Esporte

MMA

Jones testa positivo para anabolizante no UFC 214 e deve perder cinturão

Jorge Corrêa

Do UOL, em Las Vegas (EUA)

22/08/2017 21h28

O retorno triunfal de Jon Jones ficou manchado nesta terça-feira (22). O atual campeão dos meio-pesados do UFC falhou no exame antidoping realizado depois da pesagem do UFC 214, quando venceu Daniel Cormier.

Jones testou positivo para turinabol, um esteroide anabolizante. A expectativa é que o norte-americano perca o cinturão da organização. Se for considerado reincidente, poderá ser suspenso por até quatro anos.

Logo após saber do doping de Jones, Dana White, presidente do UFC, afirmou que o cinturão ainda não foi retirado do norte-americano, mas será questão de tempo. “Ainda não tirei o cinturão, mas sabe como é... vai passar por todo o processo da Usada e aí o fazemos”.

Pouco depois da divulgação do resultado, o gerente de Jones, Malki Kawa, emitiu uma nota ao site MMA Fighting lamentando o ocorrido. "Nós estamos completamente sem palavras agora. Jon, seus treinadores, seus nutricionistas e todo o seu camp trabalharam incansavelmente e meticulosamente nos últimos 12 meses para evitar exatamente essa situação. Estamos testando as amostras novamente para determinar a validade ou a fonte de contaminação. Jon está destruído com esta notícia e estamos fazendo tudo o que podemos em equipe, para apoiá-lo".

Cormier também falou ao MMA Fighting e se disse "decepcionado". "Na minha cabeça, em 29 de julho, eu competi e perdi. Pensei que Jon Jones foi superior naquele dia. Agora, não sei mais o que pensar. Não acredito que estamos passando por isso de novo. Vamos ver o que vai acontecer", afirmou.

Problema antigo

Essa não é a primeira vez em que Jon Jones cai no doping. Na ocasião, os testes feitos em período fora de competição apontaram dois esteroides: hidróxido de clomifeno e metabólitos de letrozol. O norte-americano acabou suspenso pela USADA (Agência Norte-Americana Antidoping) por um ano.

Antes disso, em 2015, Jones testou positivo para uma substância que era o principal metabólito da cocaína. Por ter sido um exame feito fora do período de competição, o norte-americano acabou não sendo suspenso.

Três meses depois, a situação que já era ruim, piorou. Em abril, com luta marcada para defender seu cinturão contra Anthony Johnson, Jon Jones se envolveu em um acidente automobilístico, no qual bateu o carro, atropelou uma mulher grávida – que fraturou o braço – e fugiu do local sem prestar socorro à vítima. No veículo, ainda foram encontrados vestígios de maconha e de um purificador usado para o consumo da droga. O caso fez com que o lutador fosse afastado e, consequentemente, tivesse seu cinturão retirado, o que abriu caminho para Daniel Cormier se tornar o campeão.

Comunicar erro

Comunique à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Obs: Link e título da página são enviados automaticamente ao

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!