Topo

Esporte

Federer revela ansiedade na semana em que pode ser nº 1 mais velho do tênis

Edgar Su/Reuters
Imagem: Edgar Su/Reuters

Do UOL, em São Paulo

12/02/2018 16h07

Mesmo aos 36 anos, Roger Federer segue atrás de façanhas inéditas no circuito profissional de tênis. Nesta semana, o suíço poderá se tornar o jogador mais velho da história a atingir a posição de número 1 do mundo, caso atinja pelo menos as semifinais do ATP de Roterdã, na Holanda. 

Federer está apenas 155 pontos atrás de Rafael Nadal, mas o espanhol oficialmente não jogará no circuito até o fim de fevereiro, quando tem programada a participação na etapa de Acapulco, no México. Por isso, o caminho está aberto, só depende do suíço.

Assim, diante da chance de voltar a ser o número 1 do mundo, Federer decidiu jogar em Roterdã, um torneio considerado menor no calendário. O suíço não ocupa o topo do ranking de simples masculino desde 4 de novembro de 2012.

A participação em Roterdã será a primeira de Federer desde o título do Aberto da Austrália, em janeiro, em sua 20ª conquista de torneios de Grand Slam – um recorde no circuito. O suíço estreia na quarta-feira diante o belga Ruben Bemelmans.

"Eu havia dito que só iria pensar no ranking depois que o Aberto da Austrália estivesse encerrado. Eu não esperava vencer na Austrália de novo. Eu não joguei na Austrália pensando no ranking, mas eu sabia que teria uma flexibilidade de calendário em fevereiro", afirmou Federer, em declarações reproduzidas pelo site oficial da ATP, explicando a decisão de atuar em Roterdã.

"Depois que o Aberto da Austrália acabou, pensei que adoraria jogar Roterdã e dar uma chance (sobre voltar ao topo do ranking). Nossa equipe está muito animada, estou aqui e vou dar uma chance. Você tem que fazer isso, não porque é o que é certo, mas você precisa estar aqui com todo o seu coração e realmente ir atrás. Tentar o meu melhor. Ter a opção de chegar ao número 1 é altamente motivador e muito excitante, para dizer o mínimo", comentou o ídolo.

Mais Esporte