MMA

Obrigado a "crescer rápido" no UFC, Cara de Sapato busca renovar categoria

Reinaldo Canato/UOL
Cara de Sapato tenta voltar ao caminho das vitórias no UFC Imagem: Reinaldo Canato/UOL

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

16/09/2016 12h18

Ele tinha só seis meses no MMA profissional quando entrou no The Ultimate Fighter Brasil 3. Venceu o reality show, conquistou uma vaga no UFC e foi apontado como boa revelação do esporte brasileiro. Mas o retrospecto de uma só vitória em quatro lutas desde então fez surgir uma dúvida sobre Antônio "Cara de Sapato": será que ele queimou etapas, subiu rápido demais?

Na opinião do lutador de 26 anos, sim. E isso é uma coisa boa.

"Não vejo isso negativamente", disse ele ao UOL Esporte. "Eu tinha só três lutas antes de entrar na casa (do TUF), não era um atleta maduro. Quase toda a vivência que tive no MMA foi dentro do UFC. Fui obrigado a crescer rápido, e isso me puxa cada vez mais, para não acomodar".

Cara de Sapato ainda tenta se firmar no principal evento de artes marciais mistas do mundo. Mudou sua base de treinos do Rio de Janeiro para os Estados Unidos no ano passado, e após vencer o TUF nos pesados e fazer sua luta seguinte no UFC nos meio-pesados, vai para seu quarto combate nos médios. O adversário será outro brasileiro, Leonardo "Leleco" Guimarães, no card preliminar do UFC Fight Night deste sábado (17).

"Ele (Leleco) é da Bahia, e eu sou paraibano, mas passei a maior parte da minha vida em Salvador, comecei treinando lá. Eu sei quem ele é, um cara bacana, e infelizmente a gente vai ter que lutar. Mas é fazer nosso trabalho, colocar o que treinou na hora da luta", disse Cara de Sapato.

Vencer esse combate é essencial para o campeão do TUF Brasil 3, que vê futuro dentro da categoria dos médios. Em uma divisão dominada por atletas mais velhos, com campeões e desafiantes acima dos 30 anos, ele acha que pode evoluir para iniciar uma renovação na disputa pelo cinturão.

"Acho que é bom para mim isso. Tenho visto a mudança de campeões, Rockhold (31 anos), Bisping (atual campeão, 37), quem sabe Jacaré (36)... é uma categoria muito disputada, mas realmente a idade do pessoal é acima de 30. Então para mim, que sou um atleta muito novo, é questão de maturidade, tempo de luta. Tenho uma longa carreira pela frente, muito a aprender e evoluir".

O brasileiro vem de derrota por nocaute para Dan Kelly, em março. Antes disso, teve um "no contest" diante de Kevin Casey, após acertar acidentalmente o dedo no olho do americano, que não conseguiu prosseguir na luta. Agora, para ele, é hora da virada.

"Esse esporte infelizmente é ingrato, como todo esporte. Sinto que venho treinando, evoluindo, amadurecendo. É o que falta para mim. Claro que tem a parte técnica, mas é mais essa parte de amadurecimento mesmo, como atleta de MMA. A derrota me ensinou muito. Agora é chegar lá e dar o meu melhor".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Blog do Ohata
Redação
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Topo