Topo

MMA

St-Pierre finaliza Bisping em retorno e é o novo campeão peso médio do UFC

AP Photo/Frank Franklin II
Georges St-Pierre exibe cinturão após vitória contra Michael Bisping Imagem: AP Photo/Frank Franklin II

Do UOL, em São Paulo

05/11/2017 02h41

Senhoras e senhores, Georges St-Pierre está de volta! Depois de quase quatro anos desde a sua última luta, o canadense retornou da aposentadoria na madrugada deste domingo (5) e finalizou Michael Bisping no terceiro round para vencer no UFC 217, em Nova York (EUA), e se sagrar o novo campeão peso médio do Ultimate.

O primeiro round começou com os dois lutadores se estudando. St-Pierre tomou as melhores iniciativas e buscou a queda faltando um minuto. Nos segundos finais, o canadense ainda acertou um superman punch e balançou o inglês antes do gongo soar.

No segundo round, Bisping acertou a mão direita no rosto de St-Pierre, que conseguiu mais uma queda e passou a meia-guarda, mas viu o inglês logo se levantar. E, na trocação, o campeão aproveitou para soltar mais golpes já que o canandense mostrou estar cansado.

St-Pierre sentiu que ficou em desvantagem em pé e tratou de conseguir mais uma queda logo no início do terceiro assalto. Mesmo por baixo, Bisping desferiu seguidas cotoveladas para castigar o rosto do desafiante.

Os dois voltaram a ficar em pé, quando o canadense conectou um cruzado de esquerda e derrubou o campeão. St-Pierre castigou o adversário no chão, foi para as costas de Bisping e encaixou o mata-leão. O inglês não bateu, apagou, e o árbitro interrompeu o duelo.

"Meu sonho virou realidade. Muito obrigado pelo apoio. Esse não é meu peso real. Fiz pelo desafio. Houve um tempo no esporte que tínhamos essas coisas. Sou pequeno para o peso-médio, mas aceitei o desafio. Achava duro, mas pareceu viável, hoje”, disse St-Pierre, que não deixou de elogiar Bisping.

“Eu não quero menosprezá-lo, mas o estudei muito, o que faz com sua mão direita. Fazia parte estudar e surpreender. Foi isso que procurei. Eu coloco as armadilhas, pois tenho mais experiência no chão. Sabia que forçando talvez não fosse o melhor caminho", acrescentou.

"Artes marciais não são de quem é mais corajoso, têm a ver com inteligência, estratégia. O Michael é o cara mais duro que enfrentei, sou fã desse cara desde sempre. Ele é exemplo de que trabalho duro compensa”, afirmou.

O último combate do canadense foi em 16 de novembro de 2013, quando defendeu o cinturão dos meio-médios pela nona vez e venceu Johny Hendricks na decisão dos juízes. Após aquela luta, ele surpreendeu ao anunciar a aposentadoria dos octógonos.

Desde então, um possível retorno foi diversas vezes especulado. A volta só aconteceu neste domingo, quase quatro anos depois da despedida e direto na disputa de cinturão de uma categoria acima da que se consagrou. Que retorno para GSP.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!