Topo

Esporte


Corte mundial recebe pedido de suspensão para Cielo em caráter de urgência

Nicholas (e), Cielo (c) e Henrique (d) usaram diurético que esconde outras substâncias - Marlene Bergamo/Folhapress
Nicholas (e), Cielo (c) e Henrique (d) usaram diurético que esconde outras substâncias Imagem: Marlene Bergamo/Folhapress

Do UOL Esporte

Em São Paulo

08/07/2011 13h30

A Corte Arbitral do Esporte (CAS) recebeu nesta sexta-feira o pedido formal da Federação Internacional de Natação (Fina) requisitando uma suspensão para Cesar Cielo e os outros três brasileiros pegos no doping. A Fina também ressaltou o caráter de urgência do caso para que a eventual pena seja definida antes do Mundial de Xangai (as provas de natação começam no dia 24 de julho).

CIELO PODE SER JULGADO NEGLIGENTE E PEGAR ATÉ SEIS MESES DE SUSPENSÃO

  • Se a lógica usada pela Federação Internacional de Natação (Fina) for mantida, Cesar Cielo e os outros nadadores que testaram positivo no exame antidoping podem ficar preocupados. Para a entidade internacional, usar produtos feitos em farmácias de manipulação caracteriza negligência por parte do atleta. E foi exatamente o caso do quarteto Cielo, Henrique Barbosa, Nicholas Santos e Vinicius Waked.

    No ano passado, quando Daynara de Paula foi suspensa por seis meses pela Fina, ela foi considerada imprudente por ingerir cápsula produzida em farmácia de manipulação. O exame antidoping da nadadora apontou a presença de furosemida, o mesmo diurético que apareceu nos testes de Cielo e cia.

“A Fina requisitou que as advertências aplicadas pela CBDA [Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos] sejam substituídas por um período de suspensão e que os resultados obtidos desde a realização do exame sejam anulados”, informou a CAS.

Se isso for acatado, Cielo perderá, por exemplo, as três medalhas de ouro que conquistou em junho no Aberto de Paris, torneio que a delegação brasileira usou como preparação para o Mundial após um período de treinos em Londres. Ele venceu os 50m e 100m livre e os 50m borboleta e fez o melhor tempo do ano nas duas provas de menor distância.

A Fina também ressaltou que precisa da decisão da CAS com urgência. Afinal, Cesar Cielo é o atual campeão mundial dos 50m e 100m livre e tentará defender os títulos em Xangai. No entanto, se uma suspensão for definida depois do torneio na China, seus resultados serão anulados. Cielo precisa concordar com a urgência do painel da CAS e correr o risco de sequer competir.

“Se todas as partes concordarem com o procedimento acelerado, um calendário será estabelecido para que a decisão tomada pela CAS seja conhecida até o dia 24 de julho. Até lá, a CAS não comentará mais esse caso”, esclareceu a corte arbitral sediada na Suíça.

Cielo, Henrique Barbosa, Nicholas Santos e Vinicius Waked testaram positivo para o diurético furosemida em exame antidoping realizado no Troféu Maria Lenk, no início de maio. O quarteto admitiu o uso de um suplemento de cafeína que, segundo eles, foi contaminado por furosemida na farmácia de manipulação que o produziu.

O DOPING DE CIELO

O painel da CBDA

Nesta sexta-feira, a CBDA chocou o mundo esportivo brasileiro ao anunciar que o campeão olímpico Cesar Cielo tinha sido flagrado em exame antidoping durante o Troféu Maria Lenk, no início de maio. Além dele, Nicholas Santos, Henrique Barbosa e Vinícius Waked foram flagrados.

Vilão em cápsulas de cafeína

A substância encontrada foi o diurético furosemida, que faz parta da lista proibida porque pode mascarar a presença de outras substâncias. A defesa usada pelos nadadores foi que as cápsulas de cafeína usadas por Cielo tinham sido contaminadas. Os outros três atletas usaram a mesma substância, por confiança no material do campeão olímpico.

Farmácia admite contaminação

Para corroborar com sua versão, Cielo apresentou um laudo da farmácia de manipulação que elaborou as cápsulas, admitindo a contaminação com diuréticos. Sandra Soldan, chefe de antidoping da CBDA, confirmou que exames mostraram, além da furosemida, outro diurético – e que as amostras dos atletas não apontavam o perfil de quem usou a substância para perder líquidos.

Fina tem 20 dias para contestar

Após a análise do caso, a CBDA puniu os atletas apenas com uma advertência. Os documentos da audiência foram, então, enviados para a Fina (Federação Internacional de Natação). Agora, o órgão máximo da modalidade tem 20 dias para analisar o caso. A entidade ainda pode pedir novas informações para a CBDA e mudar a punição. Caso concorde com a punição aplicada pelos brasileiros, o caso será arquivado.

Terno, gravata, seguranças e provérbios

Cesar Cielo falou sobre o exame positivo de doping anunciado nesta sexta-feira. Sem responder perguntas, leu uma declaração repetindo argumentos da nota oficial. Ele chegou com Nicholas Santos e Henrique Barbosa, de terno e cercados por seguranças do hotel. Assim que Cielo terminou de ler o documento com sua declaração, cheia de provérbios ("quem não deve não teme", "a verdade sempre aparece" e " o que não te derruba te fortalece"), os três se dirigiram para o elevador em silêncio.

Mundial pesou para advertência?

Ao comentar o caso, dois dos médicos que participaram do painel da CBDA que advertiu os nadadores mostraram opiniões divergentes sobre a punição. Sandra Soldan, responsável pelo controle antidoping da Confederação, disse que “seria descabido fazer os meninos perderem o Mundial por causa disso. Esse fator [a proximidade do Mundial] e as provas contaram”. Já o especialista Eduardo de Rose falou que “[a proximidade do Mundial] Não interferiu em coisa nenhuma. A Sandra [Soldan] fala o que quer”.

Omissão da Fina?

Cesar Cielo nadou o Aberto de Paris sem saber do resultado positivo para o uso de furosemida. No entanto, a CBDA já havia informado a Fina antes da competição em que o campeão olímpico faturou três ouros em três provas disputadas e cravou as melhores marcas do ano nos 50m borboleta e nos 100m livre.

Relatório da farmácia

Um documento enviado pela farmácia de manipulação Anna Terra à Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) gerou desencontro de informações sobre o doping de Cesar Cielo. A médica Sandra Soldan disse na sexta que o estabelecimento assumiu o erro. Segundo Eduardo de Rose, integrante da Wada (Agência Mundial Antidoping), só a divulgação desse relatório ao público poderia encerrar possíveis dúvidas sobre a pena branda ao atleta, que recebeu apenas uma advertência.

Perdas de índices

O resultado positivo no doping custou a Henrique Barbosa e a Nicholas Santos suas vagas no Mundial de Esportes Aquáticos de Xangai, entre 16 e 31 de julho. Os nadadores foram excluídos da equipe brasileira nesta segunda-feira

 

Mais Esporte