Topo

MMA

Por fama, rival de Dos Anjos aposta em atrizes pornô e piadas com Brasil

Leandro Bernardes/Framephoto
Colby Covington provoca torcida após vencer Damian Maia Imagem: Leandro Bernardes/Framephoto

Vanderson Pimentel

Do UOL, em São Paulo

09/06/2018 04h00

A ascensão de Conor McGregor fez com que o trash talk (provocações e ofensas) se popularizasse no UFC com mais evidência do que nas épocas de Chael Sonnen, Nick Diaz e Michael Bisping. Um dos maiores expoentes da nova geração de falastrões é Colby Covington, que neste sábado (9) enfrenta Rafael dos Anjos pelo cinturão interino dos meio-médios no UFC 225.

Covington chegou a ser um lutador condecorado no wrestling universitário, representando a faculdade de Oregon. Apesar de uma carreira sólida no UFC, com 13 vitórias e uma derrota, o lutador ainda carece de popularidade no MMA. Entretanto, nem mesmo a quarta colocação no ranking dos meio-médios após vitórias contra Dong Huym-Kim e Demian Maia e os insultos fizeram ‘Chaos’ engrenar no gosto dos fãs.

Ao contrário de outros lutadores, que usam o microfone e suas redes sociais como uma forma de irritar os adversários, o americano foi um pouco além. Logo após derrotar Demian Maia em outubro do ano passado, ‘Chaos’ chamou os brasileiros que compareceram ao Ginásio do Ibirapuera de "animais imundos", gerando inúmeras vaias e xingamentos.

Mesmo publicando um pedido de desculpas horas depois, Covington foi criticado até mesmo por seus parceiros brasileiros de treinos na American Top Team, como Antônio Silva e Pedro Munhoz. "Colby treina na minha equipe, mas foi um FDP (filho da p***) ao falar mal dos brasileiros. Ele treina com brasileiros e respeito é tudo na vida de um ser humano", escreveu Pezão, que não luta mais pela organização.

Para aumentar o número de 33 mil seguidores no Twitter e 65 mil no Instagram (Dos Anjos possui 174 mil e 549 mil fãs, respectivamente, em suas redes sociais), Colby aliou montagens zombando de lutadores como Tyron Woodley, Mackenzie Dern e Darren Till a atrizes pornôs.

Em seu Instagram, o lutador compartilha fotos e vídeos bebendo champanhe em uma jacuzzi e até passando chantilly em mulheres. Além de exaltar sua "masculinidade tóxica", 'Chaos' também lançou um prêmio NerdBash, em que faz uma espécie de bullying com seus rivais e seguidores.

Até mesmo Donald Trump serve de inspiração para Colby. O lutador fez uma alusão ao slogan "Make America Great Again (Torne a América Grande Novamente, em inglês)" usado na campanha do presidente do EUA, e criou o "Make Welterweight Great Again (Torne os Meio-Médios Grandes Novamente)", como forma de trazer o público norte-americano a seu favor.

Não é só trash talk

Entretanto, Covington não chegou à disputa do cinturão interino da categoria somente pela língua afiada. 'Chaos' apresenta ótimo condicionamento físico em seus combates e compensa o boxe mediano com predomínio na luta agarrada. Com um percentual de 88% de defesas de queda, que aumentaram após a vitória contra Demian, o lutador só fica atrás do campeão linear Tyron Woodley, que evitou 95% das tentativas de ser colocado no chão do octógono do UFC.

De suas 13 lutas no MMA, apenas duas foram vencidas por nocaute técnico. Covington ganhou seis combates por submissão e outros seis por decisão unânime. A única derrota em sua carreira foi para o também brasileiro Warlley Alves, que o finalizou com uma guilhotina, no UFC 194, em dezembro de 2015.

O que Rafael dos Anjos espera?

Rival de Colby neste sábado, Rafael dos Anjos promete não cair nas provocações do americano para buscar o cinturão interino do UFC. "Acho que as pessoas fazem o marketing que querem. Eu sou profissional. Eu faço minha luta dentro do ringue. Não caio nessas pilhas", garantiu ao UOL Esporte.

Desafiante número 1 do ranking dos meio-médios, Rafael dos Anjos pode ser o único brasileiro na história a conseguir o cinturão da categoria no UFC. Além de mostrar suas habilidades no chão e na trocação, o carioca de 33 anos também terá de controlar a mente para não se expor às provocações de um americano que não vê limites em falar mal do Brasil. Às vezes de forma até exagerada.

CARD PRINCIPAL

Peso-médio: Robert Whittaker x Yoel Romero
Peso-meio-médio: Rafael dos Anjos x Colby Covington
Peso-pena: Holly Holm x Megan Anderson
Peso-pesado: Andrei Arlovski x Tai Tuivasa
Peso-meio-médio: Mike Jackson x CM Punk

CARD PRELIMINAR

Peso-pesado: Alistair Overeem x Curtis Blaydes
Peso-palha: Cláudia Gadelha x Carla Esparza
Peso-pena: Ricardo Lamas x Mirsad Bektic
Peso-pesado: Rashad Coulter x Chris de la Rocha
Peso-meio-pesado: Rashad Evans x Anthony Smith
Peso-mosca: Joseph Benavidez x Sergio Pettis
Peso-leve: Clay Guida x Charles do Bronx
Peso-pena: Mike Santiago x Dan Ige

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!