MMA

Cigano acusa Werdum de recusar 2ª luta em um mês e detona: "Limitado"

Reprodução/Instagram
Cigano ainda não sabe o que terá pela frente no UFC Imagem: Reprodução/Instagram

Guilherme Dorini

Do UOL, em São Paulo

17/01/2017 15h43

Júnior Cigano está cansado de perder tempo no UFC. Essas foram as próprias palavras do ex-campeão dos pesos-pesados da organização, que viu Stefan Struve se lesionar faltando pouco mais de um mês para seu combate e acabou ficando sem adversário para a edição que será realizada em Halifax, no Canadá. O brasileiro ainda revelou que a luta foi oferecida novamente para Fabrício Werdum, mas que o compatriota, pela segunda vez em um mês, recusou o desafio.

“Por enquanto, até onde eu sei, continuo neste card. O UFC está procurando um adversário e estou torcendo para que eles possam encontrar alguém que seja relevante para a gente. É a segunda vez em um mês que Werdum nega. Assim que o Struve anunciou sua lesão, ligaram para ele e ele recusou de novo. É uma situação que me deixa triste, é uma perda de tempo e não tenho mais tempo para perder. Estou bastante chateado e frustrado com toda essa situação”, desabafou Cigano em entrevista exclusiva ao UOL Esporte.

Reprodução/Instagram
Cigano se prepara na American Top Team Imagem: Reprodução/Instagram

Há menos de um mês, Werdum estava com uma luta marcada para enfrentar Cain Velasquez. No entanto, faltando poucos dias para a revanche, o norte-americano se lesionou e deixou o brasileiro sem adversário no último card do ano, considerado um dos mais importantes para a organização. Cigano se colocou à disposição, e o UFC tentou fazer a luta sair do papel, mas Werdum acabou pedindo mais que o combinado, rejeitando o confronto (palavras do próprio Dana White), o que inviabilizou o negócio.

“O UFC nem precisou me perguntar se eu queria (enfrentar Werdum), já me ligaram dizendo que já tinham falado com ele e ele já havia negado novamente. Em um mês, negou duas vezes. Tem sido meio frustrante isso”, completou.

Na véspera de Natal, após a polêmica do último card do ano, Werdum ainda fez questão de jogar mais lenha na rivalidade com Cigano. Perguntado pelo site Combate sobre os frequentes pedidos de luta do rival, o ex-campeão disse que era perseguido e que o brasileiro, na verdade, não havia saído do armário, provocando com um tom de brincadeira. Cigano lamentou a postura do compatriota.

“Eu ri, né? Ele parece aquelas crianças de oito anos brigando na escola e chamando o amiguinho de ‘veado’. Achei extremante desnecessário. Tenho muitos amigos que são gays e ficaram ofendidos com essa situação. Isso para mim não foi ofensa, não sou e não preciso provar nada para ninguém. Mas tenho muitos amigos, sim. Aliás, a campeã do mundo do UFC, que treina comigo, também é assumidamente gay (Amanda Nunes). Acho que ele foi extremamente ofensivo”, criticou Cigano.

Cigano ainda tentou entender o motivo das recusas de Werdum. “Ele sabe que não dá para ele. Os resultado que ele conseguiu construir envolveram muita sorte. Comigo não tem trabalho fácil. Se quer trabalho fácil, não escolha lutar comigo. E é isso que ele está fazendo. Ele fica tentando me agredir, é lamentável sua postura. Se (a luta) acontecesse, todos sabem o que iria acontecer, até ele mesmo sabe. Ele não representa perigo nenhum para mim. Ele é limitado, e eu sou bom o suficiente para ser o número 1 da categoria”, disse.

Quando perguntado sobre o jiu-jitsu de Werdum, um dos melhores da organização, Cigano admitiu qualidade, mas negou medo. “O dele até pode ser o melhor entre os pesados, muito afiado. Mas, para você usar, você precisa derrubar. E ele não consegue derrubar ninguém. É uma qualidade excelente, mas fica fora do jogo dele”, completou.

Cigano ainda lembrou do caso envolvendo Werdum e o treinador de Ronda Rousey e Travis Browne, Edmond Tarverdyan, quando o brasileiro o chutou ainda no octógono. “O que ele fez com o treinador da Ronda, chutando... É inaceitável. Foi uma agressão, e ele ficou impune. Aquilo que aconteceu foi uma clara agressão física, não consigo entender como ele ficou impune. Ele só representa um tempo perdido agora”, acrescentou.

E O FUTURO?

REUTERS/Antonio Bronic
Cigano venceu pela última vez na Croácia Imagem: REUTERS/Antonio Bronic

O problema é que, neste momento, a divisão dos pesados está totalmente travada para Cigano. Na quarta posição da categoria, ele vê os outros dez rivais do ranking já com lutas marcadas. Tirando Velasquez e Struve, lesionados, e Ben Rothwell, seu último rival, todos já possuem compromisso: Alistair Overeem, Mark Hunt, Andri Arlovski, Derrick Lewis, Travis Browne e Francis Ngannou. O único livre, tirando Werdum, seria Stipe Miocic, dono do cinturão.

“Todos esses caras têm sido perda de tempo para mim. Falam, falam, falam e, na hora de lutar, dão para trás. Antes de eu fechar minha luta, ninguém estava com nada marcado. A maioria dizia que não tinha tempo de preparação. De repente, eu assinei para enfrentar o Struve e todo mundo começou a fechar luta. Quem dizia que não tinha tempo, fechou para lutar duas semanas depois da minha. O problema sou eu, eles não querem me enfrentar”.

Cigano, que não luta desde abril do ano passado, diz estar em excelente forma na American Top Team, academia em que treina na Flórida (EUA) e, mesmo com todo cenário negativo, espera por uma solução.

“MMA está parecendo teatro. Todo mundo fala, mas, na hora de lutar, todos dão para trás. Isso me chateia. Estou em um momento excelente da minha vida, me sentindo bem, a preparação está muito boa. Isso me motiva bastante. Tenho pressa para voltar e, mais do que falar, quero provar tudo no octógono”, disse Cigano, terminando com uma previsão. “Não quem não acredita em mim, quero mostrar que vou voltar a ser o número um. 2017 é meu ano e, antes do final dele, tenho certeza que serei novamente o campeão dos pesados do UFC”.

A reportagem do UOL Esporte tentou contato com Fabrício Werdum, que não se pronunciou até a publicação desta matéria.

Quer receber notícias de MMA de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Ag. Fight
Redação
Blog do Ohata
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Blog do Ohata
Redação
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Topo