MMA

Aldo volta a criticar UFC e diz que seria mais valorizado se fosse bad boy

Steve Marcus/AP
José Aldo acha que seria mais valorizado no UFC se tivesse comportamento de bad boy Imagem: Steve Marcus/AP

Do UOL, em São Paulo

02/10/2016 13h30

O lutador José Aldo, 30, ainda não digeriu bem a decisão do UFC, que anunciou na terça-feira (27) um combate entre o irlandês Connor McGregor e o norte-americano Eddie Álvarez em novembro, em Nova York. O europeu, principal rival do brasileiro, vai disputar o título dos leves sem precisar abdicar do cinturão dos penas, categoria de Aldo. E uma das principais razões para isso é uma questão de popularidade.

McGregor é um dos lutadores mais populares do UFC atualmente. O card do dia 12 de novembro será a estreia do circuito em Nova York, e os organizadores tentaram casar um duelo que tivesse relevância e um oponente com apelo no mercado local. Aldo, que não é um dos grandes vendedores de pay-per-view, acha que foi prejudicado por não ser pop.

“Se o Aldo fosse bad boy, chegasse lá e cuspisse na cara dos outros, para eles ia ser muito mais valorizado. Isso chama atenção de mídia, dos fãs, de todos”, admitiu o brasileiro em entrevista à “TV Globo”.

A questão de Aldo em torno da luta marcada pelo UFC é que ela trava a divisão dos penas – McGregor é o campeão, mas o brasileiro detém o cinturão interino e esperava uma chance para unificar os títulos. Na terça-feira, ao saber sobre o card, Aldo chegou a falar em aposentadoria e pediu para ser dispensado.

“É difícil você lutar desanimado e manter uma coisa que você não quer mais. Eu merecia uma disputa de cinturão, e isso não veio”, ponderou o lutador.

Primeiro campeão do UFC no peso pena, Aldo dominou a categoria entre 2010 e 2014, quando foi nocauteado por McGregor em Las Vegas. “Dana White disse no vestiário que a próxima luta seria Frank Edgard pelo título ou até mesmo uma revanche. Ele falou isso no vestiário depois da luta, após eu ter perdido”, contou o brasileiro.

O presidente do UFC, contudo, tentou contemporizar. Segundo White, o contrato de Aldo não será rescindido – o brasileiro tem compromisso para mais seis lutas, com alta multa para quebra do vínculo – e minimizou a reação do atleta.

“Não vamos cancelar o contrato do José Aldo. Sabia que ele ia ficar chateado, que reagiria com emoção. Gosto muito dele, gosto da família, e a gente vai resolver essa questão toda”, disse o dirigente.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

UOL Esporte - MMA
Na Grade do MMA
Blog do Ohata
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
UOL Esporte - Imagens
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Blog do Ohata
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Blog do Ohata
Redação
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Topo