Esporte

Djokovic vence e supera US$ 100 mi em prêmios; Wawrinka pega Murray na semi

Do UOL, em São Paulo

01/06/2016 07h20

Novak Djokovic garantiu sua vaga nas quartas de final da chave masculina de Roland Garros ao vencer o espanhol Roberto Bautista Agut nesta quarta-feira (1) por 3 sets a 1, com parciais de 4/6, 6/4, 6/1 e 7/5. O confronto havia sido iniciado na terça-feira, mas foi interrompido na ocasião por conta das chuvas em Paris.

Além do sérvio, outros favoritos avançaram no torneio nesta quarta-feira. O atual campeão Stanislas Wawrinka bateu o também espanhol Albert Ramos-Viñolas por 3 sets a 0, parciais de 6/2, 6/1 e 7/6 (9-7), e está na semifinal, onde enfrentará Andy Murray, que superou o francês Richard Gasquet de virada por 3 a 1, parciais de 7/5, 6/7 (3-7), 0/6 e 2/6.

No jogo de Djokovic, Bautista Agut salvou dois match points no final, mas não conseguiu evitar a derrota. O principal favorito comemorou saudando a torcida ao lado de um pegador de bolas.

A vaga nas quartas valeu ainda uma premiação inédita no tênis mundial: o balcânico deixará Roland Garros como o primeiro da história a superar a marca de US$ 100 milhões em premiações. Até então, a maior marca pertencia a Roger Federer, com pouco mais de US$ 98 milhões.

Classificado, Djokovic agora enfrenta Tomas Berdych (República Tcheca), que venceu David Ferrer (Espanha) nas oitavas: 3 sets a 0, com parciais de 6/3, 7/5 e 6/3.

O sérvio ainda busca seu primeiro título nas quadras de saibro do Slam francês. Nas últimas quatro edições, foi à final em 2012, 2014 e 2015, perdendo as duas primeiras para Rafael Nadal e a última para Stan Wawrinka.

Wawrinka sofre em último set, mas bate Ramos-Viñolas

Atual campeão de Roland Garros, o suíço Stanislas Wawrinka só teve dificuldades no terceiro e último set contra o espanhol Albert Ramos-Viñolas. O número 4 do mundo e terceiro cabeça de chave do torneio venceu por 3 sets a 0, abrindo o jogo com parciais de 6/2 e 6/1, para definir o jogo no tie-break com um 7/6 (9-7).

A partida foi tranquila para o suíço, que não encontrou problemas para quebrar o serviço do adversário nos dois primeiros sets, porém teve que salvar um set point no terceiro para evitar mais uma parcial antes da semifinal. Ramos se reparou com um match point, reagiu e quase conseguiu se manter vivo na competição, mas Wawrinka se recuperou e garantiu a vaga nas quartas de final.

Murray reage e vence com autoridade de virada

O escocês Andy Murray penou para chegar até as quartas de final desta edição de Roland Garros, sofrendo contra adversários de menor expressão nas primeiras rodadas do torneio. Contra o francês Richard Gasquet, nono cabeça de chave que jogava no seu país natal, o número 2 do ranking da ATP perdeu o primeiro set, venceu o segundo no tie-break e passeou nos dois últimos.

A vitória de virada por 3 sets a 1 ficou marcada pelo pneu no terceiro set, e terminou com parciais de 7/5, 6/7 (3-7), 0/6 e 2/6. Murray mostrou determinação contra o francês, especialmente em lance no segundo set, quando defendeu cinco tentativas de winner de Gasquet e forçou um erro dele com uma paralela de forehand.

A capacidade de confirmar pontos em longos ralis foi a principal vantagem de Murray, que não deu chances para Gasquet levar a melhor a partir da vitória no segundo set.

Serena vence. Ninguém pode pará-la

Serena Williams assegurou sua vaga nas quartas de final da chave feminina de Roland Garros 2016. Em seu compromisso pelas quarta rodada, diante da ucraniana Elina Svitolina, a melhor tenista do mundo na atualidade confirmou seu favoritismo e venceu por 2 sets a 0, com parciais de duplo 6/1.

O confronto foi o quarto entre as duas, e a quarta vitória da norte-americana. De 2012 para cá, Svitolina – atual número 20 do ranking da WTA – conseguiu vencer apenas um set contra a adversária, no Aberto da Austrália de 2015. E embora tenha elogiado Svitolina antes do jogo, o técnico de Serena, Patrick Mouratoglou, vê sua atleta como o nome a ser batido.

“Acho que a única ameaça é Serena. Não acho que ninguém possa vencê-la se ela estiver lá, ligada, se ela tiver em mãos o que tem que ter em mãos e se tem intenções que tem que ter”, afirmou, em entrevista ao site oficial do torneio na terça-feira. “Tenho 100% de certeza, ninguém”, completou.

Classificada, Serena busca seu quarto título em Roland Garros – foi campeã em 2002, 2013 e 2015. Na próxima rodada, a número 1 do ranking da WTA encara a vencedora do duelo entre Carla Suárez Navarros (Espanha) e Yulia Putintseva (Cazaquistão). Contra a primeira, o retrospecto de Serena é de seis vitórias em seis jogos; contra a segunda, duas vitórias e zero derrotas.

No ritmo atual, Mouratoglou acredita que Serena nem precisa jogar em seu mais alto nível para ser campeã. "(Em 2015) ela jogou longe de seu melhor nível durante o torneio. Ela estava doente. Mesmo assim, foi campeã", disse o técnico.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo