Com polêmica e "nocaute no replay", Mousasi bate Weidman e vai a 5º triunfo

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Josh Hedges/Zuffa LLC

    Weidman conversa com médico após joelhadas de Mousasi

    Weidman conversa com médico após joelhadas de Mousasi

Gegard Mousasi provou, mais uma vez, que não está para brincadeira no UFC. Na madrugada deste domingo (9), na edição 210 da organização, o iraniano naturalizado holandês fez mais uma vítima dentro do octógono e embalou sua quinta vitória seguida nos pesos-médios (84 kg) da organização. Seu rival foi ninguém menos que Chris Weidman, maior algoz de Anderson Silva, que agora acumula três derrotas consecutivas. O nocaute, no entanto, foi polêmico e decidido apenas no replay.

Com a vitória, Mousasi confirmou sua ascensão no UFC. Agora, ele acumula cinco vitórias seguidas e, com certeza, deve trocar de posição com Weidman no ranking dos pesos-médios. O iraniano naturalizado holandês, número cinco na divisão, deve subir ao quarto lugar, enquanto o norte-americano, com uma grande sequência negativa, tem tudo para perder algumas posições.

Josh Hedges/Zuffa LLC
Mousasi embalou sua quinta vitória seguida no UFC

Mousasi demonstrou mais calma no primeiro round, mirando mais seus golpes, sem gastar tanta energia. Já Weidman estava muito mais pilhado e, se movimentando mais, conseguiu com facilidade duas quedas sobre o iraniano. Na trocação, o iraniano conseguiu conectar bons golpes quando encontrava a distância, mas nada que assustasse o norte-americano.

No segundo round, Mousasi esboçou uma pressão logo de cara, conseguiu balançar Weidman, que se encurralou na grade. O iraniano, então, tentou finalizar a luta com mais alguns golpes diretos, mas deixou o norte-americano se recuperar, desperdiçando a boa oportunidade.

Na reta final do assalto, Weidman chegou a montar em Mousasi, mas não aproveitou. Então, veio o momento de polêmica. Em pé, o iraniano desferiu duas joelhadas enquanto o norte-americano estava com três apoios no chão. De acordo com a nova regra, os movimentos são válidos. No entanto, o árbitro, confuso, parou o combate para atendimento do lutador.

Depois de quase cinco minutos de paralisação, e com auxílio do replay, o árbitro constatou que os golpes foram legais. Então, um médico entrou para analisar a situação de Weidman, que parecia muito grogue após as duas joelhadas. Depois de algumas perguntas, foi decidido que o norte-americano não tinha condições de voltar ao combate, sendo, assim, derrotado por nocaute técnico.

Josh Hedges/Zuffa LLC
Weidman lamenta decisão do juiz e do médico no UFC 210

"Vi que ele (Weidman) levantou as mãos na segunda joelhada. Não é minha culpa, eu queria continuar. Eu queria lutar, não queria criar um problema. Peço desculpas ao Weidman, uma pena ter acontecido isso", disse Mousasi ao ser declarado vencedor no segundo round.
 
"Desculpem por isso tudo ter acontecido. Acho que foi uma joelhada ilegal, por que eles teriam parado a luta? Eu estava com as mãos no chão. Queria dizer para vocês que voltei, ainda mais depois de tantas dificuldades, mas eu sinto muito. Não acredito que isso esteja acontecendo. Eu quero voltar", desabafou Weidman.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos