Esporte

Saiba o que Medina precisa fazer para virar líder do Mundial em Portugal

Kelly Cestari / WSL
Gabriel Medina já começa fazer contas por bi mundial Imagem: Kelly Cestari / WSL

Guilherme Dorini

Do UOL, em São Paulo

13/10/2016 06h00

Gabriel Medina chega pelo segundo ano seguido com chances reais de se tornar bicampeão mundial de surfe nas duas últimas etapas do Circuito Mundial (WCT). É bem verdade que a situação poderia ter ficado mais "tranquila" se tivesse vencido o evento da França, mas, de qualquer maneira, o segundo lugar na competição fez com que o brasileiro se aproximasse do líder John John Florence e o fizesse chegar mais confiante para a penúltima prova, realizada em Portugal, que terá janela aberta já na próxima terça-feira (18).

Depois de nove etapas disputadas, o havaiano John John Florence aparece na liderança isolada do WCT com 48,150 pontos, 2,700 a mais que Gabriel Medina, que está com 45,450 na segunda posição. Matt Wilkinson, que começou a temporada com duas vitórias, aparece apenas no terceiro lugar, com 38,250.

Reprodução
Medina segue na cola do havaiano John John Florence Imagem: Reprodução

Primeiro, explicamos como funciona a pontuação do Mundial. O campeão de uma etapa fatura 10 mil pontos, enquanto o vice soma 8 mil. Se o surfista for eliminado na semifinal, faz 6,500. Quem atingir apenas as quartas, 5,200. Já os eliminados na quinta, terceira e segunda fase levam, respectivamente, 4,000, 1,750 e 500.

Damien Poullenot/WSL
Medina precisa de bom resultado em Portugal Imagem: Damien Poullenot/WSL

Também vale lembrar que, apesar do Mundial ser composto por 11 etapas, apenas os nove melhores resultados entram no somatório dos surfistas. Ou seja, assim que for finalizada a competição em Portugal, os atletas já descartarão uma nota. Hoje, no entanto, o descarte de Medina e John John são iguais (um 13º lugar), o que não afetaria diretamente na pontuação.

Dessa maneira, para que Medina assuma a liderança já em Portugal, o máximo que John John poderia alcançar é uma semifinal, resultado que lhe deixaria com 52,900 (pontuação já atualizada com um descarte). Neste caso, o brasileiro precisaria vencer a etapa para pular à frente (chegaria a 53,700, também com um descarte). Caso o havaiano não alcance à semi, o surfista de Maresias precisa terminar ao menos duas fases à frente para assumir a ponta.

O retrospecto em Portugal, no entanto, não é muito favorável ao brasileiro. Em 2014, ano em que foi campeão, Medina não passou do terceiro round, sendo eliminado por Brett Simpson. Na temporada passada até que foi mais longe, parou nas quartas de final após uma interferência no compatriota Italo Ferreira, resultado que não o ajudaria muito neste ano.
 
Já John John tem um histórico um pouco melhor. Em 2014, avançou até à semifinal, quando foi eliminado pelo sul-africano Jordy Smith. No ano passado, ficou no terceiro round, derrotado pelo compatriota Keanu Asing, seu algoz no último sábado, na etapa da França.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo