MMA

Ele tem apenas 12 anos, mas já luta como vikings e treinou com McGregor

Rodrigo Garcia

Do UOL, em São Paulo

07/06/2016 06h00

A infância é uma fase de muito aprendizado. Geralmente, a maioria das crianças possuem planos do que desejam ser quando crescer. Essa prospecção do futuro pode se desenvolver de diversas formas: por incentivo de familiares, amigos ou ídolos.

Não é raro ver crianças dizerem que desejam seguir determinadas profissões por conta de ídolos que possuem. Este é o caso do Mikael Leó Aclipen, jovem islandês de 12 anos de idade que está decidido a ser um consagrado lutador do UFC para seguir os passos de um nome que tem ganhado cada vez mais proporção no MMA: Conor McGregor.

Em entrevista exclusiva ao UOL Esporte, Mikael Aclipen e sua mãe, Lára Dís Richarðsdóttir, revelaram como o jiu-jitsu brasileiro e o Vikingaprek, arte marcial baseada nos antigos vikings, foram decisivos para despertar sua paixão e seu desejo de seguir os passos de Conor McGregor, com quem realizou treinos durante o polêmico período em que o irlandês passou na Islândia.

Arte marcial dos vikings foi a porta de entrada de Mikael no MMA

Segundo o manuscrito medieval islandês Landnámabók, que descreve o início do povoamento da Islândia, os primeiros colonizadores do local eram vikings oriundos da Noruega. Parte dos noruegueses deixou sua terra em 874 para fugir do rigoroso inverno que atingia o país.

Passados anos da colonização da ilha, muitas tradições históricas ficaram enraizadas na população, que atualmente é estimada em 319 mil habitantes. Uma delas é a prática do Vikingaprek, arte marcial inspirada nos guerreiros vikings e que mistura diversas práticas do MMA moderno. Lára começou a praticar o esporte na academia Mjolnir, que leva o nome do mítico martelo usado pelo deus nórdico Thor.

“A luta tem este nome por causa dos vikings. A Mjolnir é realmente orgulhosa de sua origem islandesa, dos vikings que viveram no país. Eu comecei a praticar apenas por diversão e sempre levava o Mikael comigo, foi assim que ele começou a se interessar”, revelou Lára.

Vikingaprek iniciou, mas a paixão veio pelo jiu-jitsu brasileiro

Reprodução/Facebook
Mikael já conquistou três torneios de jiu-jitsu Imagem: Reprodução/Facebook

Apesar de ter seguido os passos da mãe e começado a treinar vikingaprek, foi a arte desenvolvida pela família Gracie que conquistou o coração do jovem Mikael.

Após começar a treinar na conceituada academia, que fica na capital da Islândia, Reykjavík, Mikael já conquistou três títulos nacionais, que são motivo de orgulho para Lára.

“A paixão dele pelo MMA surgiu quando ele começou a praticar o jiu-jitsu brasileiro. Ele é realmente bom em BJJ, pratica todos os dias por três horas. Mikael faz três treinos semanais de BJJ, dois de MMA, além treinos de movimento, yoga e Vikingaprek. Ele estará no UFC quando crescer”, projetou Lára.

Idolatria por compatriota, McGregor e Anderson Silva

Reprodução/Facebook
Mikael treinou com McGregor durante passagem do irlandês pela Islândia Imagem: Reprodução/Facebook

A Islândia recentemente ficou no centro das discussões relacionadas ao MMA por conta do campeão peso pena do UFC, Conor McGregor. Após ser derrotado por Nate Diaz, o irlandês resolveu passar um período de treinos no país escandinavo para preparar-se para a revanche contra o norte-americano.

Contudo, o irlandês recusou-se a deixar o país para comparecer a eventos de marketing nos Estados Unidos e a luta acabou cancelada. Se para McGregor o resultado de sua passagem pela Islândia acabou sendo negativo, para Mikael ele não poderia ter sido melhor.

“Foi uma experiência fantástica para ele praticar com o Conor. Ele e Gunnar Nelson são os ídolos dele, será algo que ele nunca mais esquecerá. Mikael ficou realmente feliz por ter encontrado com McGregor, que disse que ele tem bons movimentos de capoeira e que era realmente um bom atleta”, explicou Lára.

Ao ser questionada sobre o Brasil, celeiro de grandes nomes do esporte, Lára explicou que nem ela, nem Mikael conhecem muito sobre o país. Entretanto, um lutador em especial foi citado por Mikael como inspiração para seus treinos.

“Nós sabemos que muitos bons lutadores de MMA são do Brasil. Sabemos que lá é um país lindo e que nós amaríamos visitar, esperamos ir para lá um dia. O Mikael ama o Anderson Silva”, salientou Lára.

Pouca idade não é um problema para começar carreira no MMA

Reprodução/Instagram
Mãe de Mikael não vê problema em filho treinar MMA desde jovem Imagem: Reprodução/Instagram

O MMA é um esporte que enfrentou muitos imprevistos antes de começar a ganhar a proporção que possui atualmente. Foi necessário superar o preconceito e a falta de informação para que as pessoas passassem a respeitar o MMA como qualquer outro esporte.

Lára não teme que Mikael possa sofrer alguma consequência física por começar a praticar um esporte de contato tão jovem. Para ela, os conceitos ensinados na academia, que é bastante rígida com seus alunos, ajudam não só na formação física de Mikael, mas também na formação de seu caráter como pessoa.

“Não me preocupo porque o esporte não é sobre bater um no outro, mas sim sobre quem tem a melhor técnica. Isso envolve você se defender e aprender como você pode se tornar uma pessoa melhor. Você aprende a ser uma pessoa melhor através do esporte, você aprende a respeitar seus parceiros e saber seus limites. Mikael nunca usaria as técnicas que aprendeu na rua, a não ser que fosse atacado por alguém antes. A Mjolnir é bem rígida com isso. Mikael acredita que não é apenas um esporte de contato, mas também um esporte mental que o ajuda a meditar e se tornar uma pessoa melhor”, pontuou Lára.

Ainda segundo Lára, sua visão sobre o esporte mudou quando ela começou a treinar a modalidade.  Já para Mikael, tudo está relacionado à forma que as técnicas são aplicadas, e não a quem acerta mais vezes os outros.

“Eu quero ir para o UFC para mostrar para todo mundo que possuo as melhores técnicas. Se eu conseguir vencer em minha divisão, eu poderei sinceramente dizer que tenho a melhor técnica de todas”, projetou Mikael.

Com tantos planos, sobra tempo para ser uma criança “comum”?

Reprodução/Facebook
Lára posa ao lado do filho Mikael durante momento de lazer Imagem: Reprodução/Facebook

Com apenas 12 anos, Mikael já treina e traça sonhos que são comuns a muitos adultos que seguem os passos de lutador de MMA.

Porém, engana-se quem pensa que a intensa rotina de treinos impede que o garoto tenha atividades mais comuns para crianças de sua idade.

“Na verdade, Mikael é bom em qualquer esporte que tenta praticar. Ele é um excelente nadador e dançarino. Nós também gostamos de sair para caminhar, fazer trilhas ao ar livre. Mikael ama desenhar e ama animais. Nós conversamos sobre tudo. No entanto, eEle é realmente dedicado ao MMA, esta é sua paixão e seu coração está lá.”, concluiu Lára.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Redação
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
EFE
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Redação
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Topo