UOL Olimpíadas
BUSCA




RECEBA O BOLETIM
UOL ESPORTE
 

 
28/08/2004 - 05h50
Argentina vence Paraguai e conquista medalha de ouro histórica

Da Redação
Em São Paulo

A Argentina se tornou neste sábado, pela primeira vez, campeã olímpica de futebol masculino, uma conquista que tem o significado extra de ser a primeira medalha de ouro do país em Olimpíadas desde Helsinque-1952, quando triunfou no remo.

Reuters 
Tevez, o autor do gol do título e principal jogador da Argentina; veja álbum
A vitória sobre o Paraguai na final foi por apenas 1 a 0, mas serviu para coroar uma campanha perfeita, com seis vitórias em seis jogos, 17 gols marcados e nenhum tomado. A equipe teve ainda o artilheiro do torneio, Tevez, que marcou oito gols, incluindo o da partida decisiva.

A medalha de ouro foi também um alívio para um país que não tem uma conquista significativa no futebol adulto desde a vitória na Copa América-1993.

Foram dez anos de revezes: eliminações precoces nas Copas de 1994, 1998 e 2002, com direito a doping de Diego Maradona na de 1994; derrota para a Nigéria na final olímpica em Atlanta-1996 e não-classificação para Sydney-2000; e, por fim, derrota para a seleção B do Brasil na Copa América deste ano.

Para a disputa em Atenas, o técnico Marcelo Bielsa não quis arriscar seu pescoço e levou vários jogadores da seleção principal, mesmo com a limitação de poder usar apenas três atletas com mais de 23 anos. Dos 18 inscritos nos Jogos, 15 atuaram na Copa América em julho.

"Me sinto extremamente feliz", disse Bielsa, após a partida iniciada às 10h (4h em Brasília). "Não chorei. Mas não chorar não significa que não estou muito satisfeito. Ser campeão olímpico é muito especial, um sentimento único que não pode ser comparado a nada."

Por outro lado, Bielsa disse que a vitória não o "imuniza" no cargo (leia mais).

Com a conquista do ouro, os "hermanos" ganham um motivo para tirar sarro dos brasileiros, já que o Brasil nunca venceu o torneio olímpico de futebol, apesar de ter conquistado cinco Copas do Mundo, e a Argentina, só duas.

Para o Paraguai, a prata também foi histórica: foi a primeira medalha do país na história dos Jogos Olímpicos.

Além disso, em sua única participação anterior no torneio de futebol, em Barcelona-1992, o Paraguai parou nas quartas-de-final. Como daquela vez, os paraguaios obtiveram a vaga em um pré-olímpico no qual o Brasil foi eliminado.

O jogo
A seleção paraguaia entrou em campo sem seu principal atacante, Cardozo, que estava machucado. Já a Argentina repetiu a formação habitual, com três jogadores no ataque, Delgado, Tevez e Rosales.

Reuters 
Tevez, da Argentina, sofre marcação do paraguaio Gamarra em lance da final
Contra um adversário que abusou das faltas e terminou a partida com dois jogadores expulsos, a Argentina dominou as ações e chegou várias vezes com perigo ao gol de Diego Barreto.

Mas os atacantes argentinos desperdiçaram cinco ou seis grandes chances de gol -e chegaram a correr risco de tomar o empate no segundo tempo.

O gol do título saiu aos 17min, quando a Argentina só havia tido uma boa chance. Rosales recebeu pela direita e cruzou baixo. Tevez se antecipou aos zagueiros e, no primeiro pau, desviou a bola com um toque sutil.

O Paraguai tentou reagir e, aos 20min, teve sua melhor chance no primeiro tempo. Após falta pela esquerda, Gamarra desviou de cabeça o cruzamento na área e a bola saiu, passando perto da trave esquerda do goleiro Lux.

Depois, o Paraguai continuou jogando recuado, com a zaga fazendo linha na tentativa de deixar os argentinos impedidos. Nos contra-ataques, tentava cruzamentos para a área.

A Argentina forçou bastante o jogo pela direita, com Rosales, e contou com uma excelente atuação do perigoso atacante Tevez, que foi caçado em campo pelos paraguaios.

O time teve ainda uma boa chance aos 24min, num chute forte de Kily González que desviou na zaga, antes que o Paraguai iniciasse uma seqüência de faltas violentas.

Começou com o zagueiro Gamarra, que é conhecido por seu jogo limpo. Aos 30min, num lance longe da área, sem perigo de gol, o paraguaio deu uma cotovelada no rosto de Tevez. Jogadores argentinos cercaram o paraguaio e cobraram do juiz o cartão vermelho, mas Gamarra só levou o amarelo.

Aos 36min, Tevez foi novamento o alvo. O zagueiro Manzur lhe deu um chute na perna em uma dividida e também levou cartão amarelo. O paraguaio Esquivel ainda foi advertido com cartão aos 44min, após fazer falta em Rosales na lateral do campo.

A Argentina teve boas chances com chutes fortes de Delgado, aos 32min, e D´Alessandro, aos 41min.

Mas as melhores oportunidades foram depois. Aos 42min, o goleiro Barreto soltou bola cruzada no pé de Lucho Gonzalez, que chutou por cima do gol. Aos 45min, após cruzamento, a bola sobrou para Tevez, que chutou cruzado para grande defesa de Barreto.

No segundo tempo, o Paraguai foi mais ofensivo. Logo a 2min, Torres cobrou falta com perigo no canto direito de Lux, que defendeu sem soltar a bola.

A Argentina ainda teve, na seqüência, uma chance com Rosales, de cabeça. E, aos 14min, após escanteio pela direita, a bola foi desviada e sobrou livre no pé de Lucho Gonzalez, que chutou de primeira no corpo do goleiro Barreto.

Aos 18min, otécnico paraguaio Carlos Jara tirou Enciso e colocou o atacante Diaz, numa tentativa de levar o time ao ataque.

Mas, três minutos depois, fora do lance de jogo, o lateral Martinez deu cotovelada em D´Alessandro no meio-de-campo e foi expulso. D´Alessandro havia acabado de tocar a bola e passava por trás de Martinez.

Com um jogador a menos, o Paraguai manteve a pressão e perdeu um gol incrível aos 26min. Figueredo tabelou com Gimenez, entrou na área e, cara a cara com o goleiro, chutou em cima de Lux. No rebote, finalizou prensado.

A Argentina ainda levou perigo em contra-ataque, aos 28min, quando Delgado chutou com o gol vazio, e Gamarra correu para tirar a bola em cima da linha.

Mas a pressão Paraguaia acabou aos 37min, com a expulsão de Figueredo em um lance bobo. Num cruzamento, ele viu que não iria conseguir cabecear e levantou o braço para tocar a bola com a mão. Tomou seu segundo cartão amarelo e foi expulso.


Argentina
Lux; Ayala, Coloccini, Heinze; Mascherano, Kily Gonzalez, D'Alessandro, Lucho Gonzalez; Delgado (Clemente Rodriguez), Tevez, Rosales
Técnico: Marcelo Bielsa

Paraguai
Diego Barreto; Martinez, Manzur, Gamarra e Esquivel (Julio Gonzalez); Edgar Barreto, Enciso (Diaz), Torres e Figueredo; Gimenez e Bareiro
Técnico: Carlos Jara

Data: 28/08/2004 (sábado)
Local: Estádio Olímpico, em Atenas (GRE)
Árbitro: Kyros Vassaras (GRE)
Auxiliares: Philip Sharp (ING) e Martin Cryans (ESC)
Cartões amarelos: Gamarra, Manzur, Esquivel, Figueredo, Torres e Julio Gonzalez (PAR) e Kily Gonzalez (ARG)
Cartões vermelhos: Martinez e Figueredo (PAR)
Gol: Tevez, aos 17min do primeiro tempo
Público: 44 mil

Veja também




22/11/2004
10h36 - WADA tem orçamento acrescido em US$ 1,47 milhão

19/11/2004
20h13 - Brasileiro fica em 25º no Mundial de luge e soma ponto para Turim

18/11/2004
13h22 - Polícia faz diligência em empresa responsável por Turim-2006

12/11/2004
19h31 - COB anuncia indicados ao Melhor Atleta do Ano

10h20 - Jogos de Atenas custaram mais de 9 bilhões de euros à Grécia

05/11/2004
08h59 - Chineses adotam data "da sorte" para abertura dos Jogos de 2008

04/11/2004
14h38 - Presidente de comitê dos Jogos de Turim vai pedir demissão

13h51 - Putin recebe no Kremlin 182 medalhistas russos em Atenas 2004

09h06 - Barcelona ajudará candidatura de Madri às Olimpíadas de 2012

02/11/2004
10h09 - Governo dará a Paris 2,5 bilhões de euros para campanha olímpica

Mais notícias