MMA

Disputa de cinturão nos médios do UFC faz divisão "sair do limbo"

Rodrigo Garcia

Do UOL, em São Paulo

07/07/2017 04h00

O UFC 213, que acontece neste sábado (8), em Las Vegas, terá a disputa de cinturão entre Robert Whittaker e Yoel Romero pela divisão dos médios. Os atletas foram escalados para batalharem pelo cinturão interino da categoria enquanto Michael Bisping se recupera de um procedimento no joelho.

O embate entre os dois promete recolocar a divisão “nos trilhos”, já que os principais nomes da categoria acabaram ficando de lado desde que o britânico conquistou o título ao derrotar Luke Rockhold, em junho de 2016.

Desde que sagrou-se campeão da divisão, Bisping defendeu seu título apenas contra Dan Henderson, lutador veterano que teve a chance de lutar pelo cinturão após um pedido pessoal do britânico, que desejava vingar-se de uma derrota sofrida em 2009.

Após Bisping vencer Hendo, diversos lutadores da categoria se animaram com a retomada da divisão, mas a decisão do presidente do UFC, Dana White, que tentou escalar Georges St-Pierre para disputar o cinturão, revoltou os atletas.

Passados meses de indefinição, período em que Bisping aproveitou para realizar uma cirurgia no joelho, o UFC resolveu escalar Yoel Romero e Robert Whittaker para disputarem o cinturão, encerrando assim uma novela que já durava um ano. 

“Soldado de Deus” recebe a aguardada oportunidade

USA Today
Imagem: USA Today

Primeiro colocado no ranking da divisão dos médios, Yoel Romero terá a chance que tem batalhado tanto para conquistar desde 2013, quando começou sua trajetória no UFC.

Desde que entrou na organização, o cubano, que já conquistou a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Sydney competindo no wrestling, derrotou grandes nomes da organização e ainda não foi derrotado.

Seu caminho até o título começou a ser traçado após a vitória sobre Lyoto Machida, em junho de 2015. Contudo, a primeira oportunidade de ser confirmado como desafiante ao cinturão surgiu em dezembro do mesmo ano, quando o cubano derrotou Ronaldo Jacaré, que até então era apontado como o principal candidato ao posto de campeão. Entretanto, Romero envolveu-se em polêmica após ser flagrado em um exame antidoping realizado fora do período de competição.

Após meses de discussões com a USADA, órgão responsável por realizar os exames antidoping, o atleta conseguiu provar que havia ingerido um suplemento que continha uma substância proibida, mas que não era informado na composição do produto. Com isso, a possível suspensão de dois anos que poderia ser aplicada ao atleta acabou sendo revogada.

Por conta dos problemas enfrentados, Romero precisou fazer mais uma luta para ser confirmado como desafiante ao cinturão. Em uma performance arrasadora, que lhe rendeu inclusive uma bonificação do UFC, o cubano nocauteou o ex-campeão da divisão, Chris Weidman, e confirmou seu nome na disputa do título dos médios.

Como um nocaute brutal sobre Jacaré rendeu o title-shot para Whittaker

Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images
Imagem: Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

O nome de Robert Whittaker, que ocupa a terceira colocação no ranking, não despontava como um dos possíveis desafiantes ao cinturão da divisão até a fatídica luta contra Ronaldo Jacaré. Mesmo com uma impressionante sequência de seis triunfos dentro do UFC, o atleta ainda não havia derrotado nenhum nome de expressão dentro da organização.

Enquanto Jacaré sonhava com a oportunidade de disputar o título, o brasileiro aceitou enfrentar Whittaker para manter-se em atividade enquanto esperava um desfecho sobre o possível duelo Bisping X St-Pierre. Porém, o que o brasileiro não esperava era que uma sequência avassaladora de golpes do neozelandês colocaria fim ao seu sonho.

Ao longo deste processo, pesou a favor de Whittaker o momento negativo vivido pelos principais nomes da divisão. Chris Weidman não conseguiu reencontrar as vitórias desde que perdeu o cinturão para Luke Rockhold, vindo de duas derrotas para Gegard Mousasi e Yoel Romero. Já Rockhold enfrenta uma série de lesões e não entra no octógono desde que perdeu seu título para Bisping.

Com isso, o neozelandês foi confirmado para disputar o título de uma das divisões mais “travadas” da organização, ficando atrás apenas dos leves, que vivem um impasse sobre o título da categoria desde que Conor McGregor sagrou-se campeão ao bater Eddie Alvarez. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Ag. Fight
Redação
Ag. Fight
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Ag. Fight
Topo