No Aberto da Austrália, feriado tem homenagem, fila por Djokovic e bolada

Do UOL, em São Paulo

A segunda-feira do Aberto da Austrália foi marcada pelo reencontro entre Serena Williams e Maria Sharapova, finalistas de 2015. E, a exemplo do que aconteceu na última final feminina (e em todos os jogos entre as duas desde 2005), Serena levou a melhor e avançou às semifinais.

Se o retrospecto na chave feminina não mudou muita coisa, também não teve muitas novidades na masculina. Pelas quartas de final, Roger Federer venceu Tomas Berdych pelas quartas de final e também avançou. Foi a 80ª vitória de Federer no primeiro Grand Slam da temporada, marca inédita até então.

Em compensação, fora das quadras, a movimentação foi agitada. Nesta segunda-feira (26), é comemorado o Dia da Austrália, descobrimento do país. Por isso, os australianos aproveitaram a movimentação em Melbourne para comemorar e se pintar nas cores do país. De quebra, ainda homenagearam um dos principais nomes do tênis: Rod Laver.

Ah! O dia também foi dedicado a um encontro entre Novak Djokovic e seus fãs. Eram tantos fãs que o número um do mundo precisou ser rápido para atender a todos na longa fila que se formava à beira de uma das quadras do complexo que sedia o torneio.

O dia no Aberto da Austrália

Bi Mingming/Xinhua
Bi Mingming/Xinhua

Sharapova 18 x 0 Sharapova

Você se lembra quando foi a última vez que Maria Sharapova venceu Serena Williams? A gente te ajuda: 15 de novembro de 2004, na decisão do WTA Tour Championships daquele ano. Desde então, foram 18 partidas entre elas, e 18 vitórias da norte-americana. A mais recente delas veio nesta segunda-feira, nas quartas de final do Aberto da Austrália: 2 sets a 0, com 6/4 e 6/1 nas parciais. Na opinião das duas, o que decidiu o confronto em Melbourne foi a agressividade. "Quando você joga com alguém tão bom, você precisa ter muita intensidade", disse Serena. "Joguei a semana toda agressivamente, mas não comecei o jogo deste jeito hoje", lamentou Sharapova, que venceu dois dos 21 confrontos contra a número um do mundo.
Quinn Rooney/Getty Images
Quinn Rooney/Getty Images

Roger Federer, 80

A longevidade de Roger Federer entre os principais nomes do tênis mundial rendeu a ele mais números impressionantes no Aberto da Austrália. Nesta terça-feira, o suíço venceu o tcheco Tomas Berdych por 3 sets a 0, com parciais de 7/6 (7-4), 6/2 e 6/4, e avançou às semifinais do Grand Slam. De quebra, ainda se tornou o primeiro tenista da história a alcançar 80 vitórias no Slam australiano. Por fim, aos 34 anos, tornou-se o tenista mais velho a chegar às semis desde que Andre Agassi o fez em 2005, aos 35 anos.

Essa doeu!

Mas mesmo em meio à quebra de recordes de Federer, Tomas Berdych conseguiu ser protagonista - pelo menos, em um momento inusitado. No tie-break do primeiro set, o tcheco foi para o saque, mas seu serviço atingiu em cheio uma área um tanto quanto sensível de um gandula no fundo da quadra. Felizmente, ao que tudo indica, foi só um susto, e o pegador de bolas continuou em quadra.

Feriado e homenagem na Austrália

No dia 26 de janeiro, os australianos comemoram seu descobrimento, em data batizada de Dia da Austrália. Nesta dia, o país costuma celebrar alguma personalidade local - e o escolhido de 2016 foi Rod Laver, vencedor de 11 Grand Slams. Nesta terça-feira, Laver recebeu a Ordem da Austrália, uma das principais honrarias do país.

O popstar Novak Djokovic

Antes de entrar em quadra para enfrentar Kei Nishikori pelas quartas de final da chave masculina, Novak Djokovic tirou alguns minutos de seu dia para encontrar os fãs. E você consegue imaginar quantos fãs de tênis esperariam por um momento para conhecer Djokovic? O Meet & Greet com o sérvio em Melbourne teve uma fila tão grande que foi até registrado pela organização do evento.
Tyrone Siu/Reuters
Tyrone Siu/Reuters

O irreverente Novak Djokovic

Mais tarde, Novak Djokovic também foi rápido: pelas quartas de final, venceu o japonês Kei Nishikori por 3 sets a 0, com parciais de 6/3, 6/2 e 6/4. E mais uma vez, o sérvio teve um momento para quebrar o protocolo em quadra: durante o jogo, pediu a ajuda de um gandula para se alongar.
Lynn Bo Bo/EFE/EPA
Lynn Bo Bo/EFE/EPA

Bruno Soares nas semifinais

Nas duplas masculinas, Bruno Soares e Jamie Murray estão nas semifinais. Nesta feira-feira, a parceria cabeça de chave número 7 passou pelo sul-africano Raven Klaasen e pelo norte-americano Rajeev Ram por 2 sets a 1, com 7/6 (7-3), 4/6 e 7/6 (7-3) nas parciais. Se passarem pelos franceses Adrian Mannarino e Lucas Pouille, Soares e Murray ? neste momento, os principais favoritos ao título ? estão na final das duplas masculinas.
Julian Finney/AFP
Julian Finney/AFP

Martina Hingis, perto do título

Fora dos Grand Slams entre 2008 e 2013, Martina Hingis está perto de conquistar o terceiro título consecutivo de duplas femininas nos Slams. Nesta terça-feira, atuando ao lado da indiana Sania Mirza, a suíça despachou a parceria Anna-Lena Grönefeld e Coco Vandeweghe com vitória por 2 sets a 1 (6/2, 4/6 e 6/1) e chegou às semis. Principais favoritas, Hingis e Mirza encaram agora Julia Goerges (Alemanha) e Karolina Pliskova (República Tcheca) por uma vaga na decisão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos