MMA

Durinho busca vitória no UFC após gastar R$ 323 mil por acidentes de carro

William Lucas/inovafoto
Gilbert Durinho quer retomar sequência de vitórias no UFC Imagem: William Lucas/inovafoto

Rodrigo Garcia

Do UOL, em São Paulo

03/07/2016 06h00

O brasileiro Gilbert “Durinho” Burns sofreu, em 7 de novembro de 2015, sua primeira derrota na carreira ao enfrentar Rashid Magomedov. Agora, o brasileiro quer retomar a sequência de vitórias para ir em busca de seu objetivo maior: o cinturão peso leve do UFC.

Em entrevista ao UOL Esporte, o lutador revelou como está a preparação para o duelo contra Lukasz Sajewski, que acontecerá no dia 7 de julho, em Las Vegas, no mesmo card em que Rafael dos Anjos defenderá seu cinturão contra Eddie Alvarez.

De acordo com o lutador, o revés não abalou a confiança em seu objetivo. Na verdade, o resultado negativo serviu para evidenciar alguns erros que precisavam ser consertados, algo que acaba passando batido com as vitórias.

“Ninguém quis lutar com ele, eu aceitei. Até hoje, ele não lutou de novo, ninguém quer lutar contra ele, pois tem um nível muito bom. Tive grandes  lições, aprendi que tenho que ter mais paciência. Não foi uma luta inteligente, poderia ter feito melhores escolhas. Evolui muito, não quis pegar outra luta, quis tapar os buraquinhos que, com as vitórias, acabam passando”, relevou Durinho.

Atleta gasta R$ 323 mil para resolver acidentes automobilísticos

Reprodução/Instagram
Durinho usou premiações do UFC para pagar acidentes automotivos da mulher Imagem: Reprodução/Instagram

Se Gilbert Durinho está em ação, os fãs de MMA podem esperar por uma luta movimentada. Em quatro aparições no UFC, o atleta recebeu, em duas oportunidades, o prêmio de melhor performance da noite, que concede US$ 50 mil (R$ 161 mil).

Muitos lutadores aproveitam a bonificação para realizarem sonhos de infância ou investir em estrutura de treinamentos e novos treinadores. No entanto, Durinho precisou usar seus prêmios para solucionar um problema: as batidas de carro de sua esposa Bruna.

“Minha esposa teve duas batidas de carro grandes e feias, estava apertadíssimo de grana. Esses bônus vieram na hora certa. Ajudou muito, embora ainda não tenha realizado meu sonho. É aquele dinheiro que aparece na hora certa. Graças a Deus, nas duas batidas, não aconteceu nada com ninguém, pois meus filhos estavam com ela”, relevou o atleta.

Ainda segundo Gilbert, os carros não possuíam seguro que cobrisse acidentes no carro do condutor, o que fez com que os prejuízos precisassem ser reembolsados por ele e sua esposa.

“Fora duas perdas totais. Tivemos que pegar o dinheiro, pois o carro estava com seguro mínimo, que só cobre o da outra pessoa. Tive que comprar outro carro, gastei grana com advogado, o seguro subiu. Depois, ela teve um acidente com o outro carro, quase a mesma coisa. Ela estava errada em ambos, então os bônus vieram na hora certa. Não realizei nenhum sonho, mas cobri problemas gigantescos”, explicou o lutador.

Antigo pupilo de Belfort, Durinho lamenta derrota para Jacaré

Alexandre Loureiro/Inovafoto
Vitor Belfort foi como mentor para Durinho em seu início no MMA Imagem: Alexandre Loureiro/Inovafoto

Gilbert “Durinho” despontou para o MMA após ser conhecido pelo trabalho que fazia como treinador de jiu-jitsu de Vitor Belfort, que foi uma espécie de mentor para o atleta em seu início no novo esporte.

Após deixar de treinar com o ex-campeão do UFC, Durinho revela que a amizade continua, mas que esteve um pouco mais afastado do veterano atleta nos últimos tempos. Ao avaliar a derrota de Belfort contra Jacaré, no UFC 198, em Curitiba, Durinho acredita que o lutador não tenha aproveitado as oportunidades que surgiram durante a luta.

“Ele não conseguiu aquilo que a gente chama de “puxar o gatilho”. Ele estava engatilhado, mirou, mas na hora de apertar, demorou um pouco e perdeu o alvo. Quando viu que poderia executar os ataques que possui e são bons, não achou o tempo, esperou muito. Com o Jacaré não pode vacilar. Sabia que era uma luta difícil para ambos, mas pensei que o Vitor ainda ia dar muito mais trabalho para o Jacaré, mas a luta começou a ficar ruim, Jacaré teve domínio excelente e fez o que fez”, avaliou Durinho.

Por fim, o lutador acredita que Belfort ainda tem muita lenha para queimar dentro da organização e no esporte. Durinho até vislumbrou um possível evento em que o veterano atleta poderia voltar a se apresentar.

“Agora ele tem que voltar e pegar um novo oponente. O UFC deve coloca-lo para lutar em um evento que deverá acontecer em Brasília. É o que eu acho. Ainda não conversamos, mas acho que devem dar uma boa luta para ele”, finalizou o lutador.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

UOL Esporte - MMA
Na Grade do MMA
Blog do Ohata
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
UOL Esporte - Imagens
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Blog do Ohata
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Blog do Ohata
Redação
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Topo