peso para a próxima luta.

“A principal mudança, e que será a mais difícil, mas que eu acho que, provavelmente, será a mais importante deste novo manual é em relação ao controle dos 8%. Se eles não conseguirem, não quer dizer que a luta não vai acontecer, mas nós vamos ter muita atenção a esses atletas, incluindo pesagens diárias, controle dos sinais vitais. Se, com o passar dos dias, eles mostrarem sinais de desidratação, eles serão retirados da luta”, explicou Novitzky, em entrevista ao jornal norte-americano “Las Vegas Review-Journal”.

Além da nova medida, o UFC começou a realizer reuniões com atletas e seus treinadores para alertar sobre a importância de um corte de peso seguro. Como parte do novo programa, o UFC irá coletar dados sobre os sinais vitais dos lutadores, tais como temperatura, pressão sanguínea e batimentos cardíacos, e irá compara-los com seu peso. Após o atleta realizar a pesagem oficial, os dados obtidos serão armazenados em um banco de dados que gerará análises automáticas.

A organização também irá inaugurar, no próximo ano, o Centro de Performance e Saúde do Atleta do UFC, onde ficará um nutricionista que poderá fornecer aos atletas planos de nutrição, além de outros materiais educacionais. O local também será utilizado por um órgão militar norte-americano após parceria firmada com o UFC.

No UFC 196, realizado dia 5 de março, em Las Vegas, a organização já iniciou um trabalho de monitoramento dos atletas. Após a pesagem, uma sala com diversos tipos de comidas saudáveis foi disponibilizada para que os lutadores recuperassem o peso perdido para atingir o limite das categorias.

A partir do UFC 199, que acontecerá no dia 4 de junho, na California, o UFC já começará a implementar algumas medidas que entrarão em vigor com o novo programa. A pesagem será realizada mais cedo para que os atletas tenham mais tempo para se reidratarem, médicos ficarão monitorando os atletas para identificar possíveis sinais de desidratação e testes específicos para medir o nível de hidratação do organismo serão realizados.

Todas as mudanças foram motivadas por problemas recentes envolvendo o processo de corte de peso. A desidratação severa para atingir o limite de peso das categorias já provocou diversas doenças e lesões, resultando inclusive em alguns casos fatais. Cortes de peso muito extremos podem tornar o lutador mais suscetível a lesões, concussões, traumas cerebrais e nocautes, segundo estudos realizados pelo UFC.

“Muitos destes atletas pensam ser ‘a prova de balas’. Mas quando eles abrem os olhos e os ouvidos é que realmente começam a conversar sobre performance. Você pode até dizer: ‘olha, isso não será bom apenas para você, mas se você fizer as coisas de um jeito extremo, com rápidos cortes de peso, sua performance vai ser afetada’. No entanto, a anedota é que, após as noites de lutas, eu sempre acabo escutando: ‘Nossa, você tinha razão. Realmente eu me senti melhor, com mais energia, como se eu tivesse mais pernas’. É muito encorajador ouvir essas coisas”, concluiu Novitzki. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Blog do Ohata
Redação
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Topo