Topo

Esporte


Murray vence e Grã-Bretanha conquista Copa Davis após 79 anos

Do UOL, em São Paulo

29/11/2015 13h02

Liderada por Andy Murray, número 2 do mundo, a Grã-Bretanha superou a Bélgica e conquistou a Copa Davis após longo hiato sem título. Disputando em solo belga, os britânicos fizeram 3 a 1 e voltaram a ser campeões do torneio após 79 anos.

A saga britânica foi alcançada neste domingo no confronto entre Murray e David Goffin. Diante do número 16 do ranking da ATP, Murray confirmou o favoritismo, vencendo a partida por 3 sets a 0 (6-3, 7-5, 6-3).

Antes do jogo de simples entre Murray e Goffin, a Grã-Bretanha já havia vencido duas vezes (Murray venceu na simples e também nas duplas com o irmão Jamie Murray).

O ponto que deu o título ao Reino Unido neste domingo foi espetacular. Goffin atacou e foi para a rede. Murray recuperou bola praticamente perdida e viu o belga formar um paredão na rede. Mas o escocês aplicou um lindo lob, ganhando a partida. Murray se atirou ao chão para celebrar a conquista.

Murray, aliás, colocou seu nome na história do tênis britânico. O Reino Unido não chegava à final da Davis desde 1978. Murray já havia quebrado outro longo jejum ao ser campeão em Wimbledon. Um representante britânico não vencia Wimbledon desde 1936.

Na partida que definiu o título, Murray venceu o primeiro set com facilidade, em 49 min, mas viu o adversário crescer ao longo da partida. Goffin tinha saque a favor quando o placar apontava 5 a 5 no 2º set, mas o escocês quebrou o saque. No set seguinte, o britânico fez 7 a 5.

A caminha rumo à taça não foi das mais fáceis. A Grã-Bretanha deixou pelo caminho os Estados Unidos (maior campeão da Davis), a França, e Austrália.

Murray: relação de amor e ódio na Grã-Bretanha

Nascido na pequena cidade escocesa de Dunblane, Murray sempre conviveu com a sina de ser considerado 'menos britânico' do que os tenistas ingleses. A relação de amor e ódio teve seu primeiro capítulo em 2006, quando o atleta tinha 19 anos e despontava como promessa do tênis.

Com a ausência da Escócia na Copa do Mundo da Alemanha, Murray foi questionado por jornalistas ingleses sobre qual seleção teria sua torcida durante o torneio. "Qualquer uma, menos a Inglaterra", disse o escocês, rindo. A declaração caiu como uma bomba entre os ingleses, que não economizaram nas críticas ao tenista.

Mais Esporte