Esporte

Tribunal diminui pena de Sharapova e russa estará livre a partir de abril

AFP PHOTO / WILLIAM WEST
Imagem: AFP PHOTO / WILLIAM WEST

Do UOL, em São Paulo

04/10/2016 10h02

A Corte Arbitral do Esporte (CAS) aceitou o recurso de Sharapova e diminuiu a sua suspensão de doping que era de dois anos para 15 meses. A russa estará livre para competir a partir de abril de 2017, mais precisamente no dia 25.

A russa foi suspensa por uso da substância Meldonium após exame antidoping realizado no dia 26 de janeiro deste ano durante a disputa do Aberto da Austrália. A punição foi anunciada em março, poucos meses antes do início dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

"Passei pelos dias mais difíceis da minha carreira em março passado quando eu soube da minha suspensão. Hoje, porém, é um dos dias mais felizes, pois soube que poderei retornar ao tênis em abril", escreveu em seu Facebook.

"De diversas maneiras, sinto que algo que eu amo foi tirado de mim e me sinto muito bem em saber que estou de volta. O tênis é a minha paixão e senti muita falta. Estou contando os dias até que eu possa voltar às quadras", prosseguiu.

Segundo a decisão da CAS, o painel elaborado para julgar o recurso entendeu que ela não teve a intenção de se dopar apesar de ter falhado ao fazer o uso da substância. A Federação Internacional de Tênis (ITF), responsável por dar a punição à atleta, tentou diversas vezes derrubar a tese sustentada pela defesa de Sharapova. Entretanto, o painel da Corte resolveu dar ganho de causa à russa.

Em comunicado em seu site, a Federação Internacional de Tênis informou que após uma audiência nos dias 6 e 7 de setembro o painel da CAS entendeu que Sharapova tinha pouca noção do risco contido na utilização do Meldonium, pois fazia uso do medicamento por dez anos seguidos sem ter nenhum perigo de violar uma lei antidoping, uma vez que a substância só passou a fazer parte da lista negra da Agência Mundial Antidoping (Wada) em 1º de janeiro.

Apesar de a russa alegar não ter recebido nenhum alerta de sue médico ou agente, a CAS entendeu que ela deveria ter checado a lista por conta própria. Ainda assim, os juristas consideraram pesada demais a punição original de dois anos imposta pela ITF e optaram pela redução.

"Eu assumi a responsabilidade desde o começo ao afirmar que não tinha conhecimento que o suplemento que eu havia tomado ao longo dos dez últimos anos não era mais permitido. Agora que o processo acabou, eu espero que a ITF e outras autoridades antidopagem do tênis avaliem esta situação para que nenhum outro jogador passe pelo que eu passei", desabafou a russa.

"E aos meus fãs, eu agradeço de mais por terem vivido e respirado este caso comigo alo longo destes meses tão duros. Durante este tempo, eu descobri o verdadeiro significado de um fã e sou honrada de ter o apoio de vocês. Eu estarei  de volta em breve e mal posso esperar por isso", concluiu Sharapova.

Atualmente, a russa ocupa a 95ª colocação do ranking mundial e até o seu retorno certamente deixará o grupo das 100 primeiras da WTA.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo