Topo

Esporte


Cielo foge da imprensa e não vai para o Mundial com seleção

Após doping, Cielo corre risco de ser punido e pode nem disputar o Mundial de Xangai com a seleção - Marlene Bergamo/Folhapress
Após doping, Cielo corre risco de ser punido e pode nem disputar o Mundial de Xangai com a seleção Imagem: Marlene Bergamo/Folhapress

Gustavo Franceschini

Em Guarulhos (SP)

11/07/2011 01h52

Cesar Cielo era aguardado no aeroporto de Cumbica para embarcar para o Mundial com seleção de natação, mas não deu as caras. Ao contrário do que previram sua assessoria pessoal e a assessoria da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), o melhor velocista do mundo não foi para o período de aclimatação em Macau no mesmo voo de seus colegas, que viajaram na madrugada de domingo para segunda.

O recordista mundial dos 50m livre e dos 100m livre, a princípio, estava confirmado para ir em um voo da Qatar Airways para Doha, no Qatar. De lá, a seleção faria uma escala em Hong Kong para então chegar em Macau, para uma semana de treinos antes do Mundial de piscina longa em Xangai.

Nadadores como Felipe França, Kaio Márcio, Bruno Fratus, Leonardo de Deus e Daynara de Paula, entre outros, compareceram no horário marcado em Cumbica. Cielo, no entanto, não apareceu.

Dois nadadores confirmaram à reportagem do UOL Esporte que Cielo e seu treinador, Alberto Silva, haviam embarcado no sábado. Ricardo de Moura, superintendente técnico de natação da CBDA, está em Macau desde o fim da semana passada.

A entidade não tinha assessores de imprensa ou dirigentes responsáveis no aeroporto em Guarulhos. O médico Marcos Bernhoeft ficou encarregado de entregar as passagens para os atletas, aguardou a chegada de Cesar Cielo. Bernhoeft chegou a exibir as passagens emitidas no nome do nadador para alguns repórteres, e disse não ter sido informado sobre uma possível viagem no sábado.

“Não sei dizer [o que aconteceu]. Ele poderia até estar lá dentro, porque eles recebem uma cópia dessa passagem pela internet. Eu sei que ele não está porque eu estou aqui desde o começo. Eu acho que ele deve ter ido em algum voo antes ou que ele ainda vai”, disse Bernhoeft.

A assessoria de imprensa da CBDA que já está em Macau foi contatada, e também informou desconhecer uma mudança nos planos de Cielo.

O nadador está sob pressão por ter testado positivo para furosemida no trofeu Maria Lenk, no início de maio. Advertido pela CBDA, Cielo viu a Fina pedir uma pena maior à Corte Arbitral do Esporte (CAS), que pode fazer um julgamento de emergência em Xangai, onde acontecerá o Mundial. Caso pegue mais de seis meses, o nadador não poderá competir nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012. 

O DOPING DE CIELO

O painel da CBDA

A CBDA chocou o mundo esportivo brasileiro ao anunciar que o campeão olímpico Cesar Cielo tinha sido flagrado em exame antidoping durante o Troféu Maria Lenk, no início de maio. Além dele, Nicholas Santos, Henrique Barbosa e Vinícius Waked foram flagrados.

Vilão em cápsulas de cafeína

A substância encontrada foi o diurético furosemida, que faz parta da lista proibida porque pode mascarar a presença de outras substâncias. A defesa usada pelos nadadores foi que as cápsulas de cafeína usadas por Cielo tinham sido contaminadas. Os outros três atletas usaram a mesma substância, por confiança no material do campeão olímpico.

Farmácia admite contaminação

Para corroborar com sua versão, Cielo apresentou um laudo da farmácia de manipulação que elaborou as cápsulas, admitindo a contaminação com diuréticos. Sandra Soldan, chefe de antidoping da CBDA, confirmou que exames mostraram, além da furosemida, outro diurético – e que as amostras dos atletas não apontavam o perfil de quem usou a substância para perder líquidos.

Fina tem 20 dias para contestar

Após a análise do caso, a CBDA puniu os atletas apenas com uma advertência. Os documentos da audiência foram, então, enviados para a Fina (Federação Internacional de Natação). Agora, o órgão máximo da modalidade tem 20 dias para analisar o caso. A entidade ainda pode pedir novas informações para a CBDA e mudar a punição. Caso concorde com a punição aplicada pelos brasileiros, o caso será arquivado.

Terno, gravata, seguranças e provérbios

Cesar Cielo falou sobre o exame positivo de doping anunciado nesta sexta-feira. Sem responder perguntas, leu uma declaração repetindo argumentos da nota oficial. Ele chegou com Nicholas Santos e Henrique Barbosa, de terno e cercados por seguranças do hotel. Assim que Cielo terminou de ler o documento com sua declaração, cheia de provérbios ("quem não deve não teme", "a verdade sempre aparece" e " o que não te derruba te fortalece"), os três se dirigiram para o elevador em silêncio.

Mundial pesou para advertência?

Ao comentar o caso, dois dos médicos que participaram do painel da CBDA que advertiu os nadadores mostraram opiniões divergentes sobre a punição. Sandra Soldan, responsável pelo controle antidoping da Confederação, disse que “seria descabido fazer os meninos perderem o Mundial por causa disso. Esse fator [a proximidade do Mundial] e as provas contaram”. Já o especialista Eduardo de Rose falou que “[a proximidade do Mundial] Não interferiu em coisa nenhuma. A Sandra [Soldan] fala o que quer”.

Omissão da Fina?

Cesar Cielo nadou o Aberto de Paris sem saber do resultado positivo para o uso de furosemida. No entanto, a CBDA já havia informado a Fina antes da competição em que o campeão olímpico faturou três ouros em três provas disputadas e cravou as melhores marcas do ano nos 50m borboleta e nos 100m livre.

Relatório da farmácia

Um documento enviado pela farmácia de manipulação Anna Terra à Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) gerou desencontro de informações sobre o doping de Cesar Cielo. A médica Sandra Soldan disse na sexta que o estabelecimento assumiu o erro. Segundo Eduardo de Rose, integrante da Wada (Agência Mundial Antidoping), só a divulgação desse relatório ao público poderia encerrar possíveis dúvidas sobre a pena branda ao atleta, que recebeu apenas uma advertência.

Perdas de índices

O resultado positivo no doping custou a Henrique Barbosa e a Nicholas Santos suas vagas no Mundial de Esportes Aquáticos de Xangai, entre 16 e 31 de julho. Os nadadores foram excluídos da equipe brasileira nesta segunda-feira

 

Mais Esporte