MMA

"Valentão das baladas" volta à ativa no UFC e admite risco de demissão

Kyle Terada-USA TODAY Sports
Imagem: Kyle Terada-USA TODAY Sports

Fernando Notari

Do UOL, em São Paulo

08/12/2016 06h00

Tiago "Trator" Silva está a um dia de dar fim a uma pausa forçada de mais de um ano na carreira. Na noite desta sexta-feira (09), enfrentará o norte-americano Shane Burgos no UFC Fight Night 102, em Nova York, e admite que depende de uma boa apresentação para manter firme seu emprego na organização.

Para assegurar seu posto na franquia, "Trator" levará ao octógono elementos da luta na qual foi forjado: as brigas de rua. Nada de jiu-jitsu ou muay thai: o brasileiro descobriu sua vocação para o MMA saindo na mão na noite amapaense - era o "valentão das baladas". Filho de mãe solteira na pequena Laranjal do Jari, cidade do Amapá, afirma ter sido "criado aprendendo a como lidar com o quê". Ele explica com mais clareza: "Antes, se eu achava errado, resolvia logo. Era pavio curto".

Aos 30 anos, com a cabeça no lugar, avalia o que carrega das "tretas" da juventude para o cage: "O que fica mesmo é que desde os meus fights nas ruas eu tenho muito coração, muita vontade, é isso que levo para os meus duelos". Tiago Silva já soma 27 apresentações profissionais, foi campeão peso leve do Jungle Fight e agora quer se estabilizar no Ultimate. 

Kyle Terada-USA TODAY Sports
Imagem: Kyle Terada-USA TODAY Sports

O atleta foi contratado pelo UFC em julho de 2014 e estreou com vitória. Depois, perdeu uma e venceu outra - esta última em setembro de 2015. Em fevereiro de 2016, lesionou a mão e teve de parar para tratamento, que se encerrou pouco depois da metade do ano. Foi quando a franquia lhe prometeu uma luta, mas, sem explicação, a retirou da programação - o episódio chateou "Trator". 

"Fiquei um pouco chateado. Foi inexplicável", argumentou. "Estava tudo certo, faltando um mês para a luta e eles a tiraram do card. Mas passou". Tiago persegue uma vitória sobre Burgos para ser, nas palavras dele, "mais valorizado pelo UFC". "Quero lutar mais, quero lutar umas quatro vezes por ano". 

Se o triunfo pode alçá-lo a uma condição superior dentro da organização, "Trator" sabe também que não pode perder - ou, pelo menos, não pode perder fácil. A possibilidade de ser demitido assusta o brasileiro: "O Ultimate sempre está querendo renovar", disse, depois de afirmar que o risco de ser cortado é real. "O que me preocupa é perder de forma fácil. Se eu fizer uma boa apresentação, não acontecerá nada, independentemente do resultado", avalia. 

Burgos, seu rival, estreará no UFC na noite de sexta (09), em Nova York. Ele acumula sete vitórias em cartel invicto no MMA profissional. Os dois se enfrentam no card preliminar do evento que terá na luta principal o duelo entre Derrick Lewis e Shamil Abdurakhimov - o UOL Esporte acompanhará o evento em tempo real. 

 

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Ag. Fight
Blog do Ohata
Redação
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Topo