Esporte

Bi mundial, Etiene vê doping como página virada: "Sabia do meu caráter"

Fábio Aleixo e Leandro Carneiro

Do UOL, em São Paulo

15/12/2016 06h00

Ao bater na frente de Katinka Hosszu na noite do último sábado e conquistar o bicampeonato mundial dos 50m costas em piscina curta, Etiene Medeiros colocou fim em uma temporada que dificilmente sairá de sua memória. Em um ano para lá de agitado, conseguiu defender o título ganho há dois anos em Doha (QAT), fez no Rio de Janeiro a primeira participação olímpica de sua carreira e ainda provou na Justiça que seu caso de doping não passou de um erro em procedimento e não má fé.

"Foi um ano de muitas emoções, muita alegria e muita tristeza. Sempre fui e sempre serei muito positiva. 2016 posso fazer levantamento e dizer que foi superação total. Não só em relação ao doping, mas também em relação da vida. Eu me senti muito plena e preparada para encarar os obstáculos e tudo foi resolvido da melhor maneira e dei a volta por cima. Estou acabando o ano muito bem. Foi de superação", afirmou em entrevista exclusiva no estúdio do UOL.

O obstáculo - leia-se doping - quase a tirou da Olimpíada. Em um exame surpresa fora de competição foi pega com a substância fenoterol contida em um remédio para asma. No Tribunal, conseguiu provar que fazia uso terapêutico e comprovou erro médico. Foi absolvida e pôde seguir normalmente a temporada.

"Foi situação difícil, mas sabia o que fiz e do meu caráter. Consegui provar da melhor maneira. Isso é uma página virada, estou muito feliz com o que consegui (bi mundial). Se carimbou ou não (a carreira), cada um vai definir. Estou tranquila e sigo em frente", afirmou a atleta de 25 anos.

Na entrevista, Etiene falou mais sobre a conquista do Mundial, seus próximos desafios e apostou que Cesar Cielo voltará a nadar em breve.

Flavio Florido/COB
Imagem: Flavio Florido/COB

Mundial de Piscina Curta é importante sim

Apesar de a piscina curta (de 25 m) não ser a usada na Olimpíada, Etiene valoriza muito a conquista que teve em Windsor (CAN) e não concorda com quem desmereça a relevância do torneio.

"Cada competição, seja Olimpíada, Copa do Mundo, Mundial de Longa e Curta tem seu brilho. Não é de piscina oficial, mas é um Mundial. Se não valesse, ninguém estaria lá competindo. Sou grata de ter este resultado. Para estar em Olimpíada, você tem de competir em provas olímpicas e consegui vários índices neste ano. São fases e fases. Você tem que estar feliz, mas sou tranquila quanto a críticas. Fui lá e conquistei. Não é qualquer um que conquistou. Me sinto grata, sendo mundial de curta ou longa".

Motivação para seguir competindo após a Olimpíada

Na Olimpíada do Rio, Etiene teve como melhor resultado a oitava colocação na final dos 50 m livre. E isso também a motivou para seguir competindo no ano, diferentemente do que fizeram outros nadadores brasileiros. Bruno Fratus e Thiago Preira, por exemplo, abriram mão do Mundial e tiraram um período sabático.

"Foi minha primeira Olimpíada. Melhorei muita coisa lá e outras não deram certo. Acabar com final olímpica foi muito legal. Saindo de lá, eu queria jogar tudo para o alto, mas atleta de alto rendimento não tem de pensar assim, e aprendi isso com meu técnico. Quis continuar porque se não tivesse um objetivo eu iria ficar muito cômoda, o que não é legal para o próximo ciclo. Tem que criar vários objetivos a curto prazo para buscar motivação e é isso que move o atleta para ter resultado diferenciado. Sou movida a pequenos desafios e depois da Olimpíada me foquei 3, 4 meses no Mundial porque queria defender o título".

Etiene quer mulheres mais focadas

A pernambucana se transformou na grande expoente da natação feminina e também a única que tem sido capaz de dar resultados em grandes competições - como o ouro no Pan de 2015, por exemplo. Etiene diz não ter um peso extra nas costas por causa disso, mas espero que mais mulheres surjam para dividir a responsabilidade. Ela, entretanto, crê que ainda falta foco para muitas atletas.

Gregory Shamus/Getty Images/AFP
Imagem: Gregory Shamus/Getty Images/AFP

"Eu me sinto mais responsável e compromissada pelos resultados da natação feminina e geral. Tenho de abraçar isso e estou abraçando. Tenho de inspirar os outros, os mais novos que estão vindo, tentar sempre ajudar. A natação precisa evoluir em muitos aspectos, eu também preciso evoluir. Eu sou muito tranquila quanto à pressão e peso. Crio pressão dentro de mim, mais do que de outras pessoas da área externa. Não é fácil ter resultados destes, você precisa ter muito objetivo e foco. Acho que é o ponto que as mulheres precisam melhorar. Também ter foco e comprometimento com seu estafe, fisioterapeuta. Se isso melhorar, vamos ter mais resultados. Não é de um dia para outro que vai acontecer em nossa natação, mas que as pessoas estejam mais compromissadas e venham mais resultado futuramente".

Aposta que Cielo vai voltar em breve às piscinas

SERGIO MORAES/REUTERS
Imagem: SERGIO MORAES/REUTERS

Etiene disse ser uma grande admiradora de Cesar Cielo e lamentou o fato de não poder ter disputado uma Olimpíada ao seu lado. Ela apostou também que o nadador retornará brevemente às piscinas de forma competitiva. Em outubro, ele anunciou um período sabático após não ter participado da Rio-16 por ser superado nas classificatórias por Bruno Fratus e Ítalo Manzine.

"Ele sempre será um ídolo para nós, é campeão dos Jogos Olímpicos. Minha primeira seleção foi com ele, sempre tive relação muito boa com ele. Acredito que ele vai voltar, só está dando tempo para ele mesmo, está em uma fase diferenciada. Se ele voltar será muito bom. Sonhava em participar de Jogos Olímpicos com ele. A figura dele é questão diferenciada na nossa seleção, mas todos tem seus direitos e foi estabelecida uma meta e índices. E naquele momento, o Ítalo e Bruno Fratus estavam melhores. Foi uma pena claro, a cena no Maria Lenk (Cielo chorando) foi difícil, mas os outros dois estavam melhores".

Etiene não quer se envolver em política e problemas da CBDA

A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) passa por um momento complicado, com denúncias contra o presidente Coaracy Nunes - chegou a ser afastado do cargo e depois voltou - e a possibilidade da diminuição de cerca de 50% da verba dos Correios, o principal patrocinador. A eleição no próximo ano também deixa o cenário mais nebuloso. Mas Etine procura não quer se envolver nestes problemas.

"Sabemos que é um momento difícil para natação. Mas acredito quer irá melhorar. Procuro ver por este lado. Conversamos entre os atletas e queremos que seja exposta a verdade. Fico distante em relação a isso. Sou do bem e não misturo as coisas. Eu tenho metas e metas, e ficar distante me faz bem. Meu objetivo é não ir para este lado. Objetivo descansar para chegar bem nas competições. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo