Topo

Esporte


Ataques de tubarão adiam etapa australiana do Mundial de Surfe em um dia

WSL/Matt Dunbar
O surfista brasileiro Ítalo Ferreira em Margaret River Imagem: WSL/Matt Dunbar

Do UOL, em São Paulo

16/04/2018 17h55

A World Surf League, entidade que organiza o Mundial de Surfe, decidiu adiar em um dia o prosseguimento da etapa de Margaret River, na Austrália, após dois ataques de tubarão serem registrados em 24 horas nas cercanias de Gracetown, onde a competição é realizada.

O evento terá uma nova chamada às 7h desta quarta-feira no horário local (18h desta terça em Brasília). O torneio masculino está na terceira rodada, com oito brasileiros na disputa, enquanto a chave feminina parou nas quartas de final - a cearense Silvana Lima já foi eliminada da etapa.

A WSL também recomendou que os surfistas não treinem na água durante a paralisação para evitar novos incidentes, já que os riscos da situação ainda estão sendo estudados pelos organizadores.

De acordo com o site australiano ABC, dois surfistas foram atacados por tubarões neste começo de semana, a 15 quilômetros de Margaret River. O primeiro homem ferido se chama Alejandro Travaglini, de 37 anos, morador da região, que sofreu ferimentos na perna. O outro foi um dinamarquês, que ficou com a prancha danificada pela mordida do animal marinho.

Nesta segunda-feira, o brasileiro Gabriel Medina, campeão mundial de surfe em 2014, havia alertado sobre a situação de risco nas redes sociais. Já o havaiano John John Florence, atual bicampeão da divisão de elite, postou vídeo de um “flagra” feito por um drone sobre o mar australiano, que filmou a presença de dois tubarões próximos a surfistas.

Mais Esporte