UOL Esporte Tênis
 
31/01/2009 - 07h46

Serena massacra a intimidada Safina e leva seu 10º Grand Slam

Das agências internacionais
Em Melbourne (AUS)
O público que acompanhou a semifinal entre Nadal e Verdasco na Austrália se decepcionou com o que viu neste sábado na final feminina do Aberto da Austrália. Quem esperava ver um jogo disputado, se deparou com um massacre de Serena Williams sobre uma abatida Dinara Safina, que pouco fez para impedir o décimo título de Grand Slam da norte-americana, que se tornou a nova líder do ranking mundial.

TÍTULO SEM DISPUTA
Andrew Brownbil/AP
Intimidada e desconcentrada, Safina errou muito e fez a sua pior partida no torneio
Reuters
Serena não quis nem saber e afundou a russa para levar seu décimo Grand Slam e retomar a liderança do ranking mundial
Aberto dos EUA1999
Roland Garros2002
Wimbledon2002
Aberto dos EUA2002
Aberto da Austrália2003
Wimbledon2003
Aberto da Austrália2005
Aberto da Austrália2007
Aberto dos EUA2008
Aberto da Austrália2009
Grand Slams de Serena
VEJA AS IMAGENS DA PARTIDA
TODOS OS CONFRONTOS DO TORNEIO
SAFINA PEDE DESCULPAS AOS FÃS
Com direito a 'pneu' no primeiro set, Serena atropelou a russa por 6-0 e 6-3 em 58 minutos, chegando à sua quarta conquista em Melbourne e selando uma dobradinha na Austrália, já que foi campeã também nas duplas, ao lado da irmã Venus. Além disso, a norte-americana voltou a ser número um do mundo, posto que já ocupou por 61 semanas.

Safina entrou para a história do torneio ao sofrer a pior derrota em finais da competição desde 1994, quando Steffi Graf derrotou Arantxa Sanchez Vicario por 6-0 e 6-2 em apenas 31 minutos. Por outro lado, mesmo com a decepção, a russa saiu da terceira para a segunda posição no ranking.

Já Serena, com a sua décima conquista, superou Monica Seles em número de títulos de Grand Slam. Agora, a norte-americana número um do mundo é a sétima tenista mais vitoriosa da história na categoria mais valiosa do circuito.

Dez anos depois de sua primeira conquista, no Aberto dos Estados Unidos de 1999, Serena chega a seu décimo título Grand Slam, registrando uma média de um por ano desde que se consagrou em Flushing Meadows.

Além disso, Serena é a esportista que mais dinheiro ganhou ao longo da carreira, com quase 23 milhões de dólares, superando a golfista sueca Annika Sorenstam e a tenista conterrânea Lindsay Davenport. Com o título na austrália, a norte-americana faturou mais R$ 2 milhões.

Diante de Safina, Serena confirmou o histórico positivo, conseguindo a sexta vitória em sete oportunidades. Desde o começo do jogo, Serena atacou a adversária e tratou de mostrar quem tinha nove títulos de Grand Slam.

A russa, por sua vez, decepcionou outra vez em uma decisão importante, a exemplo do que aconteceu em Roland Garros no ano passado, na derrota para a sérvia Ana Ivanovic na decisão. Sem falar nos Jogos Olímpicos de Pequim, quando perdeu para a compatriota Elena Dementieva na disputa do ouro.

Safina admitiu que a derrota foi no físico e também no mental. "Foi a primeira vez que joguei não só por um Grand Slam, mas também para ser número um. Nunca estive nesta situação, e ela já tem bem mais experiência", lembrou a russa, que culpou o colapso no seu serviço pelo vexame. "Estive sofrendo com o meu saque durante todo o torneio. Normalmente, o saque é minha arma, e ficou difícil jogar sem minha arma".

ANÁLISES DA FINAL
Crédito
Serena: "Foi definitivamente uma das performances mais dominantes da minha carreira, até porque era uma final".
Crédito
Safina: "Fui apenas uma pegadora de bola. Peço desculpas aos fãs e prometo fazer melhor na próxima vez".
Crédito
Fininho: "Fico aqui na torcida para não ter uma final masculina como essa. Vocês já imaginaram a decepção?"
BLOG DO FERNANDO MELIGENI
Mas a vitória de Serena não seria tão rápida se ele não mantivesse a concentração: "Percebi que o jogo estava acabando muito rápido, mas pensei em ficar focada na vitória, porque ela é uma guerreira e não desiste fácil", declarou a campeã, que revelou uma certa desconfiança antes da final. "Estava jogando um tênis preguiçoso no começo e estava duvidando de mim mesma. A primeira semana foi complicada", admitiu.

Intimidada diante da experiente Serena, Safina não encaixava as bolas de devolução e abusava dos erros. A norte-americana aproveitou para ganhar confiança e abriu 5 a 0, após duas quebras de serviço consecutivas. Jogando fácil, a nova número um do mundo dominou completamente a adversária na vitória por 6 a 0 na primeira parcial.

Safina só começou a jogar no primeiro game do segundo set, esboçando uma reação com uma quebra de serviço logo de cara. Mas não durou muito. Serena devolveu logo em seguida, sem muito esforço diante do colapso da russa, que errava bolas fáceis.

Desconcentrada desde o começo do jogo, Safina não conseguiu se recuperar ao longo da partida. Ela chegou até a ter o apoio da torcida, que queria mesmo era ver jogo. A russa, no entanto, fez a sua pior apresentação no torneio.

Perdendo por 4 a 1 no segundo set, a frustração de Safina se expressava em seu próprio rosto. Sem conseguir descontar seu sentimento nos golpes, ela descarregou mesmo na rede, ou para fora da quadra.

Melhor para Serena, que fechou a segunda parcial facilmente por 6-3 e, desta vez, nem teve tempo de esquentar para poder reclamar do calor da Austrália, a exemplo do que fez nas outras partidas. E o público não teve tempo nem de esquentar as cadeiras.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host