UOL Esporte - Pan 2007
UOL BUSCA

05/06/2007 - 18h47

Cuba avisa: não perderá o segundo lugar no Pan do Rio

Das agências internacionais
Em Havana (Cuba)

Último país a desbancar os Estados Unidos no quadro de medalhas dos Jogos Pan-Americanos (em 1991, quando foi sede), Cuba ocupou ao menos a segunda posição em todas as edições desde 1971, em Cáli. E, no Rio de Janeiro, este ano, não pretende descer nenhum degrau, mesmo com o Brasil atuando em casa.

Nesta terça-feira, o presidente do Comitê Olímpico Cubano (COC) e vice-presidente do país, José Ramón Fernández, mostrou otimismo quanto ao desempenho de sua delegação entre os dias 13 e 27 de julho.

"Sou um daqueles que há mais de um ano estão reforçando, sem dúvida, que Cuba irá manter no Rio de Janeiro o segundo lugar entre todos os países", disse Fernández, esbanjando confiança.

O dirigente e político afirmou também que a preparação da delegação cubana caminha muito bem, mas ressaltou um ponto negativo. "Ainda não conseguimos toda a diversificação que Fidel [Castro] nos pediu, mas já melhoramos bastante no ciclismo. Disso ninguém pode duvidar", assegurou.

Fernández comentou ainda que os atletas cubanos não conseguiram realizar treinamentos com seleções de outros países por motivos financeiros. Por outro lado, ele aposta "no espírito ético e patriótico que caracteriza os cubanos".

"Não fiquei nervoso em nenhum momento no ano passado quando, nos Jogos Centro-Americanos e do Caribe, o México se manteve na frente [do quadro de medalhas] durante alguns dias. Agora também não estou e nem ficarei", declarou o dirigente.

Segundo divulgou o COC, quase 700 atletas cubanos estão sendo preparados para ir ao Pan do Rio, embora possa haver cortes que reduzam o número para 500. A média de idade da delegação é de 23, 8 anos e, segundo informações locais, o país reúne chances de medalha em 16 modalidades, sobretudo nas lutas e nas provas de resistência e força.