UOL Esporte Natação
 
27/06/2010 - 12h53

Cielo crava melhor marca do ano nos 50 m livre e quebra "recorde" de Popov

Do UOL Esporte
Em São Paulo

Depois de terminar os 100 m nado livre apenas na quinta colocação no sábado, no Open de Paris, o brasileiro César Cielo brilhou neste domingo, cravou 21s55 e superou o recorde mundial dos 50 m livre (21s64) que o russo Alexander Popov estabeleceu em 2000, antes da chegada dos 'supermaiôs'. De quebra, alcançou a melhor marca dos 50 m nesta temporada.

Estes 'supermaiôs', responsáveis por várias quebras de recordes mundiais no ano passado, foram proibidos pela Federação Internacional de Natação (Fina) para a temporada de 2010, e as referências de tempos recuaram à era das sungas.

"Finalmente abaixo dos 21s64. Até mais cedo do que eu esperava na temporada. Obrigada a todos que torceram. Agora posso dizer que sou o primeiro a nadar abaixo do tempo do Popov", comemorou César Cielo.

Fred Bousquet era o dono do menor tempo da prova nesta temporada, com 21s71. A melhor marca de Cielo nos 50 metros em 2010, sem o supermaiô, era de 21s80, tempo feito no Maria Lenk, no mês de maio.

As outras duas medalhas da prova ficaram com os franceses. Fabien Gilot conseguiu a marca de 21s83 e terminou em segundo, enquanto o ex-recordista Bousquet nadou apenas cinco centésimos abaixo dos 22s, ficando em terceiro. A prova não contou com Alain Bernard, que sequer classificou para as finais.

Phelps

Michael Phelps confirmou o favoritismo na prova dos 200 m medley e conquistou a medalha de ouro com o tempo de 1m58s95. Já nos 200 m livre, Phelps ficou na terceira colocação. O multicampeão fez a prova em 1m47s54, contra 1m46s30 do francês Yannick Agnel, primeiro colocado.

No sábado, Michael Phelps venceu os 200 m borboleta, mas ficou na última colocação nos 100 m nado livre. O nadador norte-americano, apesar dos dois ouros conquistados, deixa a competição insatisfeito com seu rendimento nas provas de nado livre, nas quais não faturou nenhuma medalha.

"Se estou chateado? Sim, muito. Quando estou chateado, acho que é o melhor momento para eu continuar tentando e usar isso como motivação. Eu sou o único que pode corrigir isso", analisou Phelps, que em seguida admitiu ter 'relaxado nos treinamentos'.

"Estou muito desapontado, mas foi tudo culpa minha. Eu sei que não fiz os treinamentos quando precisava, na hora certa", completou.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host