Topo

Esporte


Carioca pega onda gigante no ES. Foi a maior já surfada no Brasil?

Marcello De Vico

Do UOL, em Santos (SP)

23/07/2019 13h15

Uma onda gigante surfada pelo carioca Ian Vaz, 24, no último domingo (21), no pico conhecido como Avalanche, em Vila Velha (ES), agitou o mundo dos big riders (surfistas de ondas grandes) e vem sendo apontada por alguns especialistas como a maior já surfada em terras brasileiras.

Há quem discorde, mas o tamanho - estimado em 5 a 6 metros - e o peso da onda que marcou a rara sessão no Espírito Santo impressionam (veja o vídeo acima). Ian, que hoje também trabalha como designer, entrou na 'montanha de água' com o auxílio do jet-ski pilotado pelo irmão, Caio, e fez história.

"O [Carlos] Burle me ligou, Alemão de Maresias, Gordo [Felipe Cesarano], Pedro Calado, vários big riders do Brasil, e a maioria deles falou que foi a maior onda já surfada no Brasil", disse Caio Vaz em entrevista ao UOL Esporte.

Os irmãos Vaz deixaram o Rio rumo ao Espírito Santo após um convite do amigo Lucas Medeiros. Aproveitando ainda o apoio e as dicas dos bodyboarders locais da NXFbodyboard (Breno Kuster, Bernardo Nassar, André Majevski e Paulo Roberto), considerados os descobridores das ondas gigantes no Espírito Santo, eles chegaram ao pico com a missão de surfar altas ondas, e assim foi. Até além da expectativa.

"A previsão já apontava para lá [Avalanche], e o Lucas convidou a gente para ir, disse que ia estar animal. A gente foi, e o meu irmão Ian já pegou altas ondas no sábado, só que ainda não estava tão grande. Quando eu cheguei lá, estava muito forte, enorme. A onda vem de águas muito profundas, bate na laje de pedra e fica muito pesada", conta Caio.

O pico da Avalanche, localizado a cerca de três quilômetros da costa de Vila Velha (ES), é apontado pelos big riders como um dos principais locais do Brasil para encontrar ondas grandes. Não é sempre que ele 'quebra', mas quando isso acontece, é garantia de diversão para os amantes de surfe.

"Todo mundo é caçador dessas ondas, está todo mundo pilhado. Pelo menos comigo, o coração acelera com essa adrenalina, e meu irmão pegou altas ondas a vida inteira... Hoje em dia ele trabalha, é designer, trabalha numa empresa, então não está tão dedicado a isso. Mas toda experiência, toda habilidade, fizeram com que, a hora que a onda viesse, ele surfasse da melhor forma possível. A onda veio premiada para ele", acrescenta Caio.

Vaca sinistra

O capixaba Lucas Medeiro foi mais um a se arriscar nas pesadas ondas da Avalanche, mas não teve a mesma sorte. Depois de perder o equilíbrio em uma delas, ele levou uma 'vaca' (veja abaixo), teve a prancha destruída e precisou ser resgatado por Ian Vaz.

"O swell foi bem consistente aqui no Espírito Santo. No sábado, viemos só eu e o Ian Vaz, para treinar, conhecer a onda... No domingo viemos com toda equipe a postos para pegar essas ondas. O Ian foi consagrado com a maior onda do dia, bizarra, sinistra, e eu tomei um caldo... A onda foi muito perfeita, mas devido às condições extremas, e ao equipamento ter ficado curto, infelizmente tomei esse caldo", relembra o local.

Ainda tentando se recuperar da queda, Lucas Medeiros assistiu, de camarote, o que também considera a maior onda já surfada no Brasil.

"Fui para o barco depois tentando respirar depois, e fiquei assistindo. Veio o Caio Vaz numa bomba, e depois veio o Ian que pegou essa onda que repercutiu o mundo inteiro. Na minha opinião, é a maior onda já surfada no Brasil", opinou.

De acordo com Lucas, o sucesso da sessão registrada no domingo foi fruto de algo que já vinha sendo planejado há um bom tempo.

"Essa expedição foi um projeto que a gente está tentando desenvolver há um bom tempo, de ter essa estrutura para registrar a maior onda, os melhores momentos, e a gente conseguiu, né? Venho treinando bastante com o Caio, com o Ian, tem uma equipe de filmagem, que é a Straya Filmes, e uns bodyboarders locais que conhecem a onda melhor que todo mundo", completou.

Laje de Jaguaruna ainda é maior?

Até hoje, a Laje de Jaguaruna, em Santa Catarina, sempre foi reconhecida como o 'pico de maiores ondas do Brasil'. Surfistas locais, inclusive, acreditam que as ondas vistas no local ainda superam, em tamanho, a que Ian Vaz pegou no domingo. Ainda assim, não deixam de reconhecer a bomba surfada pelo designer carioca.

"A maior acho que não foi. Foi uma onda bizarra, espetacular. Tem registros de ondas maiores aqui, mas [Avalanche] é um pico que entra para a rota do big surfe. Até já era, só que pouco explorada e uma onda um pouco lendária, quase não quebra", afirma Thiago Jacaré, um dos principais locais da Laje de Jaguaruna.

O lendário Fábio Gouveia, surfista paraibano reconhecido no Brasil e no Mundo, é outro a colocar a Laje de Jaguaruna no topo: "Eu acho que a maior onda do Brasil é a Jagua mesmo. Nunca surfei essa onda do Espírito Santo, mas até pela incidência de swell, tamanho marcado em boia... As maiores ondas que vi no Brasil foram na Jagua mesmo".

Thiago Jacaré surfa onda gigante na Laje de Jaguaruna (SC) - RafaShot
Thiago Jacaré surfa onda gigante na Laje de Jaguaruna (SC)
Imagem: RafaShot

Mais Esporte