UOL Olimpíadas
BUSCA




RECEBA O BOLETIM
UOL ESPORTE
 

 
25/08/2004 - 10h06
Seleção feminina dos EUA chega à semifinal se poupando

Da Redação
Em São Paulo

Reuters 
Taurasi arremessa, apesar da marcação grega; veja álbum de fotos
A seleção feminina dos Estados Unidos não teve problemas para chegar às semifinais das Olimpíadas de Atenas. Com um passeio sobre a Grécia, por 102 a 72, o técnico Van Chancellor pode até descansar sua principais atletas no segundo tempo.

A vitória deixa os EUA a apenas duas partidas do terceiro título olímpico seguido. Desde 1996, quando derrotaram o Brasil na final, as norte-americanas não perdem uma partida nos Jogos.

A última derrota da seleção feminina norte-americana em Olimpíadas ou Mundiais foi justamente para a seleção brasileira. Há longínquos dez anos. Nas semifinais do Mundial da Austrália, em 1994, o time dos EUA entrou em quadra como o favorito, mas acabou derrotado por 110 a 107.

As donas da casa eram o time mais frágil que chegou às quartas-de-final. A classificação, aliás, foi heróica, vencendo o Japão nos últimos segundos. Os EUA, por sua vez, eram o mais forte, passando pela primeira fase sem ter seu poderio ameaçado em nenhuma vez.

O jogo foi tão fácil que os EUA conseguiram sua maior pontuação em Atenas, 102 pontos. Antes, os EUA só tinham chegados aos 100 pontos contra a China. Mesmo assim, o técnico norte-americano elogiou, e muito, a defesa da Grécia.

"Elas nos deram muito trabalho e nos fizeram fazer coisas que não éramos obrigados desde 2002. Em alguns momentos, simplesmente não conseguimos pará-las", disse Chancellor, se referiando ao primeiros minutos do primeiro quarto, o único momento do jogo em que a Grécia jogou de igual para igual com os EUA.

Lisa Leslie e Tina Thompson, as duas principais jogadoras dos EUA na primeira fase, jogaram só no primeiro tempo. Chancellor deu chances para que as reservas ganhassem ritmo de jogo.

Uma das mais exigidas foi a novata Diana Taurasi, que deve assumir o lugar da contundida Katie Smith. Ela foi a americana que jogou mais tempo, 25 minutos, e marcou 13 pontos.

A armadora Shannon Johnson foi a cestinha americana, com 21 pontos. Tina Thompson foi segunda maior pontuadora da equipe, com 20 pontos todos no primeiro tempo.

A Grécia só conseguiu fazer frenta às rivais no primeiro quarto. E mesmo assim, perderam o período por 27 a 19. A cestinha das donas da casa foi a armadora Anastasia Kostaki, com 26 pontos. "Ela foi incrível", disse Chancellor.

Veja também



22/11/2004
10h36 - WADA tem orçamento acrescido em US$ 1,47 milhão

19/11/2004
20h13 - Brasileiro fica em 25º no Mundial de luge e soma ponto para Turim

18/11/2004
13h22 - Polícia faz diligência em empresa responsável por Turim-2006

12/11/2004
19h31 - COB anuncia indicados ao Melhor Atleta do Ano

10h20 - Jogos de Atenas custaram mais de 9 bilhões de euros à Grécia

05/11/2004
08h59 - Chineses adotam data "da sorte" para abertura dos Jogos de 2008

04/11/2004
14h38 - Presidente de comitê dos Jogos de Turim vai pedir demissão

13h51 - Putin recebe no Kremlin 182 medalhistas russos em Atenas 2004

09h06 - Barcelona ajudará candidatura de Madri às Olimpíadas de 2012

02/11/2004
10h09 - Governo dará a Paris 2,5 bilhões de euros para campanha olímpica

Mais notícias