Topo

Esporte

'Não penso em voltar ao meu melhor nível', diz Rafael Nadal

Divulgação/Bruno Lorenzo
Nadal concede entrevista coletiva antes do Aberto Rio Imagem: Divulgação/Bruno Lorenzo

Guilherme Costa

Do UOL, no Rio de Janeiro

15/02/2016 17h47

A temporada 2015 foi extremamente conturbada para o tenista Rafael Nadal, 29. O espanhol teve o pior rendimento em Grand Slams em uma década e foi destronado por David Ferrer no topo do ranking de seu país. No último sábado (13), deu sequência ao momento irregular e perdeu a semifinal do ATP 250 de Buenos Aires para o austríaco Dominic Thiem, 22. No entanto, nem toda essa carga serviu para o ex-número 1 do mundo tratar o Aberto do Rio de Janeiro como redenção. Principal nome do torneio que começou nesta segunda-feira (15), no Jockey Club Brasileiro, Nadal minimizou o efeito que a competição pode ter para a sequência de sua carreira.

"Não penso em voltar ao meu melhor nível. Não penso. O que eu quero hoje é apenas jogar melhor do que ontem. Tenho pensado apenas em melhorar e em ser mais forte do que no dia anterior", disse Nadal em entrevista coletiva.

A fase negativa foi o principal assunto na conversa de Nadal com os jornalistas. Em respostas quase sempre lacônicas, o espanhol repetiu sempre que pôde que tem pensado no curto prazo e não no que isso representa.

Até outras personalidades do tênis foram questionadas sobre o assunto. David Ferrer, por exemplo, evitou falar sobre a fase de Nadal: "Acho que só ele pode responder". O brasileiro Gustavo Kuerten, também ex-número 1 do planeta, foi um pouco mais analítico: "O que falta é a questão de confiança. O que falta não é nem se equiparar a um ]Novak] Djokovic, mas voltar ao jogo dele. É mais a questão de ser um cara tão genial que os parâmetros são bem acima".

"O que se espera é que ele volte a vencer Grand Slams ou que volte a ser número 1 do mundo, mas há etapas a percorrer antes. É um caminho longo, mas a gente tem de esperar tudo de um cara assim. Está dentro do sangue dele aquela vontade de vencer. Isso é bonito também. É admirável ver aquela determinação", analisou o brasileiro.

No fim de 2015, o assunto "má fase" já vinha dominando a agenda de Nadal. Toni Nadal, tio e mentor do tenista, chegou a sugerir que poderia mudar parâmetros e diretrizes da preparação do espanhol se os resultados não aparecessem no início desta temporada.

Nadal persegue a centésima partida final de sua carreira. Ele poderia ter atingido a marca no ATP 250 de Buenos Aires, mas a derrota para Thiem o impediu. Agora, a próxima chance é o Aberto do Rio de Janeiro. O espanhol tem estreia agendada para a próxima terça-feira (16), ainda sem horário definido.

A temporada 2015 foi extremamente conturbada para o tenista Rafael Nadal, 29. O espanhol teve o pior rendimento em Grand Slams em uma década e foi destronado por David Ferrer no topo do ranking de seu país. No último sábado ","image":{"sizes":null,"height":300,"width":615,"crops":"80x80;142x100;142x200;300x100;300x200;300x300;300x420;300x500;615x300;615x470;956x500;1024x768;1920x1080;1920x1280","src":"http://conteudo.imguol.com.br/c/esporte/af/2016/02/15/nadal-durante-coletiva-no-aberto-do-rio-1455564770618_615x300.jpg","type":"","titulo":"Nadal concede entrevista coletiva antes do Aberto Rio","credito":"Divulgação/Bruno Lorenzo"},"date":"15.02.2016 17h47","kicker":"UOL Esporte - Tênis"}}' cp-area='{"xs-sm":"49.88px","md-lg":"33.88px"}' config-name="esporte/esporte">

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte