MMA

Rival de Barão mira "maior luta da carreira" e sorrirá para vaias no Brasil

Reprodução/Facebook
Imagem: Reprodução/Facebook

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

19/09/2016 12h00

Quando Phillipe Nover adentrar o ginásio Nilson Nelson no dia 24 de setembro, o som que se ouvirá vindo das arquibancadas deverá ser de completa vaia. O motivo é simples: o norte-americano é o obstáculo entre o ex-campeão Renan Barão e sua primeira vitória na categoria dos penas do UFC.

Aos 32 anos, porém, Nover diz estar em um estágio de maturidade na carreira e já pensa em uma maneira de lidar com as vaias que virão. “Mesmo lutando na casa do meu adversário, não sinto tanta pressão. Terá um monte de vaias, mas eu vou sorrir”, afirmou ao UOL Esporte. “Talvez há uns cinco ou seis anos, eu sentiria mais pressão lutando em um evento com o UFC e na casa do meu adversário”.

Mesmo com a estratégia pronta para lidar com a pressão de lutar no UFC Brasília, Nover não esconde a satisfação em fazer a segunda luta mais importante de um card, principalmente enfrentando um lutador que já teve em sua cintura o título da organização. “Essa é a maior luta da minha carreira. É uma honra dividir o octógono com ele (Renan Barão). Eu pedi essa luta, falei com meu time, acredito que fiz meu melhor para ter essa chance”.

O combate contra Barão será apenas o terceiro que Nover fará pelo UFC. Mesmo com o pouco tempo de casa e o fato de vir de uma derrota para Zubaira Tukhugov, por decisão dividida, no último mês de dezembro, o norte-americano já traça metas ousadas: lutar pelo cinturão em menos de dois anos.

“Penso que se eu me manter bem, em um bom nível e vencer o Barão, em 18 meses, um ano e meio, terei a chance de disputar o cinturão”, projeta.

Antes disso, porém, ele tem outra meta, e que também não será fácil: lutar em casa, em Nova York. A dificuldade, no entanto, passa pelo curto espaço entre um combate e outro. O primeiro evento na cidade norte-americana está marcado para o dia 12 de novembro, menos de dois meses após o duelo contra Barão em Brasília.

“Contanto que sua atuação seja boa, e você saia bem fisicamente, alguns lutadores costumam ter a oportunidade (de lutar em um espaço curto)”, relativiza.

O duelo entre Renan Barão e Phillipe Nover será o segundo mais importante do UFC Brasília. Depois dele, Cris Cyborg pisará no octógono do Ultimate pela segunda vez, quando enfrentará a sueca Lina Lansberg.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Topo