Esporte

Sharapova não deveria ganhar convite para Roland Garros, diz nº 8 do mundo

AP Photo/Aaron Favila
Imagem: AP Photo/Aaron Favila

Do UOL, com informações da EFE

21/04/2017 10h56

Atual número 8 do ranking da WTA, a polonesa Agnieszka Radwanska se mostrou contrária à possibilidade da russa Maria Sharapova receber um convite para participar de Roland Garros.

Na última quarta-feira, a organização do Grand Slam confirmou que decidirá sobre o assunto até o dia 15 de maio. A ex-número um do mundo retornará às quadras oficialmente na próxima semana depois ter cumprido 15 meses de suspensão por ter testado positivo para Meldonium em um exame antidoping.

"Agora na Alemanha, depois na Espanha, mas até agora ela não foi convidada para jogar em Slams de Paris ou Londres. Na minha opinião, é assim que deve permanecer ", disse Radwanska ao diário esportivo polonês “Przeglad Sportowy”.

"Ela deve ganhar seu lugar graças a bons resultados. Este tipo de convite ao torneio deve ficar disponível apenas para jogadores que saíram do ranking devido a lesões, doenças ou outro acidente aleatório. Não para aqueles suspensos por doping”, completou.

Sharapova foi punida no começo de 2016 pela Federação Internacional de Tênis (ITF) com dois anos de suspensão pelo consumo de Meldonium, fármaco que é utilizado para combater os problemas cardiovasculares e que tanto seu inventor como o presidente russo, Vladimir Putin, entre outros, não consideram substância dopante.

Por outro lado, a ITF e a Agência Mundial Antidopagem (WADA) consideram que o Meldonium é um "modulador metabólico" que incrementa o rendimento físico e mental.

Sharapova, que a princípio admitiu que tinha cometido "um grande erro" e pediu "uma segunda oportunidade", negou depois que consumisse Meldonium diariamente e que "foi avisada cinco vezes sobre a iminente proibição da medicamento".

Depoi de ter a pena reduzida para 15 meses pelo Tribunal de Arbitragem Esportiva (TAS), Sharapova iniciará no Torneio de Stuttgart, na próxima semana, a sua retomada no circuito.

Com o tempo afastado, ela ficou sem ranking e depende de convites para jogos os maiores torneios da WTA. Ela também recebeu convite para jogar em Madri na semana seguinte  

"Maria deveria reconstruir sua carreira de uma maneira diferente, começando com eventos menores. Ela não teria uma chance se os convites estivessem nas minhas mãos”, completou Radwanska.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Esporte

Topo