Esporte

Único a bater Federer no ano é 103º do mundo e ganha a vida em challengers

Fábio Aleixo

Do UOL, em São Paulo

06/04/2017 04h00

Três títulos - sendo dois de Masters 1.000 e um de Grand Slam - 4.405 pontos ganhos, pouco mais de US$ 1,46 milhões em prêmios (R$ 5 milhões) e a subida da 16ª para a quarta posição do ranking mundial.

O ano de Roger Federer até o momento só não é 100% perfeito porque ele tem uma derrota em 20 partidas oficiais disputadas. O responsável por este fato único foi Evgeny Donskoy, um russo de 26 anos que ocupa somente a 103ª posição do ranking mundial.

Na época da vitória por 2 sets a 1, com parciais de 3/6, 7/6 (9/7) e 7/6 (7/5), ele era o 116º.

Após o triunfo sobre Federer na segunda rodada do ATP 500 de Dubai (EAU), ele caiu na rodada seguinte ante o francês Lucas Pouille. Depois disso só esteve em ação em torneios challengers (segundo escalão da ATP). Nem participou dos qualifyings para os Masters 1.000 de Indian Wells e Miami, os principais jogados desde então.

Dosnkoy, de 26 anos, foi campeão do torneio de Zhuhai (CHN) ao vencer cinco jogos e parou nas quartas em Shenzhen (CHN) após duas vitórias. Nesta semana ele não está em ação em nenhuma competição.

"Depois daquela vitória ganhei uma atenção que nunca tive em minha vida. Muitos amigos estavam me mandando mensagens. Mas à medida que as semanas vão passando é natural que a atenção vá diminuindo", disse o russo em entrevista ao site da ATP.

"É mais fácil jogar contra caras top como o Federer porque você não sente a pressão. Mas se você é profissional, você tem de estar preparado para competir em qualquer nível. Não importa se é um challenger ou Grand Slam, você pode perder qualquer semana. Não tem partidas fáceis neste nível", afirmou o jogador que teve como a melhor posição do ranking em sua carreira a 65ª em julho de 2013.

"Claro que a meta é sempre jogar os grandes torneios e este é meu objetivo para o próximo ano, mas não vejo nenhum problema em jogar challengers", afirmou o russo que em 2017 tem três vitórias e três derrotas em torneios de primeiro nível da ATP e em 2016 só ganhou sete das 27 partidas que realizou. Já em challengers teve dois títulos.

Para evoluir, Donskoy tem contado com conselhos do compatriota Mikhail Youzhny, que já foi oitavo colocado do ranking mundial.

"Ele não está me ajudando na quadra e dizendo o que fazer. Mas ele está me ajudando como um amigo. É como se fosse um irmão mais velho", explicou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Esporte

Topo