Topo

MMA

Joanna se vê como "campeã internacional" e quer consolidar marcar nos EUA

Ronald Martinez/Getty Images
Joanna Jedrzejczyk exibe cinturão depois de vencer Jéssica Andrade no UFC 211 Imagem: Ronald Martinez/Getty Images

Brunno Carvalho

Do UOL, em Dallas (EUA)

14/05/2017 12h00

A uma luta de igualar o número de defesas de cinturão de Ronda Rousey, Joanna Jedrzejczyk tem como objetivo a consolidação de seu nome nos Estados Unidos. Morando no país norte-americano desde o início de seu treinamento para o duelo contra Karolina Kowalkiewicz, em novembro passado, a polonesa assinou contrato com a mesma agência que cuida da carreira de Conor McGregor.

“As pessoas falam que assinei com a (agência) Paradigm porque é a mesma de Conor, mas não é isso. Assinei porque são bons no que fazem. É por isso que me mudei para os Estados Unidos, para a ATT (academia American Top Team), porque queria minha marca no Estados Unidos”, afirmou Joanna em entrevista coletiva depois do UFC 211.

“Penso que sou uma campeã internacional. E a maioria dos eventos do UFC são nos Estados Unidos. Senti que precisava estar aqui, fazer minha marca”, continuou.

Desde que Ronda Rousey foi derrotada duas vezes consecutivas, o MMA feminino deixou de ter uma estrela consolidada no UFC. Com seis defesas de cinturão e parecendo imbatível na categoria dos palhas, Joanna desponta como a pessoa a ocupar essa posição.

“Quero ser a melhor. Continuo com tudo e prefiro continuar dando duro. É legal quando falam que sou a melhor lutadora do mundo, mas sei que ainda tem coisas a serem feitas”, completou.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!