FOTOS
Veja como foi
a cerimônia
de abertura



13h25 - 08/08/2003
Meligeni vence americano, está nas semifinais e assegura medalha

Murilo Garavello
Enviado Especial do UOL
Em Santo Domingo (República Dominicana)

O brasileiro Fernando Meligeni classificou-se para as semfinais do torneio masculino de tênis dos Jogos Pan-Americanos. Nesta sexta-feira, ele derrotou o norte-americano Jeff Morrison por 2 a 0, com parciais de 6-3 e 6-4.

Com esse resultado, Meligeni já garantiu uma medalha, pois não há disputa pelo terceiro lugar no tênis -os derrotados nas semifinais asseguram a medalha de bronze. Em busca de uma vaga na final, ele vai enfrentar o venezuelano Jose de Armas, que bateu o norte-americano Alex Bogomolov Jr. por 2 a 1, com 2-6, 6-2 e 6-3.

Após a partida, Meligeni, esbanjando felicidade, abraçou os membros da equipe brasileira de tênis em Santo Domingo. "Estou muito feliz porque consegui meu objetivo, que era encerrar minha carreira com uma medalha. Mas não sou uma pessoa que se contenta com pouco. Se fosse para me contentar com pouco, teria ficado em casa ou em Angra dos Reis, velejando com o meu pai. Quero encerrar minha carreira da melhor maneira possível e a melhor maneira possível é a medalha de ouro. Vou dar tudo que tenho para fechar meu ciclo com chave de ouro".

Para chegar à semifinal, Meligeni teve de lutar contra o estilo de forte saque (que chegou a 214 km/h) e voleio de Jeff Morrison, número 148 na Corrida dos Campeões. O americano também apostava em arriscar bastante. Assim, logo no terceiro game do primeiro set, Meligeni salvou dois break points.

"O cara não estava me deixando jogar. Eu estava com muito mais dificuldades para fechar meus games do que ele. Mas, no tênis, a gente sabe que um cara que saca e voleia muito sempre abre uma porta na hora de fechar os sets. É difícil que eles consigam manter o nível o tempo inteiro. E foi o que aconteceu. Ele me deu uma chance, eu agarrei e consegui vencer".

De fato, Meligeni quebrou o saque do rival no oitavo game do primeiro set, abrindo 5-3. Sacando, cheio de moral, fechou em 6-3. No segundo set, a história foi bem parecida. No nono game, com o jogo em 4-4, Meligeni aproveitou um break point, passou à frente e sacou para vencer por 6-4 o set e 2 a 0 o jogo. "Nesse último game, eu estava muito nervoso. Quase saquei por baixo", revelou o brasileiro.

No jogo, que durou pouco mais de uma hora, Meligeni exibiu todos os ingredientes que fizeram dele um dos tenistas mais carismáticos do circuito. Correu atrás de todas as bolas, mesmo algumas em que claramente não chegaria, gesticulou para a torcida, soltou gritos e caretas após erros e chegou até a falar com o adversário. "Tenho de usar a experiência e toda a catimba que puder para pressionar o rival. Cada um usa as armas que têm".

O brasileiro disse também que a principal mensagem que quer deixar é a persistência. "Perdi a medalha e Atlanta-1996, fiquei superchateado, mas continuo tentando", disse o brasileiro, referindo-se ao torneio olímpico em que foi eliminado nas semifinais pelo espanhol Sergi Bruguera e perdeu a disputa do bronze para o indiano Leander Paes. "Hoje, também precisei de muita persistência, já que o adversário joga melhor em quadra rápida. Era mais fácil para ele do que para mim jogar aqui. Mas fiquei, insisti, insisti e acabei ganhando".

Próximos rivais
O venezuelano Jose de Armas será o obstáculo que separará o brasileiro de uma vaga na final. "Ele é um cara muito completo, sabe fazer de tudo e vem melhorando muito nos últimos tempos. Ele vai à rede, voleia, apesar de não ser um kamikaze que nem esse americano que eu derrotei hoje", avaliou Meligeni. "Vai ser um jogo difícil, porque quem tem chega à semifinal aqui tem de estar jogando bem".

Meligeni disse também ainda não esperar um confronto contra o chileno Marcelo Ríos, favorito para decidir o título com o brasileiro. "Não adianta pensar lá na frente, você tem de se concentrar em cada jogo", disse o brasileiro, para depois falar sobre o tema a pedido dos jornalistas. "Mas seria um jeito muito legal de encerrar a carreira, contra um cara que foi número um do mundo, que adora tênis e contra quem perdi os cinco jogos que fiz. Já pensou se eu ganho dele justo no meu último jogo?"

Leia mais
Dupla feminina vence mexicanas, vai à final e terá ao menos a prata



COMENTE ESTA NOTÍCIA NOS GRUPOS DE DISCUSSÃO UOL
ÍNDICE DE NOTÍCIAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

22/07/2006
18h58 - Dois estádios são confirmados para futebol no Pan

17/05/2006
22h42 - Sede de 2011 e Pan do Rio-2007 são temas de reunião da Odepa

16/03/2006
10h31 - Justiça do Rio paralisa as obras no autódromo

09/03/2006
15h48 - Governo libera R$ 140 milhões para segurança do Pan-2007

26/04/2004
Pan-Americano
21h04 - Odepa oficializa perda de medalhas por doping no Pan de 2003

12/01/2004
Tênis
17h22 - Flávio Saretta embarca nesta terça-feira para a Austrália

28/11/2003
Pan-Americano
21h16 - Rio gasta RS$ 8 milhões com eventos Pré-Jogos

26/10/2003
Judô
20h13 - Com dez ouros, Brasil é campeão sênior no Equador