UOL Esporte Natação
 
08/05/2009 - 11h58

Cielo garante vaga nos 50 m borboleta, mas pode ceder vaga a Kaio Márcio

Bruno Doro*
No Rio de Janeiro
"É prova de velocidade, estou nadando". Com essa máxima, César Cielo provou nesta sexta-feira, mais uma vez, que é o nadador mais rápido do país. Nos 50 m borboleta, ele quebrou o recorde sul-americano e garantiu a vaga no Mundial de Roma, em julho. Priorizando as provas de nado livre e os revezamentos, porém, ele pode desistir da prova e deixar a vaga para Kaio Márcio, que marcou o terceiro melhor tempo brasileiro em uma tomada de tempo, após as finais.

Sátiro Sodré/CBDA/Divulgação
Nos 50 m borboleta, Cielo quebrou recorde sul-americano e garantiu vaga no Mundial
Sátiro Sodré/CBDA/Divulgação
Sozinho, Kaio Márcio nadou em 23s44, ficou atrás de Nicholas Santos e sem vaga
PROBLEMAS COM OS SUPERMAIÔS
JOANNA ESTÁ DE MALAS PRONTAS
FOTOS DAS COMPETIÇÕES DE SEXTA
LEIA MAIS NOTÍCIAS SOBRE NATAÇÃO
O tempo de Cielo de 23s42. "Essa competição esta mostrando que eu posso me recuperar mentalmente. No primeiro dia, eu fiquei bem chateado, mas no segundo, eu já estava superbem de novo. É uma prova que o corpo está bem preparado", comemorou o campeão olímpico dos 50 m livre.

Apesar da comemoração pela vaga, ele quer nadar apenas duas prova individuais no Mundial, além dos revezamentos. O Brasil tem vaga nos três revezamentos, 4x100 m livre e medley e 4x200 m livre.

Com isso, uma das vagas no Mundial na prova pode ficar com Kaio Márcio de Almeida, que fez o terceiro melhor tempo das eliminatórias, mas não nadou a final. Kaio está sem clube desde o início do ano, quando passou a treinar no Rio de Janeiro. Ele nada diariamente na piscina do Flamengo, mas não defende o rubro-negro.

Nesta sexta, ele teve de entrar na piscina sozinho e, por um centésimo de diferença, ficou atrás de Nicholas Santos. O paraibano marcou 23s44, contra 23s43 de Santos na final. Medalha de prata, Nicholas só "secou" o rival e, após o fim da prova, pôde comemorar a vaga na prova. "Nadar sozinho é mais difícil", comentou Nicholas após assistir à prova de Kaio próximo à piscina.

"É claro que é decepcionante, mas já estou no mundial nos 100 m e agora tenho os 200 m borboleta para me concentrar. Entrei na água pensando que, se não acontecesse, tudo bem", disse Kaio. "O fato de nadar sozinho não atrapalha. O objetivo é o tempo e ele tem o direito igual a todos de conseguir isso. Então, com clube ou não, ele não sai prejudicado", completou sua treinadora, Rosane Carneiro.

Até então recordista sul-americano dos 50 m borboleta, com os 23s46 anotados durante as eliminatórias, Guilherme Roth não mostrou o mesmo desempenho da quarta-feira, mas terminou em terceiro, com 23s64. Ele só vai ao Mundial na prova se Cielo e Santos, especialistas nos 50 m e nos 100 m, desistirem. Roth dormiu como recordista porque na quinta-feira a cronometragem oficial falhou e o argentino Andres Gonzalez recebeu o crédito pelo recorde, mas nadou dois segundos acima da marca.

THIAGO PEREIRA RECUPERA VAGA NO REVEZAMENTO
Mesmo fora de forma, Thiago Pereira conseguiu mais uma vaga no Mundial. Nesta sexta-feira, ele abriu o revezamento 4x200 m do Minas com o tempo de 1min49s45. Com esse tempo, ficou com uma das quatro vagas do revezamento 4x200 m brasileiro no Mundial de Roma.

As outras são de Nicolas Oliveira, Rodrigo Castro e Lucas Salatta, que venceu os 200 m livre no Maria Lenk.

Na final do 4x200 m, disputada na manhã desta sexta, a Unisanta, apesar de Pereira, venceu a prova, com 7min21s11. O segundo lugar foi para o Minas, com 7min21s61. No feminino, o primeiro colocado foi o Pinheiros, com 8min14s50.
No feminino, Gabriella Silva e Daynara de Paula confirmaram favoritismo e presença no Mundial de Roma. Gabriella marcou o mesmo tempo das eliminatórias (26s18), que corresponde ao recorde sul-americano dos 50 m borboleta, e conquistou a medalha de ouro. Daynara deu trabalho à adversária e chegou logo atrás, com o tempo de 26s42. Ela também está classificada para a competição na Itália.

"Entrou muita água no meu maiô na saída e isso atrapalhou um pouco, porque fiquei mais pesada que o normal. Agora tenho que me concentrar para o Mundial e treinar para melhorar ainda mais este tempo", disse Gabriella. A decepção veio porque na final dos 50 m livre, ela nadou borboleta e marcou 25s75, que seria a terceira melhor marca do ano na prova.

200 m costas feminino

Sem o mesmo ritmo das eliminatórias e com o tempo de 2min13s26, Fernanda Alvarenga conquistou a medalha de ouro no Maria Lenk nos 200 m costas feminino, mas falhou na tentativa de conquistar a vaga no Mundial de Roma. Na quarta-feira, ela havia conquistado o recorde sul-americano, com 2min12s32. No entanto, o índice para o Mundial (2min11s20) seguiu sem ser atingido.

No masculino, em duelo equilibrado, Fernando Santos conquistou o ouro e, com 1min59s98, ficou próximo do índice para o Mundial na prova, em que o Brasil não tem representantes. A marca exigida para conquistar presença na competição na Itália era de 1min59s52.

* Atualizada às 12h41

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host