Esporte

Por Grand Slam, 'tenista enxaqueca' busca ajuda de psicólogo e namorada

JOHANNES EISELE/AFP
O tenista australiano Nick Kyrgios Imagem: JOHANNES EISELE/AFP

Do UOL, em São Paulo

26/12/2016 06h00

Sessões com psicólogo, ajuda da namorada e da família. Estas são algumas das coisas às quais o bad boy do tênis Nick Kyrgios têm se apegado para retornar às quadras e, quem sabe, se ver livre de uma vez das polêmicas e da fama que o persegue justamente.

O australiano de apenas 21 anos recebeu em outubro um gancho de oito semanas da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) após fazer corpo mole e bater boca com um torcedor em jogo do Masters 1.000 de Xangai (CHN) contra Mischa Zverev. No começo de janeiro, defenderá seu país na Copa Hopman e depois voltará de vez aos holofotes durante a disputa do Aberto da Austrália, que começa no dia 16.

"Eu ainda estou aprendendo a lidar com as coisas (do circuito) como o calendário, por exemplo, e isso é que no mais preciso evoluir para ter mais tempo e me ajudar a ficar física e mentalmente fresco", disse Kyrgios ao jornal australiano "Sydney Morning Herald", que revela o namoro do 'bad boy' com a também tenista Ajla Tomljanovic, de 23 anos, que já foi a 47ª do mundo e que hoje ocupa a 928ª colocação do ranking.

Michael Dodge/Getty Images
Ajla Tomljanovic e Nick Kyrgios durante torneio de duplas mistas no Aberto da Austrália de 2016 Imagem: Michael Dodge/Getty Images

A procura por um psicólogo foi uma recomendação da própria ATP ao jogador. O nome do profissional é mantido em sigilo, mas Kyrgios têm aprovado as consultas e o tempo livre que está tendo para se reorganizar.

"Eu realmente precisava me desligar de tudo depois de um ano muito longo e duro", disse o jogador que está em um relacionamento sério com a compatriota e também tenista Alja Tomljanovic.

O ano de Kyrgios além da polêmica na China também foi recheada de bons resultados que comprovam seu talento. Foi campeão dos ATP 250 de Marselha e Atlanta e do ATP 500 de Tóquio. No ranking mundial, pulou da 30ª posição em janeiro para 13º em dezembro.

"O ano de 2016 foi definitivamente um sucesso, principalmente estando em meu segundo completo no tour. Ganhar três títulos é algo bem grande", disse. "Evoluir tanto no ranking e fechar numa posição tão alta foi a cereja no bolo", disse Kyrgios, que não descarta a possibilidade de vencer o Aberto da Austrália.

"Nunca diga nunca. Alguém tem de vencer e sou mais do que capaz", afirmou o australiano.

Lista de polêmicas é extensa

A confusão na China não foi a única de Kyrgios ao longo dos dois últimos anos. Em 2015, foi vaiado pela torcida e repreendido por supostamente entregar um jogo para Rcichard Gasquet em Wimbledon.

Pouco depois, no Masters 1.000 do Canadá, insultou Stan Wawrinka e ainda o provocou dizendo que Thanasi Kokkinakis havia "f..." sua namorada Donna Vekic. Recebeu uma multa de US$ 10 mil e ainda recebeu um gancho condicional de 28 dias, período no qual não poderia cometer mais nenhuma irregularidade sob risco de uma pena muito mais forte.

Em 2016 se envolveu em um entrevero com o Comitê Olímpico Australiano e resolveu abrir mão da disputa dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

 

 

 

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo