MMA

Há 20 anos, Belfort era chamado de criança, mas virava fenômeno no UFC

Reprodução
Vitor Belfort foi campeão do torneio dos pesados no UFC 12 Imagem: Reprodução

Guilherme Dorini

Do UOL, em São Paulo

07/02/2017 04h00

Vitor Belfort sempre foi um cara intimidante, certo? Não para seus primeiros adversários. Antes de subir no octógono para fazer suas duas primeiras lutas no UFC, o brasileiro de apenas 19 anos era pressionado nos bastidores por Scott Ferrozzo, que tentava a todo custo desestabiliza-lo. O resultado? Foi nocauteado em menos de um minuto e presenciou o nascimento de um fenômeno.

Reprodução
Belfort nocauteou Ferrozzo com menos de um minuto Imagem: Reprodução

Nesta terça-feira (7), o primeiro título de Belfort na organização completa 20 anos e o UOL Esporte conversou com o lutador para relembrar como foi o Torneio dos Pesados (acima de 93 kg) do UFC 12, em Dothan, no Alabama, quando o brasileiro venceu dois lutadores na mesma noite para se tornar o campeão mais jovem do Ultimate.

Com 19 anos e apenas uma luta como profissional de MMA, Belfort revelou que não pensava muito nos riscos e que, na verdade, estava focado para aproveitar seu momento.

"Acho que você tem que viver o momento. Então, não ficava pensando muito. Quando se é jovem, a gente tem a tendência de correr mais riscos. E foi o que eu fiz. Desde pequeno eu corri muitos riscos, vim para os Estados Unidos muito novo... Mas desde aquela época já sabia o que eu queria, que era me tornar campeão mundial. Sabia que teria que correr riscos até ter a oportunidade. Ela apareceu e eu aproveitei”, disse Belfort.

O CONFUSO UFC 12

Reprodução
Pôster do UFC 12, em Dothan, Alabama Imagem: Reprodução

Para tornar ainda mais emocionante, o UFC 12 foi recheado de polêmicas e é considerado um dos cards mais confusos da história da organização. O evento, a princípio, estava marcado para acontecer na cidade de Bufalo, em Nova York. Faltando 24 horas, quando tudo já estava montado, o estado decidiu proibir a realização do evento, sendo tudo transferido para Dothan, no Alabama.

“Uma coisa que me marcou foi a mudança de Nova York para Alabama. Tivemos que entrar no avião de um dia para o outro para fazer o evento acontecer. Lembro de pensar: ‘caramba, olha os monstros que vou lutar’, e os caras todos me olhando, parecia aquela cena clássica do O Grande Dragão Branco, do Van Damme”, contou Belfort, antes de lembrar de uma passagem com quem seria seu rival na grande decisão.

“O Ferrozzo ainda veio me chamando de criança, tentando me intimidar, falando que queria me pegar na final... Só tinha monstros ali e até comentei com o Carlson (Gracie), que fez questão de me acalmar. Ele me tranquilizou e falou para fazer o que eu fazia sempre, que é o que continuo fazendo até hoje”.

CAMINHO ATÉ O TÍTULO

Reprodução
Vitor Belfort antes de estrear no UFC Imagem: Reprodução

Para se tornar campeão, Belfort estreou na competição contra Tra Telligman, boxeador e aluno de Ken Shamrock. O brasileiro logo mostrou seu talento e, com uma sequência de socos rápidos e potentes, nocauteou o norte-americano com apenas 1min17s.

Na sequência, na mesma noite, teve pela frente Scott Ferrozzo. Aquele mesmo que havia tentado intimidar o brasileiro durante a viagem de Bufalo para Dothan. Apesar dos 130 kg e 1,80m do rival, Vitor não se assustou e foi ainda mais mortal.

O americano começou provocando, mandando Belfort vir para cima. O brasileiro, então, manteve a calma para conectar os primeiros socos e logo derrubar Ferrozzo. No chão, Vitor soltou mais sete golpes contundentes na cabeça do rival para ser declarado campeão. Ferrozzo ainda tentou continuar a luta após a interrupção, mas nada pode fazer.

Belfort ainda explicou o curto tempo de suas lutas. Afinal, foram dois nocautes em dois minutos. “Se você for estudar as artes marciais antigamente, algumas lutas poderiam durar muito tempo, mas sempre por conta do estudo dos dois lutadores, quando iam para o ataque era para definir quem seria o campeão. Sempre segui essa filosofia um pouco de samurai, ter o contato para definir a luta. Nunca gostei de levar para os pontos, queria só vencer.”

Quando perguntado se sentiu medo em algum momento, por conta da idade e pela pouca experiência, Belfort foi honesto. "Todo mundo tem medo, né? Isso é do ser humano. O medo é o que nos trouxe até aqui hoje. Mas você precisa saber usar o medo a seu favor, não pode deixar ele te dominar, te congelar. Ter medo faz parte".

CAMPEÃO MAIS JOVEM?

Reprodução
Belfort foi campão do UFC aos 19 anos Imagem: Reprodução

Uma polêmica toma conta do UFC quando o assunto é quem é o campeão mais jovem. Para a organização, Jon Jones é tratado como o recordista, tendo sido campeão dos meio-pesados (até 93 kg) com 23 anos, já que o formato de competição disputado por Belfort era antigo e já nem existe mais.

Outra confusão se dá quando falamos de campeões em mais de uma categoria. Sempre é citado BJ Penn, Randy Couture e, mais recentemente, Conor McGregor. A justificativa do UFC é acima do primeiro caso.

Belfort, no entanto, diz não se incomodar com o que o UFC diz. “Não me incomoda. Eles (Zuffa) compraram o UFC, então eles contam desde a compra deles. De repente é isso. Minha história comprova que sou eu. Conquistei duas lutas na mesma noite. Eles podem ser os campeões da Zuffa. Do UFC, sou eu. Meu nome está na história”, finalizou.

A Zuffa LLC é uma promotora de eventos que adquiriu o UFC em 2001, por US$ 2 milhões. No ano passado, depois de 15 anos, acertou sua venda ao grupo WME-IMG por cerca de US$ 4 bilhões.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Topo