Topo

MMA

De olho em título, Bethe gostaria de encarar Amanda à revanche contra Ronda

Matthew Stockman/Getty Images
Imagem: Matthew Stockman/Getty Images

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

18/01/2017 07h58

Pouco mais de um ano depois, Bethe Correia voltará a lutar no Brasil. E a “Pitbull” espera deixar uma imagem melhor do que a última, em agosto de 2015. Na ocasião, a brasileira viu seu sonho do cinturão dos galos feminino do UFC terminar com 34 segundos, quando foi nocauteada por Ronda Rousey no Rio de Janeiro.

Agora o combate será contra a veterana Marion Reneau, em Fortaleza, e Bethe esperar contar com mais apoio do público. “Sempre quis lutar no Nordeste, para mim é uma vantagem. O calor é maior e tenho certeza que não terá público dividido como na última vez, será tudo para mim”, afirmou a paraibana ao UOL Esporte.

O combate contra Reneau é visto por Bethe como a chance de retornar à rota do cinturão que um dia foi de Ronda Rousey. “Não quero fazer uma luta por fazer, meu foco é sempre o cinturão. Procuro sempre um caminho mais curto para chegar nele. É o meu sonho”.

O título, atualmente, está em posse de Amanda Nunes. A brasileira manteve o cinturão ao vencer justamente Ronda Rousey em 30 de dezembro, no UFC 207. Derrotada pela norte-americana, Bethe não tem dúvida: um combate contra a atual campeã seria mais fácil.

“Eu estaria mais preparada (do que contra Ronda), não cometeria o mesmo erro que aconteceu no daquela vez. Conheço mais o estilo de jogo dela (Amanda)”, afirmou Bethe, que não esconde a vontade de encarar Ronda mais uma vez.

“Eu queria muito ter uma revanche com ela. Se ela voltasse, pediria uma revanche com ela. Mas meu objetivo acima disso é o cinturão”, completou.

Antes de encarar Ronda no UFC 190, Bethe possuía um cartel invicto de nove lutas. Após a derrota relâmpago, ela ainda caiu para Raquel Pennington, por decisão dividida. E foi da mesma maneira que ela voltou ao caminho das vitórias, contra Jessica Eye.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!