Topo

MMA

Rival de Amanda é obrigada a voltar a lutar e brasileira critica: "Triste"

Buda Mendes/Zuffa LLC/Getty Images
Amanda Nunes castigou o rosto de Raquel Pennington no UFC 224 Imagem: Buda Mendes/Zuffa LLC/Getty Images

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

13/05/2018 04h34

Um episódio na principal luta do UFC 224, neste sábado, no Rio de Janeiro, marcou o duelo entre Amanda Nunes e Raquel Pennington. No intervalo entre o quarto e o quinto round, a transmissão da TV flagrou a americana alegando ao treinador que não tinha mais condições de voltar para octógono por conta de uma fratura no nariz. O técnico, então, teria obrigado a lutadora a retornar.

Na entrevista coletiva após o evento, a brasileira, que é muito amiga de Pennington, criticou o treinador da adversária.

“É triste porque poderia evitar. Ela agora foi para o hospital. Deve ser uma lesão grave. Já pedi a Nina (sua namorada) para mandar mensagem. Se precisar de alguma coisa estou aqui. Se ela não estava em condições de lutar, o treinador tinha que jogar a toalha. Se fosse comigo, meu treinador não deixaria. Agora ela tem que se cercar de pessoas que realmente querem o bem dela”, declarou.

Segundo Amanda Nunes, no momento que ela encaixou o soco já percebeu que Pennington havia se lesionado gravemente.

“Assim que dei o soco já vi que o nariz tinha quebrado e passei a explorar isso. É triste, mas eu tinha que manter meu cinturão. Ali virou meu ponto. Eu vi que ela estava bem machucada. Eu olhava para ela e sabia que já tinha acabado, mas luta é luta e eu tinha que continuar no foco. Mas era para ele (treinador) ter escutado ela. É importante essa amizade do treinador, ele entender a atleta. Espero que ela, daqui para frente, esteja com pessoas que realmente a entendem e estejam com ela 100%”, alfinetou.

Considerando ter sido a luta mais difícil de sua carreira justamente pelo grau de amizade, Amanda Nunes lamentou não poder tomar uma cerveja com a americana após a luta:

“Eu queria tomar uma cerveja com ela mas, infelizmente, vai ficar para uma próxima”, disse a brasileira.

Soberana no UFC feminino, Amanda Nunes não descarta uma luta casada com a brasileira Cris Cyborg, mas agora quer um tempo para descansar e ficar com sua família no Brasil.

“Depois dessa vitória eu quero voltar a ver minha família, dar um tempo. Já tem um tempo que não passo com minha família. Minha avó está doente e esse é um momento que vou tirar um tempinho para ficar pertinho. Fiquei longe por conta de um sonho e agora conquistado vou passar um tempo com eles, depois voltar para os EUA e me reunir com meus treinadores. Essa união está dando muito certo”, complementando sobre Cyborg: “Seria uma luta interessante com certeza”.