! Pan-Americano de judô começa nesta quinta-feira em Salvador - 04/06/2003 - UOL Esporte - Judô
UOL EsporteUOL Esporte
UOL BUSCA


  04/06/2003 - 16h41
Pan-Americano de judô começa nesta quinta-feira em Salvador

Da Redação
Em São Paulo

Começa nesta quinta-feira, em Salvador, a disputa do Pan-Americano de Judô e do Campeonato Ibero-americano, no ginásio da Colônia de Férias do SESC, no bairro de Piatã.

Depois de 32 anos, o Brasil volta a sediar o Pan, numa verdadeira prévia dos Jogos Pan Americanos de Santo Domingo, que serão disputados em agosto. Estarão presentes em Salvador os 14 integrantes da seleção olímpica permanente (sete categorias, no masculino e no feminino), além dos judocas da superligeiro, peso não incluído em Olimpíadas ou Jogos Pan Americanos.

Haverá disputas tanto individuais quanto por equipes envolvendo 18 países, incluindo os melhores atletas dos EUA, Canadá, Venezuela e Argentina -os principais adversários inscritos no torneio.

Entre as grandes potências do judô nas Américas, somente Cuba não estará presente no campeonato em Salvador, que é a primeira das quatro competições que valem pontos no ranking de classificação para os Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004 -as demais são os Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo, em agosto, o Mundial de Judô, em setembro, no Japão, e um evento classificatório sul-americano na Argentina, em outubro.

Após os três dias de lutas do Pan (5, 6 e 7), será disputado no domingo, o Campeonato Ibero-Americano, com a presença das delegações participantes do Pan e mais a equipe da Espanha, que virá especialmente para a competição. Neste torneio, o Brasil será representado por atletas das seleção B e C, além de uma equipe do Norte-Nordeste. A seleção principal permanecerá em Salvador após o término das disputas, para três dias (9, 10 e 11) de treinamento de campo, que poderá contar com a presença de atletas estrangeiros.

O presidente da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), Paulo Wanderley, comemorou a volta do importante campeonato para o Brasil. "A última vez que sediamos o Pan foi em 1971, em Londrina. Em 2003, o evento servirá como teste para nossa equipe olímpica, que se apronta para os Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo. E a disputa do Ibero será muito importante para nossas seleções reservas, vamos manter os atletas em ritmo de competição contra judocas estrangeiros."

O Pan-Americano de Judô contará com a presença das delegações de Estados Unidos, Canadá, Equador, Colômbia, Venezuela, Uruguai, Guatemala, México, Barbados, Costa Rica, Chile, Argentina, Haiti, El Salvador, Porto Rico, Peru e República Dominicana.

A Confederação Brasileira de Judô (CBJ) vai premiar os atletas brasileiros que obtiverem medalhas no Pan de Salvador. Utilizando a verba destinada ao judô pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), através do patrocínio firmado com a Coca-Cola, a CBJ vai premiar os judocas que conquistarem o ouro com bônus de R$ 2 mil destinando R$ 1 mil aos medalhistas de prata e R$ 500 aos judocas que ganharem medalhas de bronze.

Os valores aumentam de acordo com a importância da competição. Assim, em Santo Domingo o prêmio será de R$ 3 mil, R$ 2 mil e R$ 1 mil respectivamente. No Mundial o título valerá R$ 5 mil, a prata R$ 3 mil e o bronze, R$ 2 mil. Haverá ainda R$ 1 mil para o quinto lugar e R$ 500,00 para a sétima colocação.

Preparação
O técnico Luiz Shinohara, da seleção brasileira masculina, ressaltou a importância dos treinamentos e competições internacionais a que os atletas brasileiros têm sido submetidos. Nos últimos dois anos, o intercâmbio internacional foi muito grande, permitindo aos melhores judocas do Brasil disputar os principais torneios do mundo, além de participar de treinamentos com equipes de ponta, como Holanda, Bélgica, Japão e Cuba.

"Estamos treinando bastante, enfrentando atletas com estilos bem diferentes do nosso, e o nível da equipe está elevado. Todas as categorias têm chances de medalha, tanto em Salvador quanto em Santo Domingo", afirma o treinador.

A santista radicada no Rio Tânia Ferreira, titular da seleção permanente na categoria leve, prevê um futuro sorridente para o judô brasileiro, citando a qualidade da preparação dos atletas:

"Temos que competir, sentir como estão os adversários, de olho no Pan de Santo Domingo. O Brasil está com uma preparação fantástica. Hoje somos uma equipe profissional, os atletas estão sentindo o respaldo da comissão técnica e da confederação e sabemos que não estamos mais sozinhos. Temos tudo para alcançar os melhores resultados", diz Tânia, já esperando um duelo difícil com a canadense Michelle Buckingan.

O médio paulista Carlos Honorato, medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Sydney, reflete o otimismo da equipe brasileira, sublinhando a importância da competição em Salvador. "Será uma grande preparação para o Pan-Americano em Santo Domingo. Vou estudar meus adversários, saber onde preciso melhorar. É um campeonato muito forte dentro do Brasil, bom para nossos atletas, e estamos bem preparados", diz Honorato.

A judoca paulista Cristina Sebastião, também na categoria médio, lamentou a ausência de Cuba, mas afirmou que o Pan de judô é uma das competições mais importantes do ano para os brasileiros.

"Ganhar com a presença de Cuba seria mais gostoso, mas não podemos menosprezar ninguém. Será uma prévia, uma chance de lutar para chegar bem a Santo Domingo. E não podemos esquecer que o torneio 'ranqueia' para os Jogos Olímpicos. Sabemos de nosso poder, mas todos os países estão correndo atrás", diz a atleta, lembrando que as equipes do México e da Venezuela passaram recentemente por períodos de treinos no Brasil.

O gaúcho João Derly, brasileiro que nos últimos anos vem se destacando em competições nacionais e internacionais na categoria ligeiro, resume o espírito da equipe. "Estamos com uma equipe homogênea, formada por atletas que ganharam medalhas em competições importantes. O Pan de Salvador será de alto nível em todas as categorias."


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
03/09/2007
Mais Notícias